quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

.: "Berlin Alexanderplatz" é filmaço moderno da epopeia de Francis Franz

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*


"Berlin Alexanderplatz"longa dirigido por Burhan Qurbani, originário do romance de Alfred Döblin tem como enredo a epopeia do refugiado Francis (Welket Bunguê). O clássico da literatura, que anteriormente também foi adaptado para o formato de série, ganha uma versão totalmente atualizada. Desta vez, o protagonista é defendido pelo ator Welket Bunguê, nascido em Xitole, Guiné-Bissau.

Contudo, a produção de três horas de duração, dividida em cinco partes e um epílogo, logo intriga no título, pois Alexanderplatz é o nome de uma grande praça aberta com  terminal de transportes públicos no centro da capital alemã. Assim, considerando o cartaz e essa informação, a cena final, que é poética, ganha ainda mais significado.

Foto: Frederic Batier

Aliás, "Berlin Alexanderplatz" é um filmaço poético, principalmente quando há inserção das cenas de metalinguagem com um touro representando nitidamente Francis, forte e perseverante, enquanto que o "amigo", Reinhold (Albrecht Schuch), um lobo em pele de cordeiro -ou um declarado caçador-, mantém na parede os chifres de um touro. Perfeita referência a como ele vê o refugiado que é rebatizado, em terras alemãs como Franz. O jogo das luzes de neon em variadas cores, nas cenas noturnas enriquem a narrativa visual. Pura poesia.

No filme que estreia nos cinemas hoje, 18 de fevereiro de 2021, Francis é um fugitivo da África Ocidental que chega pela ondas do mar em Berlim, Alemanha. Sem documentação -passaporte-, busca trabalho para sobreviver, mas o azar insiste em lhe rondar. Após perder a vaga em um serviço braçal e partir para a briga, Francis reluta, mas não consegue ir contra a oferta de traficar drogas.

Foto: Frederic Batier

Envolvido até o último fio de cabelo na marginalidade, Francis segue os comandos de Reinhold. Em contrapartida, o cabeça do tráfico na praça é Pums (Joachim Król), quem não se importa com o nome do refugiado e o chama como o vê, no alto de seu poder: um gorila. Referência que é retomada num baile em que Francis é presenteado com tal fantasia. 

Embora tenha feito amigos para alertá-lo sobre quem é Reinhold, Francis mantém o desejo de ser uma pessoa melhor, o que coloca em situações que o levam ao limite. Iludido com a ideia de ver o lado bom das pessoas e, principalmente de Reinhold, Franz enfrenta as mais inimagináveis desventuras. E é numa dessas desgraças que surge em seu caminho a prostituta Mieze (Jella Haase). Nessa história de amor, o touro, que carrega o amor e morte dentro de si, fica manso -ou quase.

Foto: Stephanie Kulbach

A atuação de Welket Bunguê é perfeita. De tão convincente cria uma relação de amor e ódio entre o público e Francis/Franz. Seja na dobradinha das cenas com Albrecht Schuch ou Jella Haase, que faz Mieze, parceira de Franz. Por outro lado, a atriz Annabelle Mandeng, que interpreta Eva, também faz a trama pegar fogo, inclusive com simples trocas de olhares. Geralmente ao lado ou cercada pela expressiva Nils Verkooijen, que interpreta a travesti Berta.

"Berlin Alexanderplatz" é um filme longo que envolve o público diante dos mais surpreendentes acontecimentos. Longe de ser arrastado, a produção distribuída pela A2 Filmes faz com que não se perceba o tempo passar diante da tela. A história de superação que não foi pré-indicada como filme internacional ao Oscar 2021 -embora muito merecesse-, mostra que esperança e olhos abertos sempre devem caminhar juntos. Apesar da trajetória insana de Francis, tal qual uma epopeia, "Berlin Alexanderplatz" é a história de um herói, o que é um conforto em tempos tão sombrios. Imperdível!

Filme: Berlin Alexanderplatz (Berlin Alexanderplatz; Alemanha, Holanda)

Ano: 2020

Duração: 183 minutos

Gênero: Drama 

Classificação indicativa:|16 anos

Direção: Burhan Qurbani

Roteiro: Burhan Qurbani, Martin Behnke

Baseado no livro de Alfred Döblin

Elenco: Welket Bungué, Jella Haase, Albrecht Schuch, Joachim Król, Annabelle Mandeng, Nils Verkooijen, Richard Fouofié Djimeli, Thelma Buabeng, Faris Saleh, Michael Davies

Distribuição: A2 Filmes


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura, licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e formada em Pedagogia pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

Trailer


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe-nos uma mensagem.

#ResenhandoIndica

20 20 20
Tecnologia do Blogger.