quarta-feira, 14 de setembro de 2016

.: 14º Curta Santos anuncia filmes selecionados

Estão definidos os 15 curtas-metragens que representarão a produção nacional no 14º Curta Santos – Festival de Cinema de Santos, pela mostra Olhar Brasilis. O festival acontece entre os dias 26 de setembro e 1º de outubro, em diversos espaços da cidade do litoral paulista.

Os trabalhos selecionados pela equipe de curadores formada por Edson Delmiro, professor de audiovisual da Unimonte e por Junior Brassalotti e Raquel Pellegrini, diretor de produção e diretora técnica do festival, respectivamente.

As produções são oriundas de oito estados brasileiros e contemplam um significativo recorte do que atualmente está sendo produzido no país no segmento audiovisual. São elas:

"Aqueles Anos Em Dezembro"
Direção: Felipe Arrojo Poroger | documentário | São Paulo (SP) |p&b| 18’00” | 2016 | Livre
Sinopse: Um filme que não pôde ser feito. Uma cidade que se refaz. Entre eles, a histórias de avós e seus dezembros.

"Cine Paissandu: Histórias de Uma Geração"
Direção: Christian Jafas | documentário | Rio de Janeiro (RJ) | cor | 15’00” | 2013 | 10 anos | Sinopse: Documentário sobre o cinema que formou a geração Paissandu, nos anos 60, e o impacto cultural e social desse período para a história do país. 

"Pobre Preto Puto"
Direção: Diego Tafarel | documentário | Santa Cruz do Sul (RS) | cor | 15’00” | 2016 |12 anos | Sinopse: Nei Dogum é batuque, é sexo e é negritude. É amor e contradição. Um guerreiro das causas negras, gays e transexuais. Ele é a própria causa. Auto define-se: “pobre, preto, puto”.
Sob Águas Claras E Inocentes
Direção: Emiliano Cunha | ficção |Porto Alegre (RS) | cor | 17’20” | 2016| 10 anos
Sinopse: As últimas horas de um sujeito numa cidade que não mais o aceita. Sozinho e irrelevante, despede-se daqueles que ama, enquanto reconstrói sua identidade e encontra a redenção e o renascimento ao mergulhar, Livre, em águas claras e inocentes. Uma carta para nossa pátria mãe em seu leito de morte.

"Cordilheira de Amora II"
Direção: Jamille Fortunato | documentário | Campo Grande (MS) | cor | 12’00” | 2015 | Livre Sinopse: uma índia guarani kaiowá, Cariane Martines de 9 anos, transforma seu quintal num experimento do mundo. Ela cria histórias e personagens que alargam sua solidão em brincadeiras, sonhos e projetos. Um documentário espontâneo, filmado com celular na aldeia Amambai (MS), fronteira do Brasil com o Paraguai.

"Xavier"
Direção: Ricky Mastro | ficção | São Paulo (SP) | cor | 13’00” | 2016 | Livre
Sinopse: Nicolas começa a perceber que a atenção de seu filho, Xavier, de 11 anos, não está mais só nas baquetas de sua bateria, mas se volta também para outros meninos.

"Abissal"
Direção: Arthur Leite | documentário | Quixeré e Fortaleza (CE) | cor | 17’00” | 2016 | Livre
Sinopse: Partindo do projeto de pesquisar a vida de um avô que nunca conheceu, o cineasta começa a investigar a história da própria família. Quanto mais mergulha nela, mais se afasta da ideia original, percebendo que a personagem, na verdade, é sua avó, Rosa – que, diante de uma câmera, dispõe-se a fazer revelações inesperadas sobre esse passado desconhecido.

"O que Teria Acontecido ou Não Naquela Calma e Misteriosa Tarde de Domingo no Jardim Zoológico"
Direção: Allan Souza Lima e Gugu Seppi| ficção | Rio de Janeiro (RJ)| cor | 15’00” | 2015 | 14 anos
Sinopse: Ian é um homem de meia idade obrigado a conviver com a freqüente e incontestável frustração de não ter realizado nenhum de seus sonhos. Um inesperado encontro com Otto acaba por tirar Ian, violentamente, de sua até então constante e imutável zona de conforto.

"Mundo 42"
Direção: Sergio Kieling | ficção | São Paulo (SP) | cor | 15’57” | 2016 | 12 anos
Sinopse: Samuel é um homem comum, de hábitos simples. Mas ninguém imagina que ele sai de casa aos domingos com a desculpa de trabalhar e se hospeda num hotel com o nome de Isidoro. Por quê?

"Tem Alguém Feliz Em Algum Lugar"
Direção: Álvaro Furloni e Mário Furloni | ficção | Rio de Janeiro (RJ) | cor | 18’33” |2015 | 16 anos Sinopse: Miguel é um jovem deficiente auditivo. Elisa é uma mulher solitária, que mora no edifício em que Miguel trabalha. Um dia, Miguel encontra uma porta aberta e decide entrar.

"A Vida Tem Dessas Coisas"
Direção: Januário Jr. | ficção| Paranoá (DF)| cor |17’00” | 2016 | 14 anos
Sinopse: uma ligação interurbana via orelhão, entre mãe e filho precisa acontecer. porém, entre os dois, existe um mundo de circunstâncias e de fatos que vai além da distância que os separam, das coisas que essa distância não os permite vivenciar e das surpresas do destino.

"Pulso"
Direção: Felipe Aufiero Fonseca | ficção | Curitiba (PR) | cor | 15’00” | 2016 | Livre
Sinopse: no espaço profundo, isolados, Adão e Eva, diante da fogueira sagrada, sonham com o paraíso. Desejo, amor, esperança e uma escolha.

"Para Salvar Beth"
Direção: Theodoro Cochrane e Alan Medina | ficção | São Paulo (SP) |cor | 19’00” |
2016 | Livre |
Sinopse: Um homem vê sua vida ser modificada ao ser contratado para levar uma cachorrinha a sessões de tratamento em uma clínica veterinária. Essa nova relação interfere em seu próprio casamento e na sua maneira de ver o mundo.

"O Golpe"
Direção: Filippo Capuzzi Lapietr| ficção | São Paulo (SP) | cor |17’00” | 2015 | Livre
Sinopse: O golpe conta a história de Paulo, que em débito com um perigoso agiota, arquiteta um golpe para obter dinheiro.

"Restos"
Direção: Renato Chagas Gaiarsa | ficção | Salvador (BA) | cor | 16’00” | 2016 | 12 anos
Sinopse: A cidade de Salvador passa por uma inesperada paralisação do serviço de limpeza pública. O apodrecimento gradual da cidade devido à greve e a reverberação desta situação aparecerão sob o olhar do gari Souza, cidadão humilde que não tem consciência de classe, mas cujo poder parece crescer a cada novo saco de lixo que se acumula em montanhas cidade afora.

A 14ª edição
Consolidado como um dos mais importantes eventos do gênero no país, o Curta Santos mapeia o atual panorama da produção audiovisual em curta-metragem, proporcionando um diálogo entre os realizadores e fortalecendo o pólo de produção e exibição local, fundamental para formação de público. 

“Estamos diante de uma produção inquieta, sem amarras, Livre nas suas formas de expressão e linguagem, estética e de gêneros, que abarca novos formatos e gera novas posturas, análises e conteúdos. O Curta Santos celebra, revigora e oxigena a produção independente, que exige um olhar mais acurado para que sua realidade seja entendida”, afirma Ricardo Vasconcellos, que assina a direção executiva do festival ao lado de Junior Brassalotti.

A programação prevê ainda mostras especiais, oficinas e debates, além das tradicionais noites de abertura e premiação.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.