terça-feira, 31 de julho de 2018

.: Herson Capri relembra trajetória no "Persona em Foco" desta quarta


A atração conta com depoimentos de Mônica Martelli, Paulo Gustavo, Zé Carlos Machado, Petrônio Gontijo, Jonas Bloch, Edwin Luisi, Leo Jaime, Kiara Sasso, Kate Hansen e o filho Pedro Freire. Vai ao ar às 23h15, na TV Cultura, no YouTube e no aplicativo Cultura Digital.

O homenageado do "Persona em Foco" desta quarta-feira, dia 1º de agosto, é o ator Herson Capri, que também é diretor e produtor. Presença constante no teatro, no cinema e na televisão, ele é entrevistado por dois artistas intimamente ligados à sua trajetória: o diretor teatral Roberto Lage e a atriz Isadora Ferrite. O programa é apresentado por Atílio Bari e vai ao ar às 23h15, na TV Cultura, no YouTube e no aplicativo Cultura Digital.

O ator conta que o irmão teve influência em seu ingresso no teatro ao levá-lo para assistir a um espetáculo que acabou sendo sua estreia nos palcos. “Fiquei assistindo e, de repente, faltou um cara para segurar a cruz. O assistente falou: ‘você!’. Fui lá e comecei a segurar a cruz. Aí teve um que faltou, que ficou doente e não pôde fazer o papel de padre dominicano. (...) Eu comecei tinha 32 falas e meu irmão que me dirigiu”.

Herson comenta sobre sua vinda para São Paulo, após fazer teatro experimental em Curitiba. Na capital paulista, cursou Economia na Universidade de São Paulo (USP), mas foi fazer teatro na PUC e começou a participar de vários testes. “Primeira peça que eu fiz, profissional, foi com João Acaiabe”. O ator também menciona a época em que trabalhou com Antunes Filho. “Ele te mostra não só a dialética na vida como, principalmente, na confecção de um personagem. Isso para mim ficou marcado para sempre. Nunca mais esqueci, não só como ator como também na vida de uma forma geral”.

O artista relembra sua atuação na peça Lição de Anatomia, nos anos 70, quando os atores ficavam nús em cena. Também fala sobre outros espetáculos em que atuou, como "Triunfo Silencioso", "Três Homens Baixos" e "A Noviça Rebelde". Ele revive o teste que fez na TV Tupi, no qual foi aprovado para integrar a novela Vila do Arco, aos 23 anos. Herson ainda ressalta os teleromances e telecontos de que participou na TV Cultura, na década de 80. “Eu fiz várias séries de 20 capítulos. E todas muito boas, com direções fantásticas. Aqui tem um astral diferente das outras televisões”.

O ator conta sobre sua mudança para o Rio de Janeiro e quando a Rede Globo o chamou para atuar na emissora. “Quem me levou foi o teatro e a TV Cultura”. Na Globo, atuou em novelas como "Elas por Elas", "Guerra dos Sexos", "Tropicaliente", "Um Só Coração" e "Cobras e Lagartos". Na televisão, Herson viveu mais de 40 personagens em 35 novelas e doze minisséries. No cinema, o artista fez várias comédias, como "O Escorpião Escarlate", "Didi, o Cupido Trapalhão", "Minha Mãe É Uma Peça 1 e 2".

No programa, ele ainda destaca as diferenças entre interpretar no teatro e na televisão; entre seu trabalho como ator e diretor; o público de teatro em São Paulo e no Rio de Janeiro; e sua direção na segunda temporada da série "Os Homens São de Marte... e É Pra Lá Que Eu Vou", do GNT, protagonizado por Mônica Martelli, que é sua cunhada. O "Persona em Foco" ainda traz depoimentos de personalidades que fizeram parte da história de Herson Capri, como Paulo Gustavo, Zé Carlos Machado, Petrônio Gontijo, Jonas Bloch, Edwin Luisi, Leo Jaime, Kiara Sasso, Kate Hansen e o filho Pedro Freire.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.