segunda-feira, 17 de junho de 2019

.: "Escola do Rock" chega ao Brasil quatro anos após estreia na Broadway

Baseado no filme da Paramount escrito por Mike White. Libreto: Julian Fellowes. Letras: Glenn Slater. Músicas: Andrew Lloyd Webber. Originalmente dirigido por Laurence Connor. Direção Geral: Mariano Detry. Versão Brasileira: Mariana Elizabetsky e Victor Mületahler. Diretor associado: Floriano Nogueira. Diretor Musical: Daniel Rocha. Coreógrafo: Philip Thomas. A Escola do Rock é apresentada por um acordo especial com a Really Usefull Group. Estreia dia 15 de Agosto no Teatro Santander. A partir de hoje, ingressos à venda: www.ingressorapido.com.br

São  63 atores, o maior elenco jamais apresentado no Brasil (42 crianças e 21 adultos) em mais uma super produção do Atelier de Cultura, desta vez em parceria com Andrew Lloyd Webber.

Três elencos de 14 crianças revezam-se em uma aventura eletrizante, com coreografias arrojadas, cenários grandiosos, em um show de luzes e som, no qual quatro crianças do elenco tocam seus instrumentos ao vivo: guitarra, baixo, bateria e teclado. Acredite: elas tocam instrumentos ao vivo! O espetáculo tem o patrocínio da Comgás.

Baseado no filme "School of Rock", de 2003, escrito por Mike White e estrelado por Jack Black, "Escola do Rock" conta a história de Dewey Finn, um cantor e guitarrista  na casa dos 30 e poucos anos,  que ainda deseja se tornar uma estrela do rock. Depois de identificar o talento musical em seus alunos, ao fingir ser um professor substituto em uma prestigiosa e conservadora escola, Dewey forma um grupo do quinto ano, na tentativa de ganhar o próximo concurso: a Batalha das Bandas.

O mais novo sucesso de Andrew Lloyd Webber, o mesmo compositor e produtor de "O Fantasma da Ópera", "Cats", "Jesus Cristo Superstar", entre outros, estreou em dezembro 2015 na Broadway, em 2016 em Londres, em 2017 iniciou turnê nos Estados Unidos e em 2018, subiu aos palcos em Sidney. A produção do Atelier de Cultura, em 2019, é o primeiro licenciamento internacional do título, e a primeira vez que o espetáculo será apresentado em versão para a língua local.

A montagem no Brasil, apresentada pelo Ministério da Cidadania e Comgás, é dirigida por Mariano Detry, responsável pela direção de Chaplin o musical em São Paulo, Antuérpia e Amsterdã. Foi também responsável pela nova montagem de Les Miserábles e Cats na Espanha. Detry traz projeto cênico inédito que nos faz transitar pelo mundo do rock’n’roll com gigantesca eficácia: “É incrível dirigir 'Escola do Rock',  um musical encantador para toda família que não vai te deixar parado”, diz o diretor.

O espetáculo traz um arrojado projeto de cenografia e figurino, ambos desenvolvidos especialmente para o Brasil pela cenógrafa e figurinista da produção original na Broadway e no West End, Anna Louizos de Nova Iorque, também responsável pelo design das produções de Avenida Q, In The Heights e Rodgers & Hammerstein’s Cinderella. 

Sua nova cenografia explora a altura da boca de cena do Teatro Santander e cria alturas com cinco elevadores automatizados construídos sob medida para a produção, além de projeções mapeadas que tornam os ambientes empolgantes.

Os figurinos remetem às tradicionais escolas americanas e ao mundo do rock, com pintura de tecido feita a mão e diversas aplicações de hotstamps, penas e lantejoulas que engrandecem ainda mais o musical.

A coreografia de "Escola do Rock", é assinada por Philip Thomas, coreógrafo inglês que colaborou nas coreografias de "Aladdin", "Sweeny Todd", "Tick Tick Boom,  Oliver!", "As Bruxas de Eastwick", "Mary Poppins" e "Mamma Mia!". Assim como a composição, a coreografia é fundamental para o ritmo elétrico que conduz o espetáculo.

A direção musical é do Maestro Daniel Rocha, responsável por "Annie" e "Billy Elliot", do Atelier de Cultura, que também será o regente da orquestra composta por nove músicos. As músicas de Andrew Lloyd Webber serão reproduzidas na formação original da orquestra, como realizado em Londres e em Nova Iorque.

