quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

.: "Maria e os Insetos" em cartaz para crianças no Sesc Consolação


Companhia Delas de Teatro estreia novo espetáculo infantil. Foto: Ligia Jardim

Com direção geral de Thaís Medeiros (diretora revelação do ano de 2019 no Prêmio APCA de Teatro Infantil  e Jovem), dramaturgia da Companhia Delas de Teatro e com Fernanda  Castello Branco, Julia Ianina  e Paula Weinfeld no elenco, “Maria e os Insetos” é o segundo espetáculo da trilogia Mulheres e Ciência, na qual a companhia conta para crianças e adultos histórias de vida de mulheres que mudaram o curso da ciência. O espetáculo fica em cartaz até o próximo dia 29 no Sesc Consolação, às 11h.

Seguindo o mesmo princípio que inspirou o espetáculo “Mary e os Monstros Marinhos”, a vida de Maria Sybilla Merian e seu material de estudo serviram como base para a criação de um espetáculo lúdico, que une uma linda história de vida ao magnetismo da ciência e seus desafios.

Sinopse
No início do século XVII uma mulher decide explorar sozinha as enigmáticas florestas tropicais do Suriname. Lá ela encontra calor, umidade, plantas exóticas e... insetos! O que para alguns era motivo de repulsa, para ela era material de pesquisa. Seu olhar e paciência em acompanhar o processo de metamorfose das borboletas revolucionou a maneira como esses animais foram compreendidos. A vida de Maria nos fala sobre determinação, coragem e persistência.

Um pouco sobre a encenação
A criação da encenação e dramaturgia do espetáculo foram feitas a partir de duas linhas: a vida de Maria Sybilla Merian, suas reviravoltas, desafios e criações; e a vida invisível dos insetos tornada visível pelo trabalho e pela imaginação de Maria. Hoje, mais do que nunca, se sabe da importância dos insetos para a manutenção de qualquer ecossistema. E infelizmente sua gradual diminuição vem preocupando muitos cientistas. A habilidade da cientista e ilustradora ao retratar detalhes em seus desenhos em oposição ao tamanho real dos insetos que ela observava cria uma relação interessante de inversão de perspectiva que foi explorada em cena.

A concretude do trabalho da entomologista está no palco: a persistência, a resiliência diante dos desafios, o talento para registrar artisticamente esse trabalho, a atenção e observação apuradas. Maria, atenta ao maravilhoso mundo que observa, também parece brincar com o lúdico, seus desenhos, que podem ter parecido vir de sonhos malucos, possibilitaram que muitos pudessem enxergar o que antes era invisível.

Quem foi Maria Sibylla Merian
Nascida na Alemanha em 1647, Maria Sibylla Merian combinou ciência e arte para se tornar uma das maiores ilustradoras científicas de todos os tempos. Desde jovem, ela começou a coletar insetos para estudar seu comportamento. O padrasto ensinou-a a pintar, habilidade que ela usou para ilustrar os diferentes estágios da vida de seus insetos favoritos. Maria se interessava especialmente pelas borboletas. Na época, ninguém entendia realmente a conexão entre as lagartas e as borboletas. Em 1679, ela publicou um livro sobre metamorfose, repleto de anotações científicas e ilustrações.

A partir daí, a vida de Maria mudou drasticamente. Ela deixou o marido e levou a mãe e suas duas filhas para a Holanda. Elas se juntaram a um grupo religioso estrito que tinha laços com uma colônia holandesa na América do Sul, o Suriname. O grupo religioso mal administrado acabou se desfazendo, mas o interesse de Maria pelo Suriname permaneceu. Aos 52 anos de idade, curiosa a respeito dos novos insetos, Maria desbravou as florestas da América do Sul. Ela documentou insetos nunca vistos antes e enfrentou os perigos da chuva e do calor. Infelizmente, a viagem terminou antes do previsto, pois ela contraiu malária e teve que voltar à Europa. Mas ela já tinha feito as ilustrações de que precisava para criar seu maior livro. “A metamorfose dos insetos do Suriname” foi publicado em 1705 e se tornou um sucesso em toda a Europa. O trabalho de Maria ajudou os cientistas futuros a classificar e entender os insetos. Suas ilustrações belas e detalhadas surpreendem e ensinam pessoas até hoje.

