segunda-feira, 1 de novembro de 2004

.: Entrevista com Moacyr Scliar, escritor, autor de "O Carnaval dos Animais"

"Gosto da ficção que tenha humor e imaginação" - Moacyr Scliar


Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em novembro de 2004


Moacyr Jaime Scliar nasceu em Porto Alegre, no dia 23 de março de 1937. Começou seus estudos na Escola de Educação e Cultura, também conhecida como Colégio Ídiche, onde sua mãe chegou a lecionar.

Em 1955 foi aprovado no vestibular de medicina pela faculdade de medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e exerceu tal profissão junto ao Serviço de Assistência Médica Domiciliar e de Urgência (SAMDU). Após publicar seu primeiro livro, Histórias de Médicos em Formação (1962), não parou mais de escrever histórias maravilhosas para todo o público, desde de crianças a adultos.

Desta forma tornou-se um autor de mais de 30 obras entre romances, ensaios, contos e artigos. Tem traduções de seus livros em vários idiomas, entre eles, alemão, francês, espanhol, inglês, italiano, hebraico e sueco. Saiba mais sobre o escritor Moacyr Scliar!


RESENHANDO - Como foi para você receber, em 1968 - Prêmio da Academia Mineira de Letras, quando havia ingressado na literatura á pouco tempo? 
MOACYR SCLIAR - Foi muito importante. O prêmio foi para o meu segundo livro, "O Carnaval dos Animais" (contos) que representava para mim mesmo um desafio. É que eu estava insatisfeito com meu primeiro livro, "Histórias de médico em formação", uma coletânea de contos sobre minhas vivências como estudante de medicina que, relendo, me pareceu uma obra de principiante, com muitas falhas. Eu havia decidido que meu destino como escritor dependeria de "O Carnaval". O livro foi bem recebido, ganhou prêmios como o mencionado e, mais importante, resistia à minha própria releitura. Fui em frente...


RESENHANDO - Qual o seu estilo literário preferido? 
MOACYR SCLIAR - Gosto da ficção que tenha humor e imaginação.


RESENHANDO -  Entre os seus mais de 60 livros publicados qual prefere? Porque? 
MOACYR SCLIAR - Pergunta difícil de responder: é o mesmo que perguntar a um pai de que filho gosta mais (para mim não é problema: só tenho um filho). Mas gosto muito de "O Centauro no Jardim", "A Majestade do Xingu" e "A Mulher que escreveu a Bíblia". Além dos contos.



RESENHANDO -  Como é produzir livros voltados para o público infantil? 
MOACYR SCLIAR - Exige uma sensibilidade especial. O importante é recuperar a criança que existe dentro de cada um e dialogar com ela.


RESENHANDO - Em 31 de julho de 2003 você foi eleito, por 35 dos 36 acadêmicos com direito a voto, para a Academia Brasileira de Letras, na cadeira nº 31, ocupada até março de 2003 por Geraldo França de Lima. Qual a sensação de estar entre os imortais da literatura? 
MOACYR SCLIAR - O aspecto mais importante, para mim, é o fato de ser um escritor gaúcho. O RS tinha um trauma com a ABL desde que o nosso grande poeta Mario Quintana foi derrotado duas vezes em eleições. Quando me pediram que me candidatasse hesitei muito, mas não havia como recusar. Candidatei-me meio apreensivo mas o resultado final não deixou dúvidas.


RESENHANDO - Como você interpreta a palavra "imortais", muito empregada para o escritores que fazem parte da Academia Brasileira de Letras? 
MOACYR SCLIAR - Não a levo muito a sério. Imortalidade é uma metáfora, não a realidade.


RESENHANDO -  Qual foi o momento mais marcante na sua carreira de escritor? 
MOACYR SCLIAR - Vou falar em momentos: são aqueles em que me ocorrem uma boa idéia ou quando eu termino um texto que considero satisfatório


RESENHANDO -  Após o reconhecimento, o que a literatura representa na sua vida? 
MOACYR SCLIAR - É uma realização pessoal e é uma forma de relação com as pessoas: ofereço-lhes o melhor que sei fazer e fico contente quando um leitor diz que gostou de um livro ou de um texto que escrevi.



RESENHANDO - Quais os escritores que lhe influenciaram na escrita? Qual deles é referência para você até hoje? 
MOACYR SCLIAR - No início de minha carreira, Érico Veríssimo e Jorge Amado; depois, Guimarães Rosa, Clarice Lispector, Graciliano Ramos. Todos eles são referência, ainda hoje.


RESENHANDO - Entre os novos escritores, qual nome destaca? Por quê? 
MOACYR SCLIAR - Não saberia dizer. Não consigo acompanhar todos os lançamentos, tenho medo de injustiças ou omissões.



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: 
@maryellenfsm

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.