quinta-feira, 29 de outubro de 2020

.: "Cara Palavra": provocante sarau poético performático. Dê um grito!

Por Mary Ellen Farias dos Santos

Em cartaz
, virtualmente, no Teatro Porto Seguro, até 15 de novembro, o espetáculo "Cara Palavra" reúne quatro talentos femininos da dramaturgia: Débora Falabella, Bianca Comparato, Andreia Horta e Mariana Ximenes. Enquanto que as duas últimas interpretam nas próprias casas, em solo brasileiro, Bianca Comparato atua ao vivo dos Estados Unidos e Débora Falabella encena diretamente de dentro do Teatro Porto Seguro, em São Paulo. 

Tal qual um esquenta, minutos antes da apresentação, Bianca Comparato faz poesia visual em um quintal amplo com quatro cadeiras. Na sequência, pouco antes do início do espetáculo, um bate-papo com o público por chat e até a escolha do nome de um personagem é feita. Em meio a vídeos bem elaborados, em plena pandemia, o público que assiste a interpretação de poemas e prosas, logo é provocado a refletir: "Qual a importância da sua fala na complexidade do mundo?"


A apresentação com Débora Falabella começa focada no rosto da atriz, que está com a cabeça no chão, que ao se levantar e andar pelo corredor, reconhecemos que aquelas paredes são do Teatro Porto Seguro. Eis que a saudade chega carregada de emoções trazidas pelo momento pandêmico que vivemos, por conta da Covid-19 e a necessidade de manter distância social. 

Como não se arrepiar ao rever ao vivo, aquelas paredes, chão, poltronas e palco, mesmo que por meio de uma tela? Na explosão de sentimentos, a interpretação de Débora Falabella é um afago, amparado pela inserção ao vivo do trio Andreia Horta, Bianca Comparato e Mariana Ximenes declamando poesias e vídeos que transbordam lirismo, estampando, por exemplo, palavras de Hilda Hilst: "Tu não te moves sem ti".

Ao denunciar a crueza da realidade em que vivemos, vídeos intercalam a leitura de poesia e prosa que englobam escritores, de Franz Kafka a Angélica Freitas. Assim, surgem questionamentos que movem a humanidade como a inquietante dúvida sobre "Quem sou eu?" e até a provocação que condiz com a atualidade do momento, pelo fato de vivermos ilhados em nossas casas: "Somos anfíbios?". Pode-se concluir, de certa forma, que sim. Mesmo sabendo que o momento em que vivemos "não é ficção científica, é a realidade. Não é um livro de Kafka. Fahrenheit.".

Em meio a textos reflexivos-provocativos, mesmo distantes, há muita interação entre as quatro atrizes, inclusive acontece a entrega de um presente. Sabendo que "não dá mais para ser como a gente era", em ironia espetacular, as quatro comentam sobre o "Movimento machinista", que enquanto denuncia o tratamento dos homens para com as mulheres, há uma inversão de papéis que faz rir e refletir muito. Até quando o simples "querer escapar da rede de pesca hoje, de fato, é virar petisco no palito?"

Entre tantos atrativos há um videoclipe protagonizado pelo quarteto exaltando o feminino, depoimentos de outras mulheres e um bate-papo com alguma convidada -após a apresentação-, sendo que a poeta cuiabana Ryane Leão, instagram @ondejazmeucoração, esteve presente na noite de estreia.

Não há dúvida de que o espetáculo fala ao coração, provoca reflexões, é cheio de representatividade e, sem dúvida, desconcertante, por lançar diversas provocações. E é tão maravilhoso ser provocado! Enfim, "você consegue dar um grito? Você vai dar um grito!", soltar o que está preso na garganta com "Cara Palavra"!

Sinopse: Um sarau poético performático com Andreia Horta, Bianca Comparato, Débora Falabella e Mariana Ximenes. Entre poemas de autoras brasileiras contemporâneas, trechos de músicas, vídeos, cenas de ficção e textos biográficos, as atrizes falam para o público de dentro dos seus apartamentos e do Teatro Porto Seguro. Falam sobre o cotidiano, o amor, o drama, a arte, a solidão e a reinvenção em tempos de pandemia, num fluxo caleidoscópico de poesia. 

Ficha Técnica
"Cara Palavra" 
Com: 
Andreia Horta, Bianca Comparato, Débora Falabella e Mariana Ximenes
Dramaturgia e direção: Pedro Brício
Interlocução artística: Christiane Jatahy
Produção de imagem: Gianluca Misiti e Gustavo Giglio
Direção de fotografia: Azul Serra
Direção de palco: Jimmy Wong
Produção de live, vídeo e sonoplastia: Rodrigo Gava
Técnico de som e sonoplastia: Danilo Cruvinel
Trilha sonora original: Chuck Hipolitho e Thiago Guerra
Pesquisa e co-criação de vídeos: Luli (Fru) Carvalho
Direção de arte: André Cortez e Stéphanie Fretin
Colaboração em direção de arte: Luli (Fru) Carvalho
Comunicação e designGustavo Giglio
Produção: Corpo Rastreado
Criação do espetáculo: Andreia Horta, Bianca Comparato, Débora Falabella, Mariana Ximenes e Pedro Brício   
Idealização do projeto original: Andreia Horta, Bianca Comparato, Débora Falabella, Mariana Ximenes, Chuck Hipolitho, Gianluca Misiti, Gustavo Giglio e Thiago Guerra
De 24 outubro a 15 novembro – Sábados às 20h. Domingo às 20h.
Ingressos: a partir de R$20.
Classificação: 16 anos.
Duração: 60 minutos.

Teatro Porto Seguro
Vendas exclusivamente online no site:
 http://www.tudus.com.br
Dúvidas: contato@teatroportoseguro.com.br
Atendimento pelo telefone (11) 3226-7300 de sexta a domingo das 14h às 20h.
Cliente Porto Seguro: Na compra de um ingresso antecipado (até um dia antes) receberá um link extra de acesso para convidar alguém.
Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.