Por que contar essa história? Pela Companhia Delas de Teatro
“As mulheres são praticamente metade de nossa população e simplesmente não podemos nos dar ao luxo de ignorar esse poder cerebral: o progresso da humanidade depende de nossa busca contínua pelo conhecimento. Mulheres como Mary Anning e Maria Sybilla Merian provam ao mundo que não importa o gênero, a raça ou os antecedentes: qualquer pessoa pode realizar coisas grandiosas. O legado delas está vivo. Hoje, mulheres de todo o mundo continuam arriscando tudo para descobrir e explorar. Celebremos essas desbravadoras para que possamos inspirar a próxima geração. Juntas, podemos continuar do ponto em que elas pararam e seguir na busca do conhecimento. Acreditamos no poder de espalhar histórias inspiradoras como essa e em contribuir para a transformação dessa realidade. Essa é nossa parte nesse trabalho de formiguinha”.

Sobre a Companhia Delas de Teatro
A Companhia Delas de Teatro é um grupo de produção e pesquisa teatral criado em 2001. Formado apenas por atrizes (Ciça Magalhães, Fernanda Castello Branco, Julia Ianina, Paula Weinfeld e Thais Medeiros), são elas as idealizadoras, produtoras e coordenadoras de todo o processo de criação de seus trabalhos. Com 11 espetáculos em seu repertório, a Companhia já trabalhou sob a direção artística de Rhena de Faria, Silvana Garcia, Eric Lenate, Nelson Baskerville, Carla Candiotto, Mira Haar, Ana Roxo, Marco Antonio Rodrigues, entre outros. Ao longo de 18 anos de atuação, a Companhia acumula 14 indicações e 7 prêmios entre APCA, Shell, PANAMCO, Coca-Cola FEMSA, Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem.  Dentre seus espetáculos infantis estão: “Mary e os Monstros Marinhos”, com a direção de Rhena de Faria (Prêmio APCA de 2018 de Melhor Espetáculo de Texto Original, indicado em 9 categorias no Prêmio SP de estímulo ao teatro Infantil e jovem); “A famosa invasão dos ursos na Sicília”, inspirado no romance homônimo de Dino Buzzati, com a direção de Carla Candiotto (Prêmio APCA 2014 de Melhor Elenco de espetáculo infantil, indicado em 4 categorias no 1o Prêmio São Paulo); “Histórias por Telefone”, a partir do livro de Gianni Rodari, com a direção de Carla Candiotto (APCA 2011 de Melhor Espetáculo; Prêmio APCA 2011 de Melhor Direção e Prêmio Coca-Cola FEMSA 2011 de Melhor Direção); “Quase de Verdade”, baseado na obra de Clarice Lispector com direção de Ulisses Cohn (Prêmio APCA 2001 de Melhor Espetáculo Adaptado).

Ficha técnica
Direção: Thaís Medeiros. Dramaturgia Original: Fernanda Castello Branco, Julia Ianina, Paula Weinfeld e Thaís Medeiros. Elenco: Fernanda Castello Branco, Julia Ianina e Paula Weinfeld. Direção de Arte: Mira Haar. Iluminação: Wagner Freire. Trilha sonora original e sonoplastia: Arthur Decloedt. Gravações de campo: Projeto Sonora – MIHNA (Museu Imaginário de História Natural da Amazônia). Preparação corporal: Mauricio Flórez. Consultora de biologia: Profa. Me. Elaine Machado. Vídeo "Metamorfose": Cia. Pavio de Abajour. Aderecista: Carlos Rebecca. Flipbook: Victor Merseguel. Animação imagens Flipbook: André Catoto. Modelagem e costura: Ateliê Judite de Lima. Chapéus: Juliano Lopes. Pintura piso e cavaletes: Fabin Cenografia. Design painel e material gráfico: Lorota. Design reproduções e estudos: Theo Haar de Souza. Cenotécnico: Mateus Fiorentino Nanci. Contrarregra: Jean Marcel Silva. Assistente de iluminação: Alessandra Marques. Operação de Luz: Sylvie Laila. Vozes: Carlos Moreno, Luiza Lian e Mira Haar. Operação de som: Samuel Gambini. Assessoria de imprensa e redes sociais: Pombo Correio. Fotografia e vídeo "Metamorfose": Ligia Jardim. Apoio institucional: Goethe-Institut. Produção executiva: Cecília Magalhães. Idealização e produção geral: Companhia Delas de Teatro.

Serviço
"Maria e os Insetos"
Temporada: de 1 a 29 de fevereiro, sábados às 11h. Local: Teatro Anchieta (280 lugares). Duração: 60 minutos. Classificação: livre. Ingressos: R$ 6 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculados no Sesc e dependentes/Credencial Plena) | R$ 10 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e servidor de escola pública com comprovante) | R$ 20 (inteira) | Grátis para crianças até 12 anos.

Sesc Consolação
Rua Doutor Vila Nova, 245, Consolação - São Paulo. Outras informações: (11) 3234-3000. Site: sescsp.org.br. Redes sociais: Facebook, Twitter e Instagram.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.