sexta-feira, 3 de março de 2017

.: Resenha crítica de "Logan", o melhor filme da franquia Wolverine

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em março de 2017



Não há dúvida de que Wolverine é o X-Men mais amado. Contudo, a franquia dos filmes próprios não foi impactante, apenas spin-offs para levar os fãs aos cinemas e lucrar. Eis que "Logan", não segue a fórmula batida, muito pelo contrário, apresenta um roteiro que muitos fãs sempre desejaram. Sim! "Logan" é cheio de reviravoltas. Não somente as já apresentadas no trailer, mas detalhes e pancadarias que fazem toda a diferença na trama.

Antes que lágrimas corram de seus olhos, por sentir saudade de Wolverine, é bom lembrar que a narrativa se passa em 2029 e que o mutante querido tem a força X. Logo, tudo ainda pode acontecer. Não se desespere! 
Hugh Jackman pode apenas dar um tempo. Afinal, ser Wolverine há 17 anos, não é para qualquer um. Logan é o herói selvagem e como ele diz: "Eu sou o melhor no que faço, mas o que faço não é nada bonito".

De fato, a produção "Logan" é animalesca e consegue ser belíssima. Embora seja uma história do futuro e mostre o declínio dos mutantes, há um charme no enredo. Resultado: Por vezes, fica a sensação de não ser um filme de herói de história em quadrinhos. Wolverine está mais humano do que nunca! Como lidar com isso? Até a trilha sonora tem sua parcela na contextualização da trama heroica e humana. Eis o ponto alto do longa  dirigido por James Mangold. 


A essência bruta de Wolwerine permanece e até mais forte, porém a fragilidade do homem que foi usado como experiência, também tem chance para aparecer. Como? O poder de auto-cura dele diminuiu ao longo dos anos e, ao assumir a posição de chofer, acaba se rendendo ao álcool. Total decadência! Entretanto, o cansado Logan cuida do doente Professor Xavier (Patrick Stewart) em um esconderijo na fronteira mexicana, recebendo a ajuda de Caliban (Patrick Stewart). 

Em mais um dia de trabalho, o motorista Logan é surpreendido por uma mulher que pede para conduzir uma menina chamada Laura para a fronteira canadense. Como o convence? Oferecendo uma grande quantia em dinheiro. Sim! Logan precisa de dinheiro. É assim que o enredo ganha uma força contagiante. É impossível desgrudar os olhos da tela, seja para pegar uma pipoca ou um chocolate que seja. 

Para apimentar a narrativa de "Logan", a verdade é que uma organização trabalhou na transformação de crianças mutantes em assassinas. Assim, Wolverine, seguindo o pedido do Professor Xavier, passa a proteger a jovem e poderosa Laura Kinney (Dafne Keen), conhecida como X-23. Enquanto Logan tenta lidar com tamanha novidade, Nathaniel Essex (Boyd Holbrook) faz bem o papel de vilão. Entretanto, ver mais de uma vez Hugh Jackman lutando com ele mesmo (Dentes-de-Sabre) é de balançar qualquer estrutura.  "Logan" é o tipo de filme para ser visto no cinema. É imperdível!

OBSERVAÇÃO: Não há cena após os créditos!



Pré-estreia no Cine Roxy: A sessão exibida no Cine Roxy Gonzaga, no dia 1º de março, às 20 horas teve direito a interação dos fãs presentes que vibraram com cada reviravolta na trama, riram com as falas cômicas e aplaudiram aquele que sempre será o mais forte e amado X-Men.


Filme: Logan (Logan, 
Ano: 2017 
Gênero: Ficção científica/Drama 
Duração: 2h 21m
Data de lançamento: 2 de março de 2017 (Brasil)
Direção: James Mangold
Música composta por: Marco Beltrami
Roteiro: Michael Green, David James Kelly
Elenco: Hugh Jackman, Dafne Keen, Patrick Stewart, Richard E. Grant, Boyd Holbrook, Stephen Merchant


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm





Sobre o Cine Roxy: Em oito décadas, o Roxy é caso raro de cinema que acompanhou a transformação da maneira de se exibir um filme: dos primeiros e grandes rolos de película ao sistema digital. A rica trajetória se deve à perseverança e o senso empreendedor da família Campos: de pai para filho, chegou ao atual diretor do Roxy, Antônio Campos Neto, o Toninho Campos. A modernização, aliada à tradição, transformou o Roxy no principal cinema do litoral paulista, fato que rendeu a Toninho o Prêmio ED 2013 na categoria Exibição -Destaque Profissional de Programação, considerado o principal do país nos segmentos de exibição e distribuição. E o convite para ser diretor cultural do Santos & Região Convention Visitors Bureau.



 Trailer de "Logan"


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.