segunda-feira, 21 de setembro de 2020

.: Grátis: Mel Lisboa interpreta Helena Petrovna Blavatsky em live teatral


Peça com Mel Lisboa traz a história de Helena Petrovna Blavatsky, escritora e médium russa do século XIX. Foto: Felipe Roseno

Dentro de apresentações teatrais das lives #EmCasaComSesc, nesta segunda-feira, dia 21, às 21h30, a atriz Mel Lisboa apresenta "Madame Blavatsky", escrita por Cláudia Barral e dirigida por Márcio Macena. A peça traz a história de Helena Petrovna Blavatsky (1831-91), escritora e médium russa do século XIX, fundadora da Sociedade Teosófica, que pretendia difundir uma filosofia ligada à comprovação científica do misticismo. O espetáculo pode ser assistido no YouTube do Sesc São Paulo youtube.com/sescsp -  e no Instagram do Sesc Ao Vivo - @sescaovivo

No espetáculo interpretado por Mel Lisboa, Helena retorna encarnada no corpo de uma atriz/médium para revisitar a sua história e esclarecer alguns pontos controversos da sua biografia. O espetáculo permite, assim, discutir sobre os limites entre realidade e ficção, a verdade e o fingimento, pontos importantes tanto no teatro quanto no misticismo. Mel Lisboa, atriz nascida em Porto Alegre e radicada em São Paulo, é conhecida por personagens marcantes na TV, teatro e cinema, e trabalhou com importantes diretores teatrais, como Gabriel Villela. É uma das protagonistas de "Coisa Mais Linda", série original da Netflix, lançada em 2019. Classificação: 12 anos.

Com atuação de Michael Blois, o espetáculo Euforia (indicado aos prêmios "Cesgranrio" e "Botequim Cultural" de melhor ator e melhor texto de 2017) será exibido na quarta-feira, dia 23. Dividida em dois solos, a peça trata do desejo, a partir do desabafo de personagens que são olhados como seres assexuados: um idoso e uma cadeirante. O primeiro solo conta a trajetória do octogenário Lauro que, ao se mudar para um asilo, decide esconder sua homossexualidade com medo de ser discriminado por seu cuidador. O segundo traz a trajetória de Maria, uma jovem de 20 anos que, após sofrer um acidente de carro, fica paraplégica e se vê com dificuldades para se adaptar a um mundo hostil à sua nova condição - inclusive no desejo. O espetáculo foi escrito por Julia Spadaccini e tem a direção de Victor Garcia Peralta. Classificação: 14 anos.

Em "Eva a Live", na sexta-feira, dia 25, Eva Wilma apresenta canções do espetáculo musical "Casos e Canções". Acompanhada pelo filho, o compositor, cantor e violonista John Herbert Jr., a atriz traz o repertório do musical que resgata as canções de sua adolescência e dos seus 66 anos de carreira de sucesso no teatro, cinema e TV. Ela presta, ainda, homenagem ao dramaturgo Plínio Marcos (1935-99), que completaria 85 anos no dia 29/9, com a leitura do texto "O Ator". A live se inicia com as imagens da abertura da novela "Mulheres de Areia", de 1973, com a banda tocando o tema ao vivo. Classificação: livre.

No domingo, dia 27, Esther Góes apresenta "As Mulheres e Aristófanes", com direção de Marcio Aurelio e participação de seu filho, Ariel Borghi. Para a criação do espetáculo, a dupla partiu de trechos das peças do dramaturgo grego Aristófanes (447 a.C. - 386 a.C.) que tratam das mulheres. Nessa conversa feminino-masculina, o confinamento das mulheres no lar, na antiga Grécia, se confunde com o confinamento da atual pandemia. Com surpreendente atualidade, os textos de Aristófanes ilustram a necessidade de sair de casa e o desejo de igualdade entre homens e mulheres, ontem e hoje. A apresentação tem direção de Marcio Aurelio e assistência de direção de Paulo Marcello. Classificação: 14 anos.

Agenda de 21 a 27 de setembro, sempre às 21h30

21/9, segunda-feira: Mel Lisboa em "Madame Blavatsky"
23/9, quarta-feira: Michel Blois em "Euforia"
25/9, sexta-feira: Eva Wilma em "Eva a Live". Participação: John Herbert Jr.
27/9, domingo: Esther Góes em "As Mulheres e Aristófanes". Participação: Ariel Borghi.




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.