quarta-feira, 21 de agosto de 2019

.: Japan House São Paulo inaugura exposição sobre design têxtil

O processo criativo da designer Reiko Sudo, da marca japonesa NUNO, é tema de nova mostra no centro cultural até 27 de outubro de 2019. Exposição apresenta trabalhos que destacam técnicas que aliam tradição ao contemporâneo. Crédito: ALisson Louback
O universo têxtil japonês com sua riqueza e variedade de tecidos e estampas é a nova vertente da cultura japonesa a ser apresentada na Japan House São Paulo por meio da exposição ‘NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas’, em cartaz de 20 de agosto a 27 de outubro de 2019. A mostra destaca peças criadas pela designer japonesa Reiko Sudo, da marca NUNO (palavra que significa tecido, em japonês) que desenvolve linhas estéticas, materiais e técnicas, muitas vezes reinterpretando a tradição têxtil do Japão para o mundo contemporâneo.

Na exposição, com curadoria de Adélia Borges, crítica e historiadora de design; e de Mayumi Ito, consultora e fundadora do projeto comunitário Amaria, serão exibidos 35 diferentes tecidos feitos a partir de matérias-primas que vão de bashofu (fibra de bananeira produzida em Okinawa, no Japão), a páginas de jornais, passando por washi (papel japonês), cobre, plástico, borrachas, penas até materiais tradicionais, como algodão, seda, poliéster, lãs e feltro. A mostra ressalta a contribuição singular da NUNO para o design mundial contemporâneo com uma seleção de tecidos que evidencia a diversidade das técnicas, texturas, materiais e cores, incluindo as formas de produção artesanal, semi-industrial e industrial. Para expor tão rica extensa variedade de peças, o arquiteto Pedro Mendes da Rocha, responsável pela expografia da mostra, se inspirou na organicidade da vida para apresentar  uma grande árvore no térreo do centro cultural, cujos ‘galhos’ e ‘folhagens’ são representados por painéis, de 3,5m de largura, cada qual com um diferente tecido.

Como parte da mostra ‘NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas’, a entrada do centro cultural se transformará em uma vitrine com koinoboris, carpas estilizadas típicas do Japão, símbolos de saúde e longevidade, feitas com tecidos. A exposição também traz uma série de amostras manuseáveis a serem exploradas pelo público como o Tanabata (2004), tecido de poliéster em formas de origami que cria sensação de movimento, ou o Kibiso Futsu Crisscross (2008), que reaproveita fibras do casulo de seda, antes descartadas pelo difícil manuseio.

Adélia Borges e Mayumi Ito ressaltam a importante preocupação da NUNO em manter pequenas tecelagens japonesas ativas e, assim, valorizar essas técnicas ancestrais do feito à mão, reavivando esses processos com novos materiais e tecnologias. Para elas, Reiko Sudo também propõe um novo olhar para o belo, ressignificando, por exemplo, o processo da ferrugem que é utilizado no tingimento de tecidos.

Com itens presentes no acervo de importantes museus internacionais, como o MoMA Museum of Modern Art (Nova Iorque) e Victoria & Albert (Londres), a designer Reiko Sudo  costura no limiar entre o absoluto manual e o extremo high-tech. Fundado em 1984, na cidade de Tóquio, NUNO é considerado um dos melhores laboratórios de pesquisa têxtil da atualidade com sua proposta contínua em unir materiais, técnicas e processos para a obtenção de tecidos singulares em um genuíno centro de experimentações.

"O trabalho realizado pela Reiko Sudo à frente da NUNO é surpreendente e admirável. Após mais de 30 anos de fundação da marca, Reiko continua suas pesquisas com criatividade única contribuindo para o design internacional com suas inovações, mesmo quando está trabalhando sob a premissa de técnicas tradicionais", declara Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da Japan House São Paulo.

Destaque da programação paralela é a 1ª Edição do Experiências Japan House São Paulo, que tem como objetivo proporcionar vivências exclusivas aos participantes. No dia 23 de agosto, após as boas-vindas na Cafeteria Sabor Mirai no térreo, o grupo poderá acompanhar Reiko Sudo em uma exclusiva visita guiada à exposição, onde ouvirão explicações técnicas e detalhadas sobre cada tecido. Na sequência, os participantes serão recebidos no restaurante AIZOMÊ para um bate-papo descontraído com a designer, que comentará sobre seu processo de criação apresentando elementos e utensílios de sua metodologia. Esta etapa será acompanhada por uma experiência gastronômica do restaurante AIZOMÊ, comandado pela chef Telma Shiraishi. A participação nesta edição do Experiências Japan House São Paulo acontece mediante inscrição e pagamento no valor de R$ 300,00.

Além das atividades, ao longo da exposição, a Japan House São Paulo apresentará uma intensa programação em colaboração com algumas instituições para aproximar as realidades japonesas e brasileiras na área da pesquisa de desenvolvimento têxtil.

NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas
De 20 de agosto a 27 de outubro de 2019
Térreo

Experiências Japan House São Paulo
Bate-papo e atividades com a designer Reiko Sudo
Local: Japan House São Paulo (Av. Paulista, 52)
Data: 23 de agosto, das 16h às 20h30
Valor: R$ 300 por pessoa (Vagas limitadas)
Inscrição: experiencias@jhsp.com.br

Programação:
16h00 às 16h30: Boas Vindas na Cafeteria Sabor Mirai
16h30 às 17h30: Visita à exposição NUNO – Poéticas têxteis contemporâneas guiada pela designer Reiko Sudo
17h30 às 18h50: Bate-papo com Reiko Sudo sobre seu processo de criação. Etapa acompanhada por uma experiência gastronômica no restaurante AIZOMÊ, na Japan House São Paulo
19h00 às 20h30: Palestra “Índigo japonês – da origem à contemporaneidade” com Kiri Miyazaki
Tradução consecutiva do japonês para o português 

JAPAN HOUSE São Paulo – Avenida Paulista, 52
Horário de funcionamento:
Terça-feira a Sábado: das 10h às 20h
Domingos e feriados: das 10h às 18h
Entrada gratuita

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.