Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta "American Crime Story - Impeachment". Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta "American Crime Story - Impeachment". Ordenar por data Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de setembro de 2021

.: "American Crime Story: Impeachment" traz romance com beijo do presidente

Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em setembro de 2021


O segundo episódio de "American Crime Story: Impeachment" batizado de "The President Kissed Me" tem um toque romântico, principalmente seguindo a ótica de Mônica Lewinsky (Beanie Feldstein). Para detalhar como a relação entre ela e o presidente Clinton (Clive Owen) foi construída, a trama segue para 15 de novembro de 1995. 

Ainda com testemunhas, dentro da Casa Branca, um olhar de puro flerte é trocado entre a californiana Mônica Lewinsky e o presidente dos Estados Unidos. Mesmo tendo como função sentar e atender telefonemas, o destino faz com que os dois se apresentem, sem mais ninguém no mesmo ambiente. Galante, de voz encorpada, ele diz ter gostado do suéter dela. Em tempo, a caracterização de Owen também está impressionante!

Um avanço na história para 30 de outubro de 1996 com direito ao sonzinho clássico de conexão, embora se trate apenas de um documento saindo diretamente do fax. Enquanto que a estagiária tenta esconder os papeis -até de modo atrapalhado-, Linda Tripp (Sarah Paulson) segue investindo para tirar informações de Mônica. Afinal, quem é o "namorado secreto da moça"?

Chata, Tripp insiste muito na tecla do romance da jovem. Para tanto, Linda revela estar "fechada para balanço", mas demostra total interesse na vida amorosa da amiga de trabalho. Eis que conversa vai, conversa vem. Uma saidinha entre "amigas", uma nova aproximação forçada e os passos para a estagiária soltar as verdades começa a ser formado pela ardilosa Linda.

E não é que a rainha da astúcia, consegue tirar a valiosa informação que tanto ambicionava? Monica cai direitinho na conversa e detalha como tudo começou com o presidente. E descobrimos que nem tudo acaba em pizza, mas também pode começar. Além da atuação fabulosa de Sarah Paulson, Owen também não brinca em cena. O que dizer da voz dele na pele de Bill Clinton?!

Apesar de Linda ter em mãos o conhecimento do relacionamento de Monica e Clinton é na história de outra mulher, que também transmite um ar puro, Paula Jones (Annaleigh Ashford), protagonista de um caso de denuncia de prática de sexo oral com o presidente. É nesse núcleo da história que surge na boca dos personagens o subtítulo da atual temporada de "American Crime Story": o impeachment!

Pode-se dizer que a cricri e amarga Linda de Sarah Paulson é do tipo Nazaré Tedesco -sem o deboche típico de uma personagem brasileira. Em repetidas vezes a quem a assiste agir com malícia, desperta a vontade absurda de passar pela tela e estapeá-la na cara. Como pode ser tão maldosa?! Contudo, o sentimento de Linda é partilhado com quem está do lado de cá, quando em casa, assiste a Clinton e Hillary dançando no baile inaugural da pose. Quanto cinismo por parte dele! E o que trasmite o sentimento de raiva é o fato de ela saber o que sabe -e agora, no andar da história, também sabemos.

Os encontros passam a ter importância ao ponto de Clinton revelar sentir saudade do sorrido de Monica e lhe presentear. Fechando o segundo episódio com chave de ouro, no finalzinho, Linda lança uma provocação que deixa qualquer um com o coração saindo pela boca. Ao menos as emoções serão  resgatadas no próximo episódio. Ao menos é o que entregou o sneak peak do terceiro episódio. 

Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 2: "
The President Kissed Me"
Exibido em: 14 de setembro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm



quarta-feira, 8 de setembro de 2021

.: "American Crime Story: Impeachment" na raiz do assédio sexual de Clinton


Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em setembro de 2021


A terceira temporada de ACS, "American Crime Story: Impeachment ", apresenta o maior escândalo dos anos 90. Para tanto, volta em 1998. Tal qual um grande e envolvente drama, "Exiles" começa com chuva escorrendo na janela e lágrimas da personagem que está no olho do furacão: Monica Lewinsky (Beanie Feldstein, de "What We Do In The Shadows"). 

Simpática e atlética, enquanto a jovem sai da malhação, Ryan Murphy consegue inserir uma música do fim dos anos 90: Ace of Base, "Beautiful Life". Com a adrenalina dos exercícios físicos, Monica atende o chamado de um bip e é Linda Tripp (Sarah Paulson). Como é bom reconhecer a voz da dona de um talento gigante para versatilidade! 

E é num encontro perturbado que a trama ganha ritmo de suspense policial com tensão pura em um corredor de hotel. Mas o que levou todos para aquele momento? Uma volta ao passado em mais cinco anos. Em 1993, outros personagens surgem com sua histórias, inclusive uma grave denúncia de assédio sexual cometido pelo presidente dos Estados Unidos. Com o caso de Paula Jones (Annaleigh Ashford) nas mãos, um advogado leva o fato a conhecimento público. Que nervoso a coletiva!


Nessa volta do tempo, fica claro o quanto Linda não é florzinha que se cheire. Assim, a astúcia em pessoa avança a ponto de ganhar, inclusive, uma sala própria -apesar dos pesares- enquanto descobre a ponta do iceberg da história que pauta a série. Para tanto, Linda inicia amizade com a jovem Monica. Enquanto Beanie consegue imprimir a inocência de uma adolescente que solta seus segredos a desconhecidos, com direito a voz de mocinha, Sarah traz a firmeza no falar.