O desenho de luz fica a cargo do premiado inglês Mike Robertson, um dos maiores nomes para iluminação de teatro musical da atualidade. Robertson é vencedor do prêmio Olivier Award, entre outros tantos, ao redor do mundo. Seu projeto é criado em conexão com a composição das músicas, do cenário e das movimentações do elenco, do texto e das coreografias, construindo momentos emocionantes. Robertson também foi o iluminador dos projetos de "Annie" e "Billy Elliot", do Atelier de Cultura.

A versão de letras de música e texto são de autoria de Mariana Elisabetsky e Victor Mühlethaler ("Billy Elliot", "Wicked", "A Pequena Sereia", "Cantando na Chuva") e revelam singular aderência das letras de Glen Slater e ao texto de Julian Fellowes (o mesmo autor do roteiro de “Downton Abbey”) para o português.

Realizada pela produtora Atelier de Cultura, a montagem brasileira apresenta 42 crianças que se revezam durante as seis sessões semanais. Alguns estreantes em suas carreiras, outros gabaritados atores e atrizes mirins, são responsáveis por dar vida à icônica classe de Horace Green.

O espetáculo terá sua estreia nacional no Teatro Santander, um dos mais importantes e modernos palcos do país. O Atelier de Cultura renova a parceria com a casa de espetáculos que também sediou a bem-sucedida temporada de "Annie, o Musical". Com varas automatizadas e boca de cena com mais de 15 metros de altura, faz com que os projetos desenvolvidos para seu palco estejam em linha com o que há de melhor em termos de qualidade técnica no mundo.

Não perca a oportunidade única de assistir no Brasil a grandiosa produção de "Escola do Rock", o mais novo hit da Broadway e West End. Trata-se da primeira produção mundial não realizada pela Really Useful Group, detentores originais do espetáculo, uma exclusividade do Atelier de Cultura. Uma experiência teatral tão forte e emocionante, que ficará para sempre em seu coração.



Sobre o Atelier de Cultura
Com experiência na gestão de mais de R$ 120 milhões em patrocínio, suas últimas realizações incluem a temporada do musical Billy Elliot (2019), Annie (2018/2019), A Noviça Rebelde (2018), O Homem de La Mancha (2013/2014, 2017 e 2018), espetáculos que garantiram mais de 15 premiações ao Atelier, realizando 1.034 sessões de teatro musical e atingindo mais de 600 mil espectadores. Além das produções de entretenimento ao vivo, foi responsável por implantar o primeiro curso profissional e Formação de Atores em Teatro Musical reconhecido pelo MEC do Brasil em parceria com o SESISP, tendo recebido a Medalha Arthur de Azevedo (2013) por serviços prestados a indústria do Teatro Musical.

Sobre a Comgás
A Companhia de Gás de São Paulo trabalha para ser a melhor alternativa energética para as pessoas, as empresas e a sociedade.

Com fornecimento ininterrupto e atendimento 24h, a Comgás atende mais de 1,9 milhão de clientes em sua área de concessão no Estado de São Paulo: a Região Metropolitana de São Paulo, a Região Administrativa de Campinas, a Baixada Santista e o Vale do Paraíba.

A Companhia possui mais de 16 mil quilômetros de rede de distribuição em 88 municípios, abastecendo com gás natural os segmentos industrial, comercial, residencial e automotivo, além de viabilizar projetos de cogeração e disponibilizar gás para usinas de termo geração.

Vivo apoia a Cultura
A Vivo acredita e investe na cultura como elemento de transformação. Há 14 anos, por meio do Teatro Vivo, em São Paulo, e de espetáculos com circulação nacional, a empresa busca proporcionar novas experiências culturais e ampliar a conexão com o público. Esse compromisso com a arte valoriza tanto atores consagrados como novos artistas em espetáculos por todo país.

Sobre o Teatro Santander
O Teatro Santander é considerado um dos mais modernos do mundo e o primeiro teatro multiuso de São Paulo, com quatro possibilidades diferentes de configuração, o que permite realizar no local desde shows musicais, desfiles de moda e eventos corporativos até grandes produções da Broadway sem a necessidade de qualquer adaptação. A versatilidade se deve ao exclusivo sistema de poltronas retrátil, que pode acomodar 1.100 pessoas sentadas ou até 1.800 espectadores em outros formatos. O Teatro Santander tem 13.000m2 de área construída e é o único teatro do pais com 56 varas cênicas motorizadas.

Ficha Técnica:
Libreto Julian Fellowes
Letras Glenn Slater
Músicas Andrew Lloyd Webber
Originalmente dirigido por Laurence Connor
Direção Geral Mariano Detry
Versão Brasileira Mariana Elizabetsky e Victor Mületahler
Diretor associado Floriano Nogueira
Diretor Musical Daniel Rocha
Coreógrafo Philip Thomas
Cenógrafa Anna Louizos
Cenógrafa Associada Christine Peters
Figurinistas Anna Louizos e Abby Hahn
Figurinista Associada Ligia Rocha
Designer de Luz Mike Robertson
Designer de Luz Associado Adam Motley
Designer de Som Gaston Birski
Designer de Som Associado Alejandro Zambrano
Visagista Feliciano San Roman
Produtora de Elenco Marcela Altberg
Produtores Associados Cleto Baccic, Carlos A. Cavalcanti e Vinícius Munhoz
 Apresentado por: Ministério da Cidadania e Comgás
Patrocínio: Zurich-Santander, Vivo e Eurofarma
Apoio: Johnson & Johnson e Prosegur
Hotelaria Oficial: Radisson Blu
 Realização: Atelier de Cultura, Secretaria Especial de Cultura e Governo Federal

Elenco:
Arthur Berges – Dewey Finn
Sara Sarres – Rosalie Mullins
Cleto Baccic – Ned Schneebly
Thais Piza – Patty Di Marco

Elenco infantil:
Mafê Mossini, Nina Medeiros e Sophia Marie – Katie (Baixista)
Agyei Augusto, Henrique  Bonadio, e Nicolas Cruz – Zack (Guitarrista)
João Pedro Delfino, Rafael Mezadri e Thomas Diniz – Freddy (Baterista)
Dudu Ejchel, Henry Gaspar e Kauã Soares – Lawrence (Tecladista)
Bia Brumatti, Dudda Artese e Luisa Bresser – Summer
Luiza Gattai, Maria Clara Rosis e Rinon Ueyama – Tomika
Gigi Patta, Giovana Maciel e Valenthina Rodarte – Schonelle
Isabella Daneluz, Julia Ribak e Martha Nobel – Marcy
Felipe Costa, Felipe de Souza e Luis Prudêncio – Andy
Lorenzo Tarantelli, Isidoro Gubnitsky e Paulo Gomes – Billy
Davi Lourenço, Gustavo Spinosa e Rodrigo Spinosa – James
Juju Morgade, Mariana Dias e Milena Blank – Madison
Gu Ferreira, Gabriel Meirelles e Michel Singer – Mason
Duda Ramalho, Erin Borges e Paula Serra – Sophie

Ensemble feminino:
Clarty Galvão
Jana Amorim (Cover de Rosalie Mullins)
Kelia Bueno
Laura Carolinah
Leilane Teles
Luciana Artusi
Roberta Jafet

Ensemble masculino:
Abner Depret
Bernardo Berro
Bruno Sigrist
Cadu Batanero
Fabricio Negri
Guilherme Leal
Mau Alves
Thiago Perticarrari
Tony Germano
Tchello Gasparini (Cover de Dewey)

Serviço
"Escola do Rock"
Teatro Santander (1.100 lugares)
Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041
Informações: (11) 4810-6868
Bilheteria: domingo a quinta, das 12h às 20h ou até inicio do espetáculo. Sexta e sábado, das 12h às 22h. Aceita todos os cartões de crédito e débito. Não aceita cheque. Estacionamento no local, R$ 35.

Vendas: www.ingressorapido.com.br
Quinta e sexta às 20h30 | Sábado e domingo às 15h e 18h30
Ingressos:
De R$ 75 a R$ 310
Duração: 120 minutos (com 20 de intervalo)
Classificação: Livre
Gênero: musical
Estreia dia 15 de agosto de 2019
Clientes Vivo tem 25% de desconto na aquisição de ingressos A partir de hoje, ingressos à venda. www.ingressorapido.com.br
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0 subdomain=subdomain.resenhando.com subdomain=subdomain.www.resenhando.com