quarta-feira, 14 de outubro de 2020

.: Yan Carpenter: O ensaio da classe operária em meio a pandemia

Jovem que viralizou foto de ônibus lotado fará exposição "Rodo Cotidiano" em São Paulo

Sabe aqueles dias que a gente acha que não deveria ter saído da cama? Foi em um desses, sentindo-se insatisfeito e sem propósito, que Yan Carpenter viu sua vida mudar. Fotógrafo e historiador por formação, Yan trabalhava em uma hamburgueria no Rio de Janeiro para comprar o pão de cada dia, e fazia ensaios fotográficos como "bico". Estudou sites de moda, fez cursos para aperfeiçoar o uso de luz e cores. Mal sabia que o retorno por toda sua dedicação estava mais perto do que ele mesmo podia imaginar.

Em um dia comum, saindo do trabalho, Yan fez seu percurso rotineiro: entrou no BRT e seguiu viagem para casa. Fez uma foto e postou a triste e real situação dos brasileiros em meio a pandemia e, em 15 minutos, sua vida mudou. Noticiários, personalidades, todos queriam saber quem era o autor da foto que foi compartilhada milhares de vezes nas redes sociais, como o "Avião do Trabalhador". Aquele dia amargo e sem esperança significou um ponta pé de uma nova jornada. Aos 26 anos, Yan apresentará sua primeira exposição fotográfica, apadrinhado por Carol Maluf, já com 6 das 18 obras vendidas. Mudou-se para São Paulo contratado pela Gerando Falcões para fotografar e registrar a história do instituto, e fez seu primeiro ensaio com ninguém menos que Marina Ruy Barbosa. "Yan é antes de mais nada um artista, e não um ativista social. Ele coloca o seu talento e o seu olhar à serviço da sociedade. Como um Sebastião Salgado urbano ele relata e aponta" comenta Carol Maluf.

"Eu sempre busquei por oportunidades, me dediquei muito ao meu sonho e tenho certeza que esse convite surgiu porque eu estava preparado para encarar qualquer desafio", comenta Yan. Ele complementa dizendo que sempre foi desconfiado, mas sentiu confiança para dar esse passo. "Foram longas conversas para que eu entendesse esse mundo novo que se abria para mim", finaliza.

A foto no ônibus lotado lhe rendeu muitas outras sob a mesma narrativa: o retrato da classe trabalhadora do país durante a pandemia. São esses os protagonistas de suas fotos, aqueles que não tiveram um dia de suas rotinas alteradas. Das 18 obras feitas pelo artista, 8 estarão em exposição a partir do dia 19 de outubro, no restaurante Figueira Rubaiyat, com valores entre 2 e 3 mil reais com parte da renda revertida para a Gerando Falcões. Após o evento as peças estarão disponíveis no @artchallengecestou com 50% do valor destinado a instituição.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.