domingo, 12 de julho de 2020

.: #ResenhaRápida: Tico Santa Cruz é rock na veia e na alma


Por 
Helder Moraes Miranda e Mary Ellen Farias dos Santos, editores do Resenhando
Tico Santa Cruz no Rock In Rio 2019. Foto: Marcos Hermes.

Nesta segunda-feira, dia 13 de julho, é o Dia Mundial do Rock e, neste domingo, nós temos a honra de trazer Tico Santa Cruz, vocalista da banda Detonautas Roque Clube. Logo, é impossível separá-lo deste gênero musical. À frente da banda, lançou vários álbuns de estúdio e ao vivo e muitos sucessos, como "Outro Lugar" e "Quando o Sol se Por", além de várias trilhas sonoras nas novelas brasileiras.

Explosivo, genuíno e extremamente relevante, Tico dá o seu recado seja na  música, seja na política, quando fala sem rodeios do Brasil de hoje. Mas antes de tudo, ele é puro rock na veia e na alma, um ser pensante que exala inteligência e lucidez no meio musical. A coragem de Tico o fez participar de uma das edições do reality show "A Fazenda", o que o deixou ainda maior e mais conhecido. Nesta entrevista exclusiva, que comemora o rock como uma maneira de ver e viver a vida, ele fala francamente a respeito de vários assuntos.


#ResenhaRápida com Tico Santa Cruz

Nome completo: Luis Guilherme Brunetta Fontenelle de Araujo. 
Apelido: Tico.
Data de nascimento: 30 de setembro de 1978.
Altura: 1.80m.
Qualidade: disciplina.
Defeito: impulsividade.
Signo: libra.
Ascendente: libra.
Uma mania: escrever.
Religião: agnóstico.
Time: Grêmio.
Amor: revolução.
Sexo: vida.
Mulher bonita: minha esposa.
Homem bonito: eu.
Família é: construção diária.
Ídolo: Raul Seixas.
Inspiração: livros.
Arte é: amor.
Brasil: mostra tua cara.
Fé: no pensamento positivo.
Deus é: bondade.
Política é: democracia.
Hobby: exercícios físicos.
Lugar: estrada.
O que não pode faltar na geladeira: comida.
Prato predileto: pizza.
Sobremesa: pudim.
Fruta: morango.
Bebida favorita: tantas.
Cor favorita: preto.
Medo de: ter medo.
Uma peça de teatro: "Alma Imoral", de Nilton Bonder.
Um show: Roger Waters.
Um ator: Wagner Moura.
Uma atriz: Katheryn Winnick.
Um cantor: Renato Russo.
Uma cantora: Adele.
Um escritor: José Saramago.
Uma escritora: Florbela Espanca.
Um filme: "Matrix" - trailer neste link.
Um livro: "O Evangelho Segundo Jesus Cristo", de José Saramago - compre neste link.
Uma música: "Há Tempos" - Legião Urbana - ouça neste link.
Um disco: "Blood Sugar Sex Magic" - Red Hot Chilli Pepers - ouça neste link. Compre neste link.
Um personagem: Walter White, de "Breaking Bad".
Uma novela: "Roque Santeiro", de Dias Gomes e Aguinaldo Silva.
Uma série: "Ozark".
Uma saudade: Japão.
Algo que me irrita: injustiça.
Algo que me deixa feliz é: estar no palco.
Uma lembrança querida: nascimento dos meus filhos.
Um arrependimento: escolha da música de trabalho do terceiro disco do Detonautas.
Se pudesse ressuscitar qualquer pessoa do mundo seria... Jesus, para provar que estão usando o nome dele de forma errada.
Não abro mão de: liberdade.
Um sonho: viver de música pra sempre.
Palavra favorita: conhecimento.
Música em uma palavra: espírito.
Fome de quê? Justiça social.
Nojo de quê? Autoritarismo.
Se tivesse que ser um bicho, eu seria: gato.
O que seria se não fosse músico: bombeiro.
Ser músico é: transgredir.
"A Fazenda" em uma palavra: louco.
Voltaria a participar de reality showsDepende do reality.
Ser homem, hoje, é: desconstruir conceitos machistas.




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.