sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

.: A Cor do Som comemora 40 anos com disco e convidados especiais


Por Luiz Gomes Otero, jornalista e crítico musical.

Para comemorar os 40 anos de carreira, A Cor do Som, com a formação original do grupo, gravou um CD que traz 11 faixas e tem a participação de vários convidados especiais, com produção de Ricardo Feghali (do Roupa Nova).

A formação original conta com Mu Carvalho (teclados e vocal), Dadi (baixo e vocal), Armandinho (guitarra e vocal), Gustavo (bateria) e Ary (percussão). E o fato curioso é que, quando o grupo foi formado, a intenção era tocar somente música instrumental – todos são músicos virtuosos de primeira linha em seus instrumentos. No entanto, por sugestão da gravadora na época (Warner), os integrantes acabaram cantando as canções. E a aceitação do público foi imediata naquela ocasião.

Entre as músicas do repertório do disco, quatro são inéditas, sete regravações de clássicos e uma outra que Dadi registrou num disco solo, lançado em 2005, no Japão. Gilberto Gil canta e toca violão em "Abri a Porta", que compôs em parceria com Dominguinhos; Lulu Santos está em "Swingue Menina", enquanto que Samuel Rosa traz o seu balanço em "Zanzibar" (de Armandinho e Fausto Nilo);

O Roupa Nova participa da gravação de "Alto Astral" (de Mu, Dadi e Evandro Mesquita). Djavan interpreta "Alvo Certo" (de Dadi e Mu Carvalho); Paulinho Moska está em "Magia Tropical" (de Mu e Evandro Mesquita); e Flávio Venturini canta em "Eternos Meninos" (de Mu e Paulinho Tapajós). O brasiliense Alexandre Carlo, vocalista do Natiruts, leva sua contribuição a "Semente do Amor" (de Mu e Moraes Moreira).

Dois momentos ficaram perfeitos: "Alto Astral" e "Zanzibar". Samuel Rosa se encaixou muito bem na interpretação de "Zanzibar". E os vocais sempre impecáveis do Roupa Nova conferem um tom bem interessante para a bela canção Alto Astral.

"Somos a Cor", de Armandinho e Maria Vasco, que abre o repertório; "Sou Volúvel" (Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Dadi Carvalho), "Sonho de Carnaval" (Armandinho Macedo e Fausto Nilo) e "Olhos D’água" (Mu Carvalho, Piere Aderne e Alexia Bomtempo) são as quatro inéditas que o grupo traz nesse trabalho. E todas elas com aquela marca registrada de sonoridade que a banda sempre soube deixar em seus discos.

Com esse lançamento, A Cor do Som mostra que pode seguir em frente por mais tempo. Naturalmente e em alto astral, é claro.

"Zanzibar"

"Alto Astral"

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.