sábado, 25 de maio de 2019

.: Crítica: "Terrenal - Pequeno Mistério Ácrata" é um espetáculo refrescante


Por Helder Moraes Miranda, em maio de 2019.


Unindo comicidade, metateatralidade e tragicomédia e excursionando pelo país, "Terrenal - Pequeno Mistério Ácrata" é teatro para pensar. Daqueles em que as pessoas saem do espetáculo e ficam se questionando durante muito tempo. Um tipo de teatro que se faz absolutamente necessário em tempos em que o protesto é uma maneira de tentar combater absurdos propostos por governos despreparados e tiranos. 

Com Celso Frateschi, Sergio Siviero, Dagoberto Feliz e Demian Pinto, que faz a trilha ao vivo no espetáculo, a peça aborda como pano de fundo a história bíblica de Caim e Abel. O texto bíblico do livro de Gênesis conta aquele que é considerado o primeiro assassinato do mundo, no entanto utiliza os conflitos dos dois irmãos antagônicos para falar de assuntos de hoje.

Justiça, riquezas, visão de mundo e, dentro desse contexto, o espetáculo transita entre os antônimos e oferece ao público uma experiência refrescante para a mente - porque faz pensar e, com isso, propor alguma melhora a quem o assiste. Presentes no texto do premiado argentino Mauricio Kartun, hoje um dos mais importantes dramaturgos da Argentina e uma referência no teatro latino-americano (é dele o espetáculo "Ala de Criados", apresentado no Sesc Santos no ano passado, crítica neste link). 

Com tradução de Cecília Boal, a peça une sagrado e profano, bom e mau, esperançoso e soturno para falar sobre assuntos da atualidade. Tudo isso, de maneira muito poética, a partir dos conflitos de dois irmãos que vivem às turras, competindo tanto pela atenção do pai quanto pela propriedade em que vivem. Nesta tragicomédia, dois irmãos habitam o mesmo terreno, comprado pelo pai. A história se passa em um domingo (dia santo), que marca também 20 anos de sumiço de Tata (Celso Frateschi), o pai, que os abandonou ainda pequenos. 

Enquanto Caim (Dagoberto Feliz) cumpre o mandamento de descansar, enquanto Abel (Sergio Siviero) só trabalha justamente aos domingos, vendendo iscas, besouros e minhocas para os vizinhos irem à pesca. Caim produz pimentões, dedica-se à produção e ao comércio e usa isso como motivo de orgulho para tripudiar sobre o irmão. Enquanto Caim é aquele que é capaz de erguer cidades cheia de muros para defender o patrimônio, Abel não tem apego à terra, é um nômade sonhador, cultiva o ócio e usufrui da vida.

Neste sábado, 25 de maio, às 20h, ainda dá tempo de conferir a última apresentação, no Sesc Santos. A direção é de Marco Antônio Rodrigues. Os ingressos estão à venda online (www.sescsp.org.br/santos) e na bilheterias do Sesc SP, e custam R$ 6 (credencial plena), R$ 10 (meia) e R$ 20 (inteira).

Ficha Técnica 
Texto: Mauricio Kartun. Tradução: Cecília Boal. Direção: Marco Antônio Rodrigues. Elenco: Celso Frateschi, Dagoberto Feliz, Sérgio Siviero e Demian Pinto. Direção musical: Demian Pinto. Assistente de direção: Tiago Cruz. Preparação musical: Marcelo Zurawski. Preparação Corporal: Esio Magalhães. Assessoria de mágicas: Rudifran Pompeu. Cenário e Figurinos: Sylvia Moreira. Contrarregra: Guilherme Magalhães. Visagismo: Kleber Montanheiro. Design de luz: Túlio Pezzoni. Operador luz: João Piagge.

Design de som: Gabriel Hernandes. Operadora som: Monique Carvalho. Fotografia: Leekyung Kim. Assessoria de imprensa: Márcia Marques. Redes Sociais: Menu da Música. Designer Gráfico: Zeca Rodrigues. Cenotécnicos: Zé Valdir e Marcelo Andrade.

Gestão de Projetos: DCARTE e Corpo Rastreado. Administração: Corpo Rastreado e DCARTE. Produção executiva: DCARTE e Corpo Rastreado. Idealização: Instituto Boal. Recomendação: 16 anos. Duração: 90m.

Serviço
"Terrenal - Pequeno Mistério  Ácrata"
Não recomendado para menores de 14. R$ 20. R$ 10 (meia). R$ 6 (credencial plena). 24 e 25 de maio. Sexta e sábado, às 20h. Ingressos à venda online e nas bilheterias do Sesc SP. Venda limitada a 6 ingressos por pessoa. Lotação sujeita à capacidade do local oficina. 

Sesc Santos
Rua Conselheiro Ribas, 136 – Aparecida
Tel: (13) 3278-9800

*Helder Moraes Miranda é bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.



Encerramento do espetáculo no Sesc Santos


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.