quarta-feira, 7 de outubro de 2020

.: Resenha: "Não Vamos Pagar Nada", de Dario Fo, nos cinemas por João Fonseca


O texto do dramaturgo italiano Dario Fo, de 1974, é atemporal e universal. Uma prova é o filme "Não Vamos Pagar Nada", produção brasileira, que estreia nos cinemas dia 8 de outubro e chegará, dia 15 nas plataformas digitais. Ao som de "Pode guardar as panelas", de Paulinho da Viola na voz de Samantha Schmütz, os personagens que fazem a trama acontecer são apresentados, diante do nome dos atores que os interpretam.

Assim, a protagonista Antônia (Samantha Schmütz), que suspira por um perfeito prato de comida, enquanto aguarda a resposta de uma possível contratação é devidamente apresentada: desempregada. Com pouco dinheiro, Antônia segue para o Mercado Buffo e lá é vítima do remarcador de preços (Criolo).

Na luta contra a inflação desmedida, uma cena hilária de perseguição acontece entre as prateleiras do mercado. Tal qual de filmes clássicos de faroeste, de um lado, Antônia, do outro o funcionário que remarca os preços dos produtos. Quando ele se vê, finalmente diante da presa, antes de dar o golpe final, ou seja, ser o vencedor, na defensiva alerta: "Eu só faço o que me mandam, senhora!". Indignada, Antônia promove um alvoroço e o resultado vai além do imaginado: todas as mulheres unem-se para saquear o Mercado Buffo.

Em casa, com sacolas cheias, Antônia recebe a visita da melhor amiga, Margarida (Flávia Reis) e inicia uma gigante teia de mentiras que norteia toda a trama. Para justificar tanta comida, mesmo numa crise, estando desempregada, Antônia inventa ter ganhado na rifa da igreja, depois mente que tem um amante rico, até que confessa o delito. De fato, uma mentirosa de carteirinha e que causará muitas situações espetaculares na trama.

Ao repartir as "compras não pagas" com Margarida, Antônia percebe a chegada do marido, João (Edmilson Filho), homem correto. Para tanto, a amiga de Antônia "engravida" das compras doadas e tudo o que João percebe é a barriga, enquanto repercute o comentário do povo sobre o famoso episódio da "maluca do mercado" e não desconfia que tal mulher seja Antônia, a própria esposa.


Enquanto Margarida vai embora grávida, não do marido Luis (Leandro Soares), mas de comida, Antônia mantém as compras escondidas debaixo da cama e serve ao marido carne para cachorro, cabeça de frango e sopa de alpiste. Decisão que gera cenas incríveis, não só de comédia, mas também de suspense. Afinal, um policial precisa cumprir o dever de revista, embora se sinta como um cachorrinho de caras poderosos. A cada reviravolta, o público sempre se pergunta: E agora? E, como boa criadora de mentiras, Antônia aumenta um ponto a cada nova situação e a trama melhora o que já está excelente.

Entre as mentiras, uma das mais curiosas é a da maldição de Santa Eulália, que aos 80 anos engravidou. Para tanto, as mulheres cumprem a promessa de usar barrigas falsas. A contação criativa de Antônia sobre toda a história de Santa Eulália é sensacional, com direito a oração com cantoria e dança coreografada com a amiga Margarida. "Não Vamos Pagar Nada", além de tratar do desespero por comida, em tempos de crise, aborda o tema da gravidez. Seja para esconder os itens roubados do mercado ou no puro desejo de ser mãe da protagonista. 

A verdade é que o segredo do longa, totalmente atual e adequado ao Brasil em que vivemos em 2020, está no rico texto de Dario Fo, adaptado por Renato Fagundes, agregado a um elenco em perfeita sintonia que dosa perfeitamente o drama -do desespero pela comida- com a comédia com boas pitadas de suspense.

O longa tem um desfecho brilhante, pois segue o clima do cinema Bollywood. Grande sacada do diretor João Fonseca, mas também, quando os créditos começam a subir, os erros de gravação também estão presentes. Enfim, o longa de estreia de João Fonseca é indispensável. Imperdível! 

"Não Vamos Pagar Nada" terá lançamento multiplataforma: a partir do dia 8 de outubro em cinemas selecionados. E, no dia 15 de outubro, pelo selo Première Telecine, estreia simultaneamente no streaming e no canal Telecine Premium. O longa também estará disponível para aluguel em outras plataformas digitais a partir do dia 15.

Filme: Não Vamos Pagar Nada
Direção: João Fonseca
Adaptação e Roteiro: Renato Fagundes
Elenco: Samantha Schmütz (Antônia), Edmilson Filho (João), Flávia Reis (Margarida), Leandro Soares (Luís), Flávio Bauraqui (Fonseca), Fernando Caruso, Criolo, Paulinho Serra
Duração: 87 minutos


CURIOSIDADES:

- "Não Vamos Pagar Nada" surgiu nos palcos do teatro, foi adaptada no mundo, mas seguiu para os cinemas por mãos brasileiras.

- O diretor João Fonseca foi convidado a ler o texto em 2016.

- Uma cena com grande parte do elenco teve o total de 24 páginas.

- A carne para cachorro usada em cena era carne de soja.

- A cabeça de frango foi bem temperada e tinha um molho delicioso.

- Cena da carinha de João na abertura da porta da despensa remete ao filme clássico "O iluminado".

- Cena Bollywood com balé foi difícil para Edmilson Filho por ter dificuldade de identificar o lado esquerdo e direito, mas na edição, todos estão em sincronia.

- Referências italianas foram tiradas para a adaptação brasileira.

- Fernando Caruso, brincando, sugeriu o nome de uma possível continuação: "Não vamos pagar nada de novo".


FRASES DO FILME:

"Rico não paga dívida, pobre paga tudo!"

"Ordens lá de cima!" 

"Lá em cima só Deus!"


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura, licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e formada em Pedagogia pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

Trailer


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.