A verdade é que Sarah Paulson, mesmo debaixo de uma aparência irreconhecível e com todo o jeitão de tiazona, fazendo caretas, ainda consegue dar um show de interpretação na pele de Linda. Seja no postural e até no modo de andar totalmente diferente do que ela apresentou em temporadas anteriores de "American Crime Story", por exemplo. Em tempo, é uma atriz completíssima. Impecável! 


E o final do episódio de estreia?! Tem ligação do próprio Bill Clinton (Clive Owen, de "Sin City", ator que também está irreconhecível) querendo saber como foi o primeiro dia da estagiária. Tomo a liberdade de responder, que esse foi incrível. A terceira temporada de "ACS" está aprovada. Que venha o próximo o episódio, por favor!!



Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 1: "Exiles"
Exibido em: 7 de setembro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm





quarta-feira, 3 de novembro de 2021

.: 3x9: "ACS: Impeachment" deixa machismo gritar em "The Grand Jury"


Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em novembro de 2021

"The Grand Jury", o nono episódio de "American Crime Story: Impeachment"começa e logo reencontramos Linda Tripp (Sarah Paulson) sem perder a chance de ser uma mulher de postura inspuportável. Fica a pergunta: Quantas vezes ela passou na fila da chatice?! Ao menos sem bom humor faz uma boa ação a uma estranha, também hóspede do hotel em que está morando. Para a sorte dela, a filha se importa. E numa conversa entre mãe e filha sabemos de um discurso que será feito publicamente para que Linda conte a história na própria visão.


Monica Lewinsky (Beanie Feldstein) chega ao julgamento e segue o procedimento de jurar dizer a verdade somente a verdade erguendo a mão e tudo. E após algumas perguntas, a ex-amante do presidente dos Estados Unidos precisa explicar como começou o primeiro contato: um beijo até ela fazer sexo oral nele. Apesar da extrema vergonha, Monica descreve a relação de modo carinhoso, a ponto de atribuir o adjetivo de gentil a Bill Clinton (Clive Owen). 

Falas de Monica são repassadas para os presentes, de quando ela disse a Linda Tripp que iria negar tudo, mesmo que precisasse mentir. Diante do grande júri, ela revela, inclusive que ninguém pediu para que mentisse. Eis que uma senhora pergunta se a mãe de Monica alguma vez a incentivou a terminar o relacionamento com ele, por ser o presidente, um homem casado e ter uma família. E claro, para todos do júri, assim como Monica, a relação dos dois era errada. No entanto, a culpa é sempre atribuída a ela, não a ele. Pensamentos machistas que levarão décadas para serem trabalhados. Imagine como não era nos anos 90?

Quando questionada pelo júri, sobre o dia em que foi mantida num quarto de hotel pelo F.B.I., sem chamar um advogado, embora tenha desejado fazê-lo, apenas sendo informada de que estava com problemas e que até a mãe dela poderia ser punida. Monica conta a verdade, implicando na saída da sala do agente ali presente. Monica conta como foi detida com a ajuda de Linda Tripp por agentes do F.B.I.. 

E como ela está proibida de mentir ali, confessa: "Eu odeio Linda Tripp". E quem não odiaria, né?! Antes do fim do episódio, descobrimos exatamente que a  relação deles começou com uma atração física até se tornar uma relação sexual -e todos os detalhes são expostos. 

Reencontramos Paula Jones (Annaleigh Ashford) numa cama de hospital e seguimos sem saber o que, de fato, ela faz ali. Entretanto, é Linda Tripp quem chega de mala e cuia em casa. Antes de comer, abre uma correspondência maior, dentro há uma revista, folheia as páginas e encontra um texto com uma caricatura dela bem assustadora: uma bruxa. 

Hillary Clinton (Edie Falco) comparece a eventos ao lado do marido, Bill Clinton (Clive Owen), mas a relação dos dois não é mais a mesma. Tudo se resume a aparências. Até que ele a chama na sala da Casa Branca, fala e fala sobre como se sentia em relações aos acontecimentos e diz não saber quem é sem ela. Com direito a lágrimas escorrendo dos olhos dele, mas Hillary apenas pergunta se é tudo, ele nega e se declara para a senhora Clinton que, simplesmente, sai da sala.

Linda volta ao trabalho na marra e a situação dela é colocada às claras. Eis que agentes vão ao encontro de uma testemunha que esteve em "American Crime Story: Impeachment" anteriormente. Ela não diz uma palavra, permanece com a cara de assustada e entendemos que precisam da assinatura dela num documento -que na verdade é para criar um documento a favor do presidente.

Eis que Paula Jones volta para casa, mas com marcas no rosto e um curativo cobrindo as narinas. No hospital, ela fez uma cirurgia para afinar o nariz. Então, uma discussão entre marido e mulher de lavar roupa suja, pois o dinheiro que receberiam foi perdido. Paula não receberá mais nada. Em meio a xingamentos por parte de Paula, Steve, o marido, sai de casa. 

É a vez de Linda ser interrogada pelo grande júri tendo uma das conversas entre ela e Monica lida para todos os presentes. E o depoimento vai para um caminho mais interessante quando os jurados começam a fazer as perguntas diretamente a ela. Linda age tal qual Clinton, torce e retorce os fatos a seu favor. 

Linda é sabatinada e diz ter sentido medo por saber o que acontecia entre Clinton e Monica. A ex-amiga de Monica revela ter ficado apavorada não só por perder o emprego, mas de até ser assassinada. Em outra sala, Monica ouve uma fita com conversa entre as duas, assina nela e sai. Enquanto que longe dali, Linda permanece sendo esmagada com perguntas desconfortáveis. Fica a ideia de que ela, de fato, acreditava estar agindo muito bem ao trