quarta-feira, 7 de abril de 2021

.: Peça teatral "O Lá É Aqui” em curta temporada virtual


Cena do espetáculo "O Lá É Aqui". Foto: Amanda Amaral

A peça "O Lá é Aqui" está em curta temporada virtual, via canal do YouTube das Oficinas Culturais do estado de São Paulo. A direção é de Angela Ribeiro, texto e atuação de Diego Chilio e cenário, figurino e adereços de Fernando Bertipaglia. O monólogo conta a história de Cosmo, um catador e artesão do lixo, junto com caipora, iara e boto convoca a todos e todas para uma missão urgente: lembrar que todes somos natureza.

O espetáculo, voltado para crianças de todas as idades, trata sobre como nós somos responsáveis pelo que nos cerca, pelo planeta, como uma coisa só, a partir do tema do meio ambiente e do cuidado mesmo nas pequenas ações, como descarte de lixo e reaproveitamento de materiais. E os aspectos cênicos reforçam essa necessidade, como a redução na produção de lixo - os objetos de cena, por exemplo, são construídos de materiais recicláveis e pedaços de entulhos.

O planeta está entrando em colapso e alguma coisa tem que ser feita por todos, desde já. Para refletir sobre isso e como todas nossas ações afetam a tudo e a todos, estreia a peça infantil "O Lá é Aqui", que tem direção de Angela Ribeiro, texto e atuação de Diego Chilio e cenário, figurino e adereços de Fernando Bertipaglia. Serão treze apresentações, entre 27 de março e 17 de abril de 2021, via canal do YouTube das Oficinas Culturais do estado de São Paulo e de outros projetos, como Movimento de Teatro da Baixada Santista e o Circênico. 

Essas transmissões foram viabilizadas pela Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc (Lei 14.017/20 do Governo Federal), através do PROAC (Programa de Ação Cultural) do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Voltada para crianças de todas as idades e também para adultos com desejo de transformação, o espetáculo trata sobre como nós somos responsáveis pelo que nos cerca, pelo planeta, como uma coisa só. Daí vem o nome, "O Lá É Aqui" - "O lixo que a gente joga lá cai dentro da nossa casa, do nosso ser. É uma peça que faz com que a gente reflita sobre qual a nossa importância na Terra, de uma maneira lúdica através da presença de seres encantados que habitam a nossa cultura popular", antecipa Angela.

Usando como inspiração brincadeiras infantis para falar de assuntos urgentes, porém de maneira leve e divertida, e com muita música, a peça aborda o tema do meio ambiente e do cuidado que todos têm que ter com a natureza, mesmo nas pequenas ações, como descarte de lixo e reaproveitamento de materiais. 

O texto traz a história de um catador de lixo que, depois de um dia árduo de trabalho, conta como ele vê a percepção dos outros sobre si. Em meio às suas reflexões - de uma pessoa que vive à margem da sociedade - ele fala sobre a jornada de três seres encantados da natureza - Iara e Caipora e Boto - e as possibilidades de transformação e regeneração do planeta numa ação que convoca o coletivo.

Diego Chilio dá vida ao morador de rua, um artesão, que faz arte, reutilizando as embalagens para fazer as máscaras que ele usa durante a peça. As músicas são originais, compostas especialmente para o espetáculo por Marcello Ribeiro.

"Uma das nossas inspirações é o livro 'Ideias para Adiar o Fim do Mundo', de Ailton Krenak, em que ele fala desse lugar de olhar as montanhas como existências, para as pedras, para as árvores, como presenças mesmo, já que a coabitamos o mesmo espaço, somos uma coisa só", completa Angela, que nasceu em Belém do Pará.       

Além das mensagens da importância de se produzir menos lixo, todos os aspectos da peça reforçam a ideia de que precisamos ter auto responsabilidade e agir juntos. O cenário, que representa uma paisagem urbana, traz objetos construídos de materiais recicláveis, pedaços de entulhos, tudo aquilo que pode ser reaproveitado de alguma forma. 

Outra camada cênica são as projeções mapeadas, que hora viram uma floresta, hora um rio, ora o próprio mar. O figurino também será todo produzido com materiais reutilizáveis, como tampinhas de garrafa, garrafas pet, pedaços de papelão, tapumes e sacos de ráfia. A iluminação é manipulada pelo ator em cena, como um cone iluminado de rua, uma luz de garagem que pisca, um letreiro de um estabelecimento próximo.

Para "compensar" o fato de ser um espetáculo online, e conferir um sentimento cinematográfico à transmissão, serão utilizados artifícios como uso de mais de uma câmera, uso de closes e interação entre o ator e a câmera, já que ela "é" o espectador e vai funcionar como eco das vozes das crianças.

Ficha técnica

Espetáculo: "O Lá É Aqui"
Texto e atuação: Diego Chilio
Direção, colaboração dramatúrgica, dramaturgismo e design gráfico: Angela Ribeiro
Assistente de direção: Zenaide Denardi
Cenário, figurino e adereços: Fernando Bertipaglia
Vídeo mapping: Amanda Amaral
Guitarra e violão: Trevisan
Iluminação: Wagner Antonio
Direção musical: Marcello Ribeiro
Coreografia: Sergio Ferreira
Assistente de produção: Diego Dac
Direção de vídeo: Vitor Miranda
Direção de produção: Iza Marie Miceli

Serviço
Espetáculo: "O Lá É Aqui"
Até dia 17 de abril de 2021
Circênico Artes Integradas

Casa de Aprendizagens
11 de abril às 15h

Oficina Cultural Juan Serrano
7 e 14 de abril às 14h

Oficina Cultural Alfredo Volpi
9, 10, 16 e 17 de abril às 15h

As próximas sessões serão:
7 de abril, às 14h, via Oficina Cultural Juan Serrano
9 de abril, às 15h, via Oficina Cultural Alfredo Volpi
10 de abril, às 15h, via Oficina Cultural Alfredo Volpi
11 de abril, às 15h, via Casa de Aprendizagens 
16 de abril, às 15h, via Oficina Cultural Alfredo Volpi
17 de abril, às 15h, via Oficina Cultural Alfredo Volpi
14 de abril, às 14h, via Oficina Cultural Juan Serrano

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.