quinta-feira, 12 de novembro de 2020

.: Caetano Veloso lança edição especial de "Narciso em Férias" em livro


Na madrugada do dia 27 de dezembro de 1968, duas semanas depois de o governo decretar o AI-5, Caetano Veloso e Gilberto Gil foram retirados dos apartamentos onde moravam, no centro de São Paulo, e levados em uma caminhonete ao Rio de Janeiro. Conduzidos por policiais à paisana, eles foram presos sem nenhuma justificativa.

Em “Narciso em Férias”, volume avulso do capítulo homônimo de “Verdade Tropical” publicado pela Companhia das Letras, Caetano Veloso relata o impacto brutal que os 54 dias vividos no cárcere deixariam em sua vida - não apenas pela dimensão política, mas também pela perspectiva psicológica e artística. A obra está disponível em e-book e também no formato físico, em capa dura. 

Esta edição inclui uma seção com registros do processo aberto pela ditadura militar contra o cantor e compositor. Esses documentos ficaram guardados no Arquivo Nacional e seriam revelados ao artista pela primeira vez cinquenta anos mais tarde, em 2018. No texto inédito de apresentação, Caetano Veloso anuncia: “este, que é meu escrito a que atribuo maior valor, entra na cena atual da vida política brasileira de modo abrasivo”.

Caetano Veloso e sua “Verdade Tropical”
Ao narrar sua formação cultural – que inclui música, cinema, artes plásticas, literatura e filosofia –, Caetano Veloso não se limita a escrever uma autobiografia. Nessa mistura de memórias, ensaio e História, tendo como eixo central a eclosão do tropicalismo em meio aos anos de chumbo, o autor esmiúça momentos decisivos da ditadura militar e os nomes com quem travou apaixonadas conversas. Partindo de Santo Amaro, na Bahia, onde leu Clarice Lispector, assistiu a "La Strada", ouviu João Gilberto e teve sua primeira relação sexual, suas lembranças atravessam a adolescência, a prisão em 1968, o exílio em Londres e chegam ao fim da década de 1990 para compor um extraordinário panorama do Brasil.

A nova edição de “Verdade Tropical”, com projeto gráfico redesenhado, inclui texto inédito escrito especialmente para este volume. Em “Carmen Miranda não sabia sambar”, Caetano pondera sobre as duas décadas que se passaram entre o lançamento do livro, em 1997, e hoje. Aos 75 anos, ele se debruça sobre sua trajetória musical – e também literária – para um acerto de contas com suas experiências pessoais, além de analisar assuntos relacionados à cultura, política e identidade do país. “Sou brasileiro e me tornei, mais ou menos involuntariamente, cantor e compositor de canções", ele escreve. "Fui um dos idealizadores e executores do projeto da Tropicália. Este livro é uma tentativa de narra e interpretar o que se passou", finaliza. 

Você pode comprar o livro 
“Narciso em Férias”, uma edição especial, neste link. Você pode comprar “Verdade Tropical”, livro que originou “Narciso em Férias”, neste linkO livro foi adaptado para o cinema pelos jornalistas Renato Terra e Ricardo Calil. Assista o documentário “Narciso em Férias” no Globo Play: https://bit.ly/35YUyqI.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.