sábado, 25 de maio de 2019

.: Crítica: "Sunset Boulevard" mostra sociedade injusta com as mulheres


Por Helder Moraes Miranda, em maio de 2019.

"Sunset Boulevard" é um filme de 1950. De lá para cá, pouco se vê de avanços em relação às mulheres. Com muita sensibilidade, o musical, apresentado no Brasil em um ano tão conturbado politicamente e socialmente quanto 2019, evidencia o quanto a sociedade ainda cobra das mulheres - sobretudo aquelas que trabalham com a imagem - o ideal da beleza e da juventude eterna. 

Não importam a história e o conteúdo que elas ainda têm para dividir e ensinar, as mulheres, nos contextos de Hollywood e das sociedades machistas e misóginas ao redor do mundo, estão datadas. Clássico do filme noir no cinema, "Sunset Boulevard" está com o musical em cartaz no Teatro Santander. E é justamente neste cenário desfavorável para as mulheres que brilham as atrizes que protagonizam o espetáculo.

"Sunset Boulevard" é duro com a realidade feminina, mas absolutamente afável com elas e, por esse motivo, feminista no sentido de jogar luz às mulheres serem, por alguns segmentos da sociedade, descartáveis. A equipe do Resenhando assistiu o espetáculo quando a intérprete de Norma Desmond foi Andrezza Massei, alternante de Marisa Orth.

De uma maneira absolutamente bem construída, Andrezza Massei, tão jovem, dá a força e a amargura necessárias que a personagem precisa. Sem contar a voz, cheia de dramaticidade e afinação, tão cristalina quanto a aura que criou para a atriz decadente que quer voltar ao estrelato. Para isso, ela aposta em um roteiro ruim construído pelo egocentrismo de uma estrela viciada em um reconhecimento de fãs que há muito tempo foram perdidos.

Experiente nos palcos e nos bastidores dos musicais, Andrezza Massei teve papéis de destaque nos principais espetáculos deste segmento que passaram pelo Brasil , como "Les Misérables", as duas versões de “A Bela e a Fera” da Disney, "Cole Porter - Ele Nunca Disse que me Amava", da dupla Möeller & Botelho, "Mamma Mia!", "Mudança de Hábito", "Cats", "A Madrinha Embriagada", "Priscilla, A Rainha do Deserto",  "Wicked" e, mais recentemente, como a bruxa do mar Úrsula, em "A Pequena Sereia - O Musical", da Disney. 

Toda essa experiência parece que a construíram para esse papel. E isso é nítido quando, sem esboçar uma palavra, a Norma Desmond de Massei comove quando, por um mal-entendido, a atriz decadente volta aos estúdios e, de uma maneira artificial, é tratada como uma estrela.

Outro nome a ser destacado é o de Lia Canineu que, como a roteirista principiante Betty Schaeffer, consegue captar todos os olhares para as cenas em que está envolvida. O carisma de Lia Canineu não é novidade e, desde as apresentações dos trabalhos anteriores, como "A Era do Rock" (crítica neste link) e "Cinderella, o Musical" (crítica neste link), pode-se concluir que ela confere às produções em que participa uma qualidade e um brilho que poucas atrizes que se dividem nas tarefas de cantar, dançar e interpretar, têm. Lia Canineu é uma estrela como poucas.

Com roteiro eletizante, o espetáculo começa com uma morte. A partir de então, o tempo volta para explicar ao espectador o que aconteceu. Entre os homens, Julio Assad dá a gravidade, o talento e o tom exatos do roteirista que só quer tirar vantagens do que lhe é oferecido. Joe Gillis, o personagem, é um oportunista cheio de camadas. É por essa sensibilidade do ator em mostrar o lado humano de um personagem cheio de falhas de caráter que o público passa a torcer por ele. 

Daniel Boaventura, desta vez, brinda o público com um personagem soturno, de poucas palavras, mas repleto de mistérios. O mordomo Max von Mayerling é um homem que, ainda assim, ama verdadeiramente a mulher rejeitada pela indústria de cinema, pela sociedade e até pelo homem que escolheu, que não é ele. Cabe a Daniel dar o desfecho surpreendente. Afinal, um ator como ele jamais ficaria relegado a um papel de coadjuvante se não houvesse uma grande cena. 

Uma homenagem à história do cinema e uma reflexão sobre as mulheres pontuadas por músicas de Andrew Lloyd Webber com letras de Chistopher Hampton e Don Black. A orquestra, localizada acima do palco, é um espetáculo à parte e dá o tom soturno de todo o musical - a regência é de Carlos Bauzys e de Jorge de Godoy (regente da apresentação assistida pelo Resenhando). 

Os cenários são todos grandiosos, a escadaria em cena, e os rolos de filme nas paredes do palco, remontam o período de ouro de Hollywood, os figurinos são de encher os olhos e o palco giratório ajuda a contar essa história de uma maneira muito inteligente e eficaz. Produção da IMM e da EGG Entretenimento, o musical “Sunset Boulevard” vai ficar na memória. 


Encerramento de "Sunset Boulevard", em cartaz no Teatro Santander:


Serviço
Temporada: de 22 de março a 7 de julho de 2019
Local: Teatro Santander 
Endereço: Complexo do Shopping JK Iguatemi - Av. Juscelino Kubitschek, 2041 - Itaim Bibi - SP
Datas e horários: quintas e sextas, às 21h; sábados, às 17h e 21h; e domingos, às 15h e 19h
Classificação etária: livre, menores de 12 anos acompanhados (a determinação da classificação etária poderá a qualquer momento ser alterada pelo Juiz de Direito da Vara da Infância e Juventude da Comarca de São Paulo - SP)
Capacidade: 959 lugares
Duração: 2h30min (com intervalo de 15 minutos)
Ingressos: a partir de R$37,50

Bilheteria oficial – Sem cobrança de taxa de conveniência
Teatro Santander (Complexo do Shopping JK Iguatemi - Av. Juscelino Kubitschek, 2041 - Itaim Bibi - SP) domingo a quinta: 12h às 20h ou até início do espetáculo. Sexta e sábado: 12h às 22h
Venda pela internet – Sujeito a cobrança de taxa de conveniência

ingressorapido.com.br

*Helder Moraes Miranda é bacharel em jornalismo e licenciado em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos, pós-graduado em Mídia, Informação e Cultura, pela USP - Universidade de São Paulo, e graduando em Pedagogia, pela Univesp - Universidade Virtual do Estado de São Paulo. Participou de várias antologias nacionais e internacionais, escreve contos, poemas e romances ainda não publicados. É editor do portal de cultura e entretenimento Resenhando.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

Tecnologia do Blogger.