terça-feira, 4 de fevereiro de 2020

.: "A Cor Púrpura", o musical moderno que você precisa assistir urgentemente


Por Helder Moraes Miranda, editor do Resenhando.


O musical "A Cor Púrpura", em cartaz no Theatro Net, é um presente para a negritude. Também é um grito de liberdade quando a arte parece pedir socorro em terras brasileiras. A começar por uma história edificante, em que os personagens lidam com os problemas e sempre saem melhores e fortalecidos. 

Tudo começa a partir da história de Celie, interpretada com muita graça e doçura por Letícia Soares, adolescente que tem dois filhos do suposto pai (Jorge Maya), que a oferece a um fazendeiro local para criar seus herdeiros, lavar, passar e trabalhar sem remuneração. Ela é tirada à força do convívio de sua irmã caçula Nettie (Ester Freitas) e passa a morar com um marido que a submete a torturas físicas e psicológicas. Separada dos filhos e da irmã, ela sonha em revê-los algum dia e conduz a vida sempre com otimismo e palavras de bondade.
Depois de uma trajetória bem-sucedida no Rio de Janeiro, o espetáculo, que na literatura venceu o Prêmios Pulitzer, no cinema teve 11 indicações ao Oscar, e no teatro venceu o Grammy de Melhor Álbum de Teatro Musical e o Tony, despede-se de São Paulo com a certeza de que vai deixar saudade. No palco, são 17 atores, oito músicos, 90 figurinos, um palco giratório de seis metros de diâmetro e uma escada curva com sistema de travelling em volta do cenário. 

Essa grandiosidade é para entreter, emocionar e contar uma história universal de opressão às mulheres e de superação das mesmas. Além de outros assuntos que estão diretamente ligados ao universo feminino, como a participação da mulher na sociedade e o papel delas nas relações amorosas e como se portam diante de situações de machismo e racismo. 

Escrito há 37 anos por Alice Walker, a primeira escritora negra a ganhar o Pulitzer, "A Cor Púrpura" acontece na primeira metade do século XX, na zona rural do Sul dos Estados Unidos, com personagens típicos dessa região. A direção sensível de Tadeu Aguiar e versão brasileira de Artur Xexéo dão a tônica dessa narrativa, que evoca a força da mulher e também as possibilidades que a vida traz para quem ousa querer mais da vida. 

Não é possível falar de "A Cor Púrpura" sem citar o carisma inegável de Flávia Santana, que dá leveza ao espetáculo ao interpretar uma mulher livre e atenta aos sinais do amor. A engraçadíssima e empoderada personagem de Lilian Valeska rende boas risadas e é o alívio cômico do espetáculo - mesmo passando por situações pesadas, já que nenhum personagem de "A Cor Púrpura" está livre disto. Entre os destaques, também está Sérgio Menezes, cujo personagem, Mister, começa odioso e, conduzido com tantas camadas pelo ator, faz com que o público torça por uma redenção. 

Os caminhos que "A Cor Púrpura" traça no palco, a fome de viver dos personagens, as músicas repletas de poesia defendidas por vozes potentes e uma história edificante fazem desse espetáculo algo inesquecível. Ao mostrar de maneira crua as relações humanas que atravessam amor, poder, ódio, em um mundo que divide as pessoas por diferenças econômicas, sociais, étnicas e de gênero, o espetáculo, mesmo escrito há quase 40 anos, continua mais moderno do que nunca.

"A Cor Púrpura - O Musical"
Ficha Técnica
Texto: Marsha Norman
Músicas: Brenda Russell, Allee Willis e Stephen Bray
Versão brasileira: Artur Xexéo
Direção geral: Tadeu Aguiar
Direção musical: Tony Lucchesi
Elenco: Letícia Soares, Sérgio Menezes, Lilian Valeska, Flavia Santana, Jorge Maia, Alan Rocha, Ester Freitas, Analu Pimenta, Suzana Santana, Claudia Noemi, Erika Affonso, Caio Giovani, Renato Caetano, Thór Jr., Gabriel Vicente, Leandro Vieira, Nadjane Rocha
Assistência de direção: Flavia Rinaldi
Produção de elenco: Marcela Altberg
Cenário: Natalia Lana
Figurino: Ney Madeira e Dani Vidal
Desenho de luz: Rogério Wiltgen
Desenho de som: Gabriel D’Angelo
Coreografia: Sueli Guerra
Assistência de cenografia: Gisele Batalha
Assistência de coreografia: Olivia Vivone
Assistência de direção musical: Thalyson Rodrigues
Registro Videográfico: Paulo Severo
Comunicação em redes sociais: Rafael Nogueira
Assessoria de imprensa: Morente Forte Comunicações
Projeto gráfico: Alexandre Furtado
Coordenação de produção: Norma Thiré
Produção Geral: Eduardo Bakr

Serviço
"A Cor Púrpura - O Musical"
Theatro NET SP (800 lugares)
Rua Olimpíadas, 360 – Shopping Vila Olímpia/5° andar
Bilheteria: terça a domingo a partir das 14h.
Vendas: www.ingressorapido.com.br / 4003.1212
Sexta às 20h30 | Sábado às 17h e 21h | Domingo às 19h

Ingressos:
R$ 220 (plateia) | R$ 170 (balcão nobre) | R$ 75 (balcão)
Duração: 180 minutos
Recomendação: 12 anos
Gênero: musical

Encerramento do espetáculo


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.