terça-feira, 20 de outubro de 2015

.: Crônica: A condição do cego e do desprestigiado

Por: Mary Ellen Farias dos Santos 
Em outubro de 2015 



Entre as muitas coisas ruins de se passar na vida está o desprestígio. A pior coisa que se pode receber de qualquer pessoa. Sem dúvida! É como se você não existisse ou ocupasse um espaço que, de tão pequeno, é insignificante.

Embora você lute pelo bem do outro, nunca é percebido. Afinal, você não existe. Não é mesmo?


Lá está você ajudando, tentando caminhar junto, mas não é enxergado. Tudo o que foi feito e ainda se faz não tem qualquer valor. Ah! Que desprestígio!!

Assim, segue a lei do cada um por si. Quem faz quer ser percebido e valorizado pelo outro que permanece cego na condição de único sofredor. Como se você estivesse arrastando o outro para o mesmo caminho. 


Triste, mas é uma grande realidade.


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm 


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.