sábado, 30 de novembro de 2019

.: "Como Ter Uma Vida Quase Normal" em cinco motivos para não perder

Mary Ellen Miranda Fotografia

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em novembro de 2019 



"Como Ter Uma Vida Quase Normal", monólogo 
de puro empoderamento feminino com a atriz Monique Alfradique, em cartaz no Teatro Folha, aos sábados e domingos, até o dia 15 de dezembro, faz rir e refletir. Normalmente anormal, a dona da história busca um amor que vá além do Carnaval, mas encontra a si mesma em todos os dias do ano. Livre para ser quem bem entender, a atuação impecável da atriz e o bom humor do texto criam um elo instantâneo com a plateia, principalmente, a feminina. 

Afinal, é impossível chegar aos 30 e poucos anos sem se cobrar tanto e se ver diante de inúmeros questionamentos sem uma resposta que seja. Uma vez que os homens dizem não entenderem a mente feminina, "Como Ter Uma Vida Quase Normal" é a melhor oportunidade para sanar tantas dúvidas. Confira a lista que nós do Resenhando.com elencamos com cinco motivos para não perder a peça!


1. EMPODERAMENTO
Mesmo diante de tantas imposições da sociedade, a trama ágil e inteligente, reforça o empoderamento da figura feminina, enquanto derruba mitos da mulher moderna. Firme e forte, essa mulher com seus inúmeros "eus" enfrenta decepções amorosas e fracassos profissionais com mil e dilemas na mente. Ao menos, em certos momentos, na peça, a protagonista pode contar com a amiga Macarena!


2.  ATUAÇÃO
Monique Alfradique, além de dar um show de interpretação, é uma revelação no sapateado. A personagem descolada e cheia de dilemas é, inegavelmente, um presente para para a atriz que, com desenvoltura, mostra tamanha intimidade com o fazer cômico. No fim, a plateia que é agraciada ao conhecer melhor esse outro lado -embora o público tenha tido o gostinho dessa graça de Alfradique com a personagem Glória, na novela "Deus Salve o Rei", da Rede Globo.



3.TEXTO
Libertador e extremamente inteligente, o texto do monólogo, cheio de fluxos de pensamentos, é ágil e provoca reflexões a respeito das "regras" a serem seguidas pela figura feminina, enquanto também faz rir. E muito! 



4. ADAPTAÇÃO
Livremente inspirada no livro de Camila Frender & Jana Rosa “Como Ter Uma Vida Normal Sendo Louca”, a montagem com texto final e dramaturgia de Rafael Primot -ele que foi par de Monique Alfradique em "Deus Salve o Rei" e também diretor do espetáculo "Os Guardas do Taj"-, reforça a busca pela resposta da provocante pergunta que vive em nossas cabeças: Afinal, o que é ser normal? 

5. COMICIDADE E CRITICIDADE
Embora trate temas importantes como a fuga da padronização imposta pela sociedade, por exemplo, a graça do retrato dessa mulher ansiosa e impulsiva, mergulhada no turbilhão de informações que sufocam a ela -e a todos nós- diariamente, fazem a plateia rir, mas também espalha críticas. Em meio a dores e amores, muitas ideias expostas estão no nosso cotidiano. Nós que somos seres humanos, falhos e geralmente insatisfeitos. 

É uma loucura perder!! Vá ao Teatro Folha e divirta-se!

Texto final e dramaturgia: Rafael Primot
Direção: Rafael Primot
Elenco: Monique Alfradique
Direção de arte: Carolina Bertier
Cenografia: Willian Linitch
Figurino: Karen Brusttolin
Desenho de luz: Aline Santini
Trilha sonora: Dan Maia
Preparação corporal: Rodrigo Frampton
Assistente de Direção: Haroldo Miklos
Operador técnico: Pitty Santana
Camareira e contrarregra: Jaqueline Basto
Coordenação de Comunicação: Beth Gallo
Assessoria de Imprensa: Daniela Bustos E Thaís Peres – Morente Forte Comunicações Projeto Gráfico Haroldo Miklos E Carolina Bertier Fotografia Caio Gallucci Conteudo Web Jady Forte Redes Sociais Gabriela Torres, Lorraine Fonseca E Paloma Adeodato
Coordenação De Produção: Egberto Simões
Produção Executiva: Martha Lozano
Coordenação Administrativa: Dani Angelotti Assistência Administrativa: Alcení Braz
Administradora: Magali Morente
Idealização: Monique Alfradique & Enkapothado Artes Produtores Associados Selma Morente, Celia Forte, Monique Alfradique E Rafael Primot Uma Produção Morente Forte Produções Teatrais

Como Ter Uma Vida Quase Normal
Gênero: comédia
Duração: 70 minutos
Classificação indicativa: 14 anos

Teatro Folha
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / Tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323 Site:www.teatrofolha.com.br
Vendas por telefone e internet/ Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto / 50% de desconto para funcionários e clientes do Cartão Renner. Horário de funcionamento da bilheteria: de terça a quinta, das 15h às 21h; sexta, das 15h às 00h; sábado, das 12h às 00h; e domingo, das 12h às 19h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado /Estacionamento do Shopping: R$ 14 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3104-4885, (11) 3101-8589, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, CSN, LG, Privalia, Nova Chevrolet, Wickbold, Owens, Teleperformance e  Grupo Pro Security.



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm





Convite para assistir "Como Ter Uma Vida Quase Normal"



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0