quinta-feira, 28 de setembro de 2017

.: O jogo limpo de Flávia e o real motivo de Mine não ter indicado Dinei ou Fábio

Por Helder Miranda, em setembro de 2017.

Ana Paula Minerato perdeu uma oportunidade de ouro para se livrar de um de seus algozes e, de quebra, seguir em um jogo coerente.

Cogitou a indicação de Flávia, mas não votou em Dinei, que a perseguiu até que Minerato se tornasse fazendeira, e que no primeiro episódio manifestou um ódio gratuito e sem justificativas contra ela. Justo no primeiro episódio, retirou com uma rispidez desnecessária a chave das mãos dela, que a faria concorrer a um carro que, inclusive, foi ganhado por ele.

Minerato também não votou em Fábio Arruda, que, antes de xingá-la de tudo o que era nome depois da eliminação de Nicole Bahls, tentou forjar uma agressão. Não foi muito bem sucedido na farsa, mas foi muito bem na tarefa de se safar dessa berlinda. 

A pergunta que não quer calar é: por que Ana Paula precisou da aprovação desses dois homens que, visivelmente, a classificam como alguém de segunda classe?  A resposta é simples:

Ana Paula Minerato tinha motivos de sobra para indicar qualquer um dos dois, mas fez exatamente o que ambos quetiam. Não fez porque optou por ser validada por ambos - um jogador de futebol que não hesitou em apelidar uma vaca com o nome dela, e um consultor de etiqueta que, quando lhe foi conveniente, disse para a fazendeira que estava "de volta ao grupo", embora na semana passada houvesse votado em uma participante do grupo - a própria Ana. Com isso, e em troca de alguns elogios ao vivo em rede nacional, Ana Paula tropeça.

Flávia, por sua vez, cresce com a indicação da casa. Dez votos. Rebatidos com coerência e classe. Flávia disse que toda ação tem uma reação, e o jogo limpo dela lança luz aos seus parceiros de confinamento - Marcelo e Matheus - e apequena jogos como o de Marcos.

Foram duas semanas para que ele mostrasse quem é. Imunizar Conrado foi assinalar uma aliança burra com um participante que, empresa seu reality de origem, saiu massacrado pela opinião da audiência. O jogo de Marcos é sádico a ponto de forçar uma participante do próprio grupo a ter de escolher entre dois amigos para enfrentar uma eliminação, sendo que ainda não havia essa necessidade. Yuri, cujo único jogo é se esconder atrás do terceiro casal e nunca mudar o script, não hesitou em votar na "amiga" de fora do confinamento, alegando uma espécie de revanchismo por ela ter votado na namorada de uma semana, aquela que ninguém conhece.


A resposta virá na quinta, quando Flávia voltar da berlinda com a Bombom, outra participante que prometia muito, mas que optou por personificar "a tia chata da cozinha".



Sobre o autor
Helder Miranda é editor do portal Resenhando há 14 anos. Foi comentarista do site Votalhada e opinava sobre os realities "Masterchef", "O Aprendiz" e "A Fazenda". É formado em Comunicação Social - Jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos -Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura pela USP, e graduando em Pedagogia pela Univesp - . Atuou como repórter em vários veículos de comunicação. Lançou, aos 17 anos, o livro independente de poemas "Fuga", que teve duas tiragens esgotadas.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.