terça-feira, 16 de julho de 2019

.: Crítica: "Merlin e Arthur - Um Sonho de Liberdade", um musical inesquecível


Por Helder Miranda, em junho de 2019.

Ao contrário do que se pode pensar à primeira vista, "Merlin e Arthur - Um Sonho de Liberdade" não é uma peça infanto-juvenil voltada para garotos ávidos por viver aventuras mesmo trancafiados em uma selva de pedra como São Paulo. É para todos, homens e mulheres, jovens ou velhos. 

O motivo é simples: fala sobre temas que são universais para todos, entre eles o trisal coragem, amor e lealdade. A profundidade do texto, somada à presença impactante de Vera Holtz em holograma no papel do mago que povoa o imaginário da garotada (e rendeu até filme da Disney), à interpretação possante de Paulinho Moska (uma surpresa como ator, já que embora ele tenha feito muita coisa, ainda é uma faceta desconhecida), o carisma dos vilões, a doçura dos mocinhos e músicas conhecidas e outras nem tanto de Raul Seixas fazem do musical algo imbatível. É claro que a orquestra ao vivo e a direção certeira de Guilherme Leme Garcia tornam tudo ainda mais especial.


Foto: Camila Mira 
Nunca se fez uma reinvenção tão improvável, maluca e agradável das canções de Raul Seixas como neste espetáculo, que segue em cartaz até 18 de agosto no Shopping Frei Caneca, em São Paulo. As músicas caem como cristais nas vozes de todo o elenco, mas é de Kacau Gomes e de Patrick Amstalden, que interpretam os vilões Anamorg e Dreadmor, os momentos mais marcantes - ao som das músicas "Eu Sou Egoísta" e "Rockixe". 

Uma química difícil de se ver em cena quando esses dois vilões engraçados se encontram. Patrick acaba de sair de um personagem dramático, como o noivo de Natasha em "Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812" (crítica neste link) e surpreende com um papel cheio de graça e, até certo ponto, leveza (apesar do tamanho do ator que, muito alto, fica gigante em cena - o que está longe de ser uma crítica). Já Kacau consegue colocar o espetáculo abaixo com o vozeirão e o carisma que emprestou à personagem.


Foto: Caio Gallucci
Rodrigo Salvadoretti, Saulo Segreto e Natália Glanz, que interpretam Arthur, Lancelott e Guinevere na juventude, preparam, com muita competência, o caminho para que Paulinho Moska , Gustavo Machado e Larissa Bracher interpretarem o trio que protagoniza o triângulo amoroso conhecido das lendas e recontado várias vezes nas histórias e no cinema. 

O encontro desses três só poderia dar em uma explosão de sentimentos. Larissa Bracher parece flutuar de tão suave com uma atuação que oscila entre a doçura e a firmeza. Gustavo Machado, o Lancellot apresenta ao público uma abnegação que convence ao público a torcer por ele. Paulinho Moska, surpresa já mencionada, merece todos os prêmios possíveis. 

Uma história para curtir do início, ao fim e o meio que, também, é a soma de todos os sentimentos que, misturados, só podem culminar no perdão. Não perca. Para crianças de todas as idades, até as que já cresceram, sobretudo aquelas que ainda pretendem aprender alguma coisa sobre a vida.

Ficha Técnica:
"Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade"
Concepção e direção: Guilherme Leme Garcia.
Texto: Márcia Zanelatto.
Elenco: Vera Holtz, Paulinho Moska, Larissa Bracher, Gustavo Machado, Patrick Amstalden, Kacau Gomes, Rodrigo Salvadoretti, Natália Glanz, Saulo Segreto, Gabi Porto, Ubiracy Brasil, Santiago Villalba, Fernanda Gabriela, Daniel Haidar, Oscar Fabião, Laíze Câmara, Thainá Gallo, Dennis Pinheiro, Renato Caetano, Paola Poliny, Leonam Moraes, Carol Pita e Félix Boisson.
Direção musical e arranjos: Fabio Cardia e Jules Vandystadt.
Direção de Movimento e Coreografia: Toni Rodrigues.
Set design, cenografia, iluminação e videodesign: Anna Turra, Camila Schmidt e Roger Velloso.
Figurino: João Pimenta.
Visagismo: Fernando Torquatto.
Desenho de som: Carlos Esteves.
Produção de elenco: Marcela Altberg.
Com apresentação do Ministério da Cidadania e da Bradesco Seguros, patrocínio da Riachuelo.

Serviço
"Merlin e Arthur, Um Sonho de Liberdade"
Temporada: de 7 de junho a 18 de agosto de 2019.
Sextas-feiras, às 20h. Sábados, às 16h e 20h. Domingos, às 19h.
Duração: 2h15min + 15 minutos de intervalo.

Classificação Indicativa: livre.
Teatro Frei Caneca
Rua Frei Caneca, 569 - Bela Vista - São Paulo. 

*Helder Moraes Miranda é bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

2 comentários:

  1. Eu assisti o musical e simplesmente é maravilhoso. Muito bem feito tanto na performance dos personagens quanto na estrutura e recursos visuais. Só fiquei triste pois achei que iria ver a Vera Holtz pessoalmente.

    ResponderExcluir
  2. Eu assisti o musical e simplesmente é maravilhoso. Muito bem feito tanto na performance dos personagens quanto na estrutura e recursos visuais. Só fiquei triste pois achei que iria ver a Vera Holtz pessoalmente.

    ResponderExcluir

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0 subdomain=subdomain.resenhando.com subdomain=subdomain.www.resenhando.com