sábado, 12 de setembro de 2020

.: “Diários de Wuhan”, o livro que viralizou na web e foi proibido na China

Publicado como web diário, o livro é mais que um relato dos fatos, mas dos sentimentos, das reações das pessoas na cidade-epicentro da pandemia.

Janeiro de 2020. Um vírus desconhecido assola uma pequena cidade chinesa chamada Wuhan. Ninguém sabe exatamente como combater a contaminação, que avança rápido e ameaça ultrapassar as barreiras do país. Medo. Incerteza. Desinformação. Em meio a essa pandemia uma voz surge para narrar os acontecimentos em tempo real, numa espécie de diário online diretamente da cidade onde tudo começou. Fang Fang queria dividir não apenas com seus vizinhos, mas com o mundo, como era fazer parte de um momento tão assustador.

A Faro Editorial lança este mês um dos livros que mais tem causado polêmica na China e tem levantado um exército de trolls na internet para tentar encobrir o que a escritora Fang Fang relatou em seus “Diários de Wuhan”. Construído em uma narrativa de diário em tempo real, Fang Fang dividiu com o mundo como foi viver os momentos aterrorizantes de uma pandemia, sem informação, sem ajuda, e ainda com o risco de ser calada.

Fang Fang – pseudônimo da premiada escritora chinesa Wang Fang - começou a relatar, em uma espécie de diário online, o que estava acontecendo na cidade de Wuhan. A região havia acabado de decretar lockdown por conta de um vírus desconhecido e altamente contagioso. Municiada de informações desencontradas e de medo, Fang decidiu escrever esses textos como uma forma de relatar o que era descoberto ao longo dos dias, os erros e os acertos no combate ao vírus e como estava a rotina dos cidadãos confinados.

Mas, o relato verdadeiro e pessoal de Fang acabou despertando a ira do Partido Comunista em Pequim, que derrubou suas postagens, proibiu a publicação dos textos em livro e iniciou uma forte campanha de desmoralização da escritora pela internet. De desabafo de uma cidadã comum a acusação de ficção orquestrada pelo Ocidente, “Diários de Wuhan” apresenta um cenário visceral do que foi a descoberta do vírus Covid-19 na cidade do seu epicentro e como os cidadãos e governantes de Wuhan lidaram, ou não, com o que acontecia ali.

Ao reivindicar o dever de registrar os fatos, ela também se manifesta contra a injustiça social, abuso de poder e outros problemas que tornaram a epidemia uma catástrofe. Enquanto a autora documenta, em tempo real o início da crise, somos capazes de identificar padrões e erros que estão sendo repetidos em todo o planeta.

Sobre a autora:
Fang Fang é o pseudônimo de Wang Fang, escritora chinesa premiada. Nasceu em Nanjing, província de Jiangsu e foi para a Universidade Wuhan em 1978 para estudar literatura chinesa. Em 1975, começou a escrever poesia; em 1982, lançou seu primeiro romance e em 1987, sua obra-prima "Feng Jing", conquistando inúmeros prêmios. Você pode comprar o livro neste link.




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.