terça-feira, 7 de agosto de 2018

.: Crônica sobre Walcyr Carrasco: O sonho da menina Mary Ellen

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em agosto de 2018


Todo leitor fervoroso tem a Bienal Internacional do Livro de São Paulo como o evento dos sonhos. "Gigante pela própria natureza", localizada no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, a 25ª edição mantém a tradição de palestras, autógrafos e estandes fascinantes. No entanto, o algo a mais em 2018, para mim, especialmente, foi a presença do escritor Walcyr Carrasco. 

Ele, que eu conheci em 1997, ainda no 8º ano do ensino fundamental, no colégio municipal de São Vicente, Duque de Caxias, por meio do livro "Estrelas Tortas", sempre me inspirou, ao lado dos gênios literários Truman Capote (A Sangue Frio), J. R. R. Tolkien (O Senhor dos Anéis), José de Alencar (Senhora) e José Saramago (Ensaio sobre a cegueira). Ao longo dos meus 36 anos, montei essa listinha com os meus cinco escritores amados. Contudo, somente Walcyr Carrasco está vivo.

Dias antes do grande evento literário, acompanhando a programação da Bienal do Livro pelo Twitter @bienaldolivrosp, vi a abertura da inscrição para a sessão de autógrafos dele. Cliquei para me inscrever e, na sequência, inscrevi o maridão. Consegui ambas entradas e quase caí da cadeira de tamanha felicidade. Se eu pulei? Não duvide. Estava extremamente feliz com a conquista.

Tenho diversos livros de Carrasco, mas eu só pensava em "Estrelas Tortas". Não por ser o primeiro livro que li desse incrível cronista, mas também pelo fato de o meu livro ser 1ª edição. Lembro perfeitamente de quando minha mãe o comprou. No mesmo dia, li todo o livro, relutando com a minha mãe, quem muito reclamou para que eu desse uma pausa e comesse. 

Desde então, a releitura do livro era feita, religiosamente, nas férias. E assim foi por longos anos. Até no meu primeiro de dia aula de Sociologia, com o professor Cláudio, no curso de graduação de Jornalismo, ao ser questionada a respeito de um livro que recomendaria, citei "Estrelas Tortas" e contei um pouco da trama. 

Como a vida é feita de encontros mágicos, o dia 4 de agosto chegou e lá fomos nós dois para São Paulo: eu e maridão. A palestra sobre "O livro na TV" aconteceu com Walcyr Carrasco e Adriana Falcão, na Arena Cultural. Tirei diversas fotos dos dois e ri com os comentários divertidos de Carrasco. Eis que o grande momento chegou. A emoção de conhecer o meu único escritor favorito ainda vivo. Fiquei com as pernas bambas, coração acelerado, mão geladas e calor pelo corpo.

Diante dele, banquei a tiete. Pedi um abraço, relatei a importância da história de superação em "Estrelas Tortas". Leitura imperdível que recomendo aos jovens leitores, no caso, meus alunos. Então, entreguei-lhe a minha relíquia de infância, para ser autografada. Todo aquele momento de espera, aproximação, encontro, conversa e autógrafo estão eternizados em minha lembrança -e nas minhas contas nas redes sociais, claro!. 

Depois desse dia, amo ainda mais Walcyr Carrasco. Se antes "Estrelas Tortas" já era um livro que eu não deixava os alunos encostarem... imagina agora? 



25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
03 a 12 de agosto de 2018
Pavilhão de Exposições do Anhembi                          
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana / 02012-021 São Paulo – SP
www.bienaldolivrosp.com.br




*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm



← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.