quarta-feira, 13 de maio de 2020

.: #ResenhaRápida com Bruna Longo, atriz: "Tudo me inspira"


Por Helder Moraes Miranda Mary Ellen Farias dos Santos, editores do Resenhando.


Bruna Longo é uma mulher aguerrida não só pela trajetória brilhante, mas pela força das personagens que representa. Atriz, pesquisadora corporal, dramaturga, a trajetória dela fala por si só: é uma artista multifacetada. Mestre em Movement Studies pela Royal Central School of Speech and Drama - University of London, no Reino Unido.

Atuou e dirigiu diversas peças teatrais. No ano passado, protagonizou o espetáculo "Criatura, Uma Autópsia", fruto de dois anos de pesquisas dentro e fora da sala de ensaio. É também preparadora corporal e diretora de movimento, tendo trabalhado em projetos na Europa, Brasil e Estados Unidos. 

Nesta entrevista, concedida no início do ano, Bruna Longo revela-se um pouco mais para o público que a admira. Saber mais sobre ela nunca é demais. Saber sobre artistas como ela sempre é necessário. Ainda mais em tempos em que a arte precisa sobreviver.

Nome completo: Bruna Fernanda de Lima Longo.
Apelidos: Bruni e Pi.
Data de nascimento: 18 de janeiro de 1979.
Qualidade: perseverança.
Defeito: intransigência.
Signo: Jerzy Grotowski.
Ascendente: Giulietta Masina.
Uma mania: fazer lista de tarefas e desejos.
Religião: budista.
Time: nenhum.
Amor: um exercício.
Sexo: sim.
Família é: quem te apoia incondicionalmente.
Ídolo: não tenho, nem acredito em ídolos.
Inspiração: tudo me inspira.
Arte é: canal para compreender e expressar a vida. 
Brasil: país adolescente e sem consciência histórica.
Fé: não uso essa palavra. 
Deus é: uma invenção humana.
Política é: toda interação humana.
Hobby: astronomia.
Lugar: Londres.
Prato predileto: Parmigiana.
Sobremesa: arroz doce.
Fruta: cereja.
Cor favorita: preto.
Medo de: não realizar tudo o que quero.
Uma peça de teatro: "aux pieds de la lettre", cie. dos a deux.
Um show: Metallica, sempre.
Um ator: Buster Keaton.
Uma atriz: Giulietta Masina.
Um cantor: Caetano Veloso.
Uma cantora: Fiona Apple.
Um escritor: Manoel de Barros.
Uma escritora: Jane Austen.
Um filme: "O Poderoso Chefão I" e "II".
Um livro: "Fragmentos de Um Discurso Amoroso", Roland Barthes.
Uma música: "Boots of Spanish Leather", de Bob Dylan.
Um disco: "Elis & Tom".
Um personagem: Antigone.
Uma novela: não vejo.
Uma série: "Penny Dreadful".
Um programa de TV: "Cosmos" (BBC).
Um podcast: "Making sense", com Sam Harris.
Uma saudade: Meus avós.
Algo que me irrita: atrasos.
Algo que me deixa feliz é: bom teatro.
Digo sim a: convites para teatro.
Digo não a: qualquer coisa que fira alguém.
Sonho: que artistas sejam respeitados nesse país.
Futuro: muitos espetáculos a fazer.
Morte é: fim.
Vida é: tempo presente.
Uma palavra: entusiasmo.
Ser atriz é: vocação.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.