sexta-feira, 16 de abril de 2021

.: Resenha: "Escravidão Contemporânea", organizado por Leonardo Sakamoto

Por: Mary Ellen Farias dos Santos


Em resumo, de acordo com o Dicionário Michaelis, "escravidão" é um substantivo feminino, definido como "condição daquele que é escravo; cativeiro, escravaria, escravatura. Condição de falta de liberdade; submissão a uma autoridade despótica. Situação, atividade ou qualquer outra coisa que, pelo seu caráter repressivo, impõe alguma restrição ou constrangimento". No livro organizado pelo jornalista e conselheiro da ONU Leonardo Sakamoto, intitulado "Escravidão Contemporânea", publicado pela Editora Contexto, o tema é analisado por vários vieses focando na modernidade, as nomenclaturas recebidas ao redor do mundo, a dificuldade para o combate e o que se é feito para erradicar tal prática.

O livro sobre a escravidão, abolida desde o século XIX, retrata como a escravidão continua enraizada no Brasil e no mundo. Esbarrando no tráfico humano, cerceamento de liberdade, condições degradantes de trabalho, além da impossibilidade de romper a relação com o empregador, o que implica em ameaças com torturas psicológicas a espancamentos e, findando, em assassinatos. Confirmando assim, dados obtidos de 1995 a setembro de 2019, que totalizam mais de 54 mil pessoas encontradas em regime de escravidão em fazendas de gado, soja, algodão, café, laranja, batata e cana-de-açúcar, assim como carvoarias, canteiros de obras, oficinas de costura, bordéis, entre outras unidades produtivas no Brasil. 

Na orelha da publicação, o leitor é informado de que o volume reúne um grupo de autoridades mundiais para tratar do assunto que "é um problema de regiões de fronteira agropecuária, mas também de grandes centros urbanos". O livro de 192 páginas tem a introdução de Leonardo Sakamoto em "O Trabalho Escravo Contemporâneo". Na sequência, em oito artigos assinados, a realidade brasileira é focada, embora não deixe de tratar as formas de combate ao trabalho escravo pelo mundo.

Os oito textos que compõem "Escravidão Contemporânea" são: "Histórias de Liberdade", por André Esposito Roston; "A História da Proibição da Escravidão", por Mike Dottridge; "O Trabalho Escravo Após a Lei Áurea", por Ricardo Rezende Figueira; "Como o Brasil Enfrenta o Trabalho Escravo Contemporâneo", por Tiago Muniz Cavalcanti; "O Perfil dos Sobreviventes", por Natália Suzuki e Xavier Plassat; "Como o Mundo Enfrenta o Trabalho Escravo Contemporâneo", por Renato Bignami; "Trabalho Escravo Contemporâneo: Um Negócio Lucrativo e Global", por Siobhán Mcgrath e Fabiola Mieres e "O Impacto da Escravidão nas Mudanças Climáticas", por Kevin Bales, além de um pósfacio intitulado "A Herança do Racismo", por Raissa Roussenq Alves.

Num trecho do texto de introdução, Leornado Sakamoto informa:

"Como o Estado brasileiro já não admite a possibilidade de uma pessoas ser 'dona' de outra, também não reconhece o trabalho escravo como relação legítima ou legal. Por isso, quando nosso Código Penal foi aprovado, em 1940, esse crime ficou conhecido como 'redução à condição análoga à de escravo'. Do ponto de vista técnico e jurídico, essa é a nomenclatura para definir tal forma de exploração. Na prática, é o mesmo que trabalho escravo contemporâneo."

"Escravidão Contemporânea" é mais do que um livro, mas um estudo que retrata um problema crônico e abusivo que insiste resistir, inclusive, à aplicação de leis. No entanto, é uma bandeira de alerta para que tal abuso tenha fim. E para que a vivência do leitor seja completa, segue o desejo de Sakamato: "Que a luz da dignidade e os bons ventos da liberdade acompanhem sua leitura."

Autor: Leonardo Sakamoto é jornalista e doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Professor de Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), foi pesquisador visitante do Departamento de Política da New School, em Nova York. É diretor da Repórter Brasil, conselheiro do Fundo das Nações Unidas para Formas Contemporâneas de Escravidão e foi comissário da Liechtenstein Initiative – Comissão Global do Setor Financeiro contra a Escravidão Moderna e o Tráfico de Seres Humanos. É colunista do portal UOL, onde escreve diariamente sobre política. 

Livro: Escravidão Contemporânea

Organizado por  Leonardo Sakamoto

Editora Contexto

192 páginas

Venda na Amazon: amzn.to/3dkj1Kh


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura, licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e formada em Pedagogia pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.