sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

.: CCXP 2018: um pouco da minha primeira experiência com o épico

Foto: Helder Moraes Miranda


Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em dezembro de 2018


Não é segredo que desejo há muito participar da Comic Con Experience e 2018 foi o ano de tamanha realização, a convite da Ingresso.com. Assim, dia 9 de dezembro, eu e o também editor Helder Miranda subimos a Serra para viver o épico pela primeira vez.

Já na Rodoviária do Jabaquara, caminhamos com grande aglomeração de pessoas até a São Paulo Expo. É até perto, mas como São Paulo não é plana, a caminhada cansa um pouco. Assim, às 10h30 começamos a percorrer o trajeto dos corredores de filas para acessar o evento. Entre pegar a credencial -que já estava encaminhada devido o cadastro feito online- e o efetivo ingresso ao evento, levamos no máximo 40 minutos. 

Ainda na garagem da Santos Expo, após certo sobe e desce, em fila, a contagem regressiva do público, foi tão contagiante, que, sem qualquer controle, eu me arrepiei e lacrimejei. Assim, ouvi o editor me perguntar: Você está chorando? Pura emoção! Enquanto ria, enxuguei as lágrimas que abusadamente não paravam.

Como é delicioso estar em um lugar lotado de pessoas dividindo a mesma paixão!

Lá dentro, já exibindo a credencial com a belíssima ilustração do "Pantera Negra" -Ah, Marvel! Amo tanto!-, a primeira visão que tivemos foi do estande da Brinquedos Estrela. Tantos e tantos Falcons em um espaço só. Eis que, por pura sorte, mas, rapidamente, localizamos o espaço do Omelete. Lá estava o ator Justice Smith, sendo entrevistado. Ele que veio ao Brasil para promover o filme "Pokémon: Detetive Pikachu". Extremamente simpático, mas de barba, pouco lembrava o jovem analista de sistemas que brilha em "Jurassic World: Reino Ameaçado"

A configuração da CCXP é tal qual a Bienal Internacional do Livro de São Paulo, mas com um porém que faz mudar os rumos, facilmente: a galera fazendo cosplay, além de atrativos dos estandes que perambulam pelo evento. Como não tentar seguir o grupo de dinossauros infláveis que andavam pelo público? Impossível! E para dar o xeque-mate um Gandalf magnífico e Os Nazgûl de arrepiar!

Do castelo de "Game of Thrones" até a casa da Joyce (Wynona Rider), a mãe de Will, de "Stranger Things". Tudo salta aos olhos. A distribuição dos cartazes dos filmes faz qualquer um voltar a ser criança. Confesso que há um certo desespero em conseguir ao menos um exemplar de cada. Com ele em mãos, o sentimento de vitória é tamanho!


Selfie básica diante da casa de Joyce Byers


Embora tenha pesquisado para aproveitar a minha estreia na CCXP, lá tive contratempos, desde a impossibilidade de usar o wi-fi grátis da Oi -não consegui conectar em nenhum momento, mesmo grudada no totem da empresa de telefonia-, além da informação errada de uma staff. Eu e o editor, no próprio estande do Omelete, perguntamos se a Sandra Bullock já tinha vindo, pois nesse meio tempo, vimos a Larissa Manoela, na rádio CCXP e o bate-papo com a galera do Porta dos Fundos, ignorando Michael B. Jordan e esquecendo de Zachary Levi -sou dessas!. A resposta da staff foi: Ela só chega às 18 horas. 

Como o relógio nem mesmo marcava 17 horas, decidimos que iríamos ver os funkos. Estávamos certos de que encontraríamos as maiores novidades, além daquele precinho esperto. Ledo engano! E foi aí que acentuamos ainda mais o erro da staff. Em meio a tantas pessoas, a missão impossível é se locomover para o destino desejado. Chegamos no estante antes das 18 horas e havia uma grande quantidade de pessoas direcionadas ao aquário do Omelete e até consegui furar para chegar mais perto. Estranho!

A verdade é que a atriz vencedora do Oscar havia saído dali pouco mais de 10 minutos. Para diminuir o drama, Bullock apareceu no telão, enquanto estava com a galera do painel do Cinemark -espaço em que é preciso dormir no estacionamento da São Paulo Expo para garantir entrada ou, pelo menos, bons lugares. Eis que pensei: Ok! Estou aqui para me divertir, já perdi a Sandra Bullock e não vou poder imaginar o Keanu Reeves ao lado dela!

Decidi que dali não sairia, embora meus pés latejassem de modo compulsivo. Fui com a vontade maior de ver o trio de molecada do "Stranger Things". No empurra-empurra, comendo salgadinhos e bebendo água, ali permaneci até 19h30, quando Noah Schnapp (Will), Sadie Sink (Max) e Caleb McLaughlin (Lucas) abriram a porta, posaram no toten da CCXP e passaram para um bate-papo no aquário do Omelete. Vendo apenas flashes do trio em meio a tantas mãos erguidas -sou baixinha-, ao entrarem e sentarem nos sofás do aquário é que pude vê-los direito, afinal estava pertinho. Sadie é linda, Noah é de boa e Caleb é um amorzinho!

Se eu voltaria ao evento no próximo ano? Sem dúvida!! Qual é a minha dica? Quer ver os gringos? Dê plantão no estande da Omelete!!


CCXP
De 06 a 09 de dezembro de 2018
Local: São Paulo Expo - Rodovia dos Imigrantes, km 1,5 - Água Funda, São Paulo – SP.


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

Um comentário:

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0