quinta-feira, 4 de setembro de 2014

.: Historiador comprova a existência histórica de Jesus

“Não importa o que mais se pense sobre Jesus, o fato é que ele certamente existiu. É isso que este livro vai demonstrar”. A declaração resume exatamente o que Bart D. Ehrman quer dizer em “Jesus Existiu ou Não?”, lançamento da editora Agir, do Grupo Ediouro. Criado em uma família evangélica nos Estados Unidos, o autor, que atualmente é agnóstico com inclinações ateístas, defende no livro um argumento sobre Jesus de Nazaré estabelecendo um critério confiável através de uma pesquisa histórica. Ele identifica as fontes de maior credibilidade e oferece um retrato convincente do personagem principal da tradição cristã.

Ehrman afirma que não tem o mínimo interesse em defender o Cristianismo: “não tenho a expectativa de convencer ninguém do time contrário com este livro. Minha intenção é convencer pessoas genuinamente interessadas em saber como nós temos certeza de que Jesus de fato existiu, um consenso entre praticamente todos os estudiosos da antiguidade, dos textos bíblicos, dos clássicos e das origens cristãs, não só nos Estados Unidos, mas em todo o mundo ocidental”, explica.

Segundo o autor, todas as fontes que mencionam Jesus até o século XVIII - entre autores de todos os tipos, como cristãos, judeus e pagãos - supõem que ele tenha existido. Para ele, “a afirmação da não existência de Jesus é uma ideia moderna, sem precedentes na antiguidade. Foi inventada no século XVIII”. Entre os pesquisados estão fontes independentes importantes em meio a autores cristãos da mesma época de Tácito, que transmitem informações sobre o Jesus histórico e certamente confirmam sua existência sem recorrer às fontes evangélicas. 

Para os cristãos, não há dúvida alguma da sua existência e santidade. Para os céticos, o Cristianismo é fundamentado em um mito. Para muitas pessoas, a existência ou não de Jesus é menos importante do que sua influência para o mundo. Mas será que essas “lições” citadas no Novo Testamento realmente vieram de Jesus Cristo? O autor responde com muita propriedade boa parte destas dúvidas.

Sobre o autorProfessor de estudos religiosos na Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill, Bart D. Ehrman já escreveu mais de 20 livros sobre religião, incluindo O que Jesus Disse? O que Jesus Não Disse?, que figurou entre os mais vendidos na lista do jornal The New York Times, e Quem foi Jesus? Quem não foi Jesus?, ambos publicados pela Nova Fronteira no Brasil.

Bart D. Ehrman cresceu em uma família religiosa nos Estados Unidos e na adolescência foi um evangélico fervoroso. Foi nessa época que seu interesse pela Bíblia e por sua história começou. Entretanto hoje, depois de mais de 35 anos de estudo, ele afirma que não é cristão e não tem o mínimo interesse em defender o Cristianismo. Já como historiador e autor, Ehrman defende: “Simplesmente não posso negar os fatos que confirmam que o Jesus histórico existiu”. Ele tem sido destaque na revista Time e em vários programas de televisão como CNN e History Channel.

Ficha Técnica
Preço: R$39,90
Páginas: 336
Editora: Agir

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

  1. “A verdade histórica é a mais ideológica de todas as verdades científicas [...]Os termos de subjetivo e de objetivo já não significam nada de preciso desde o triunfo da consciência aberta [...]. A verdade histórica não é uma verdade subjetiva, mas sim uma verdade ideológica, ligada a um conhecimento partidário”. (ARON cit. por Marrou, s/ data, p. 269)

    Se a fé nunca dependeu da história, porque fazem tanta questão desta última? Por que insistem em preservar essa bruma que envolve os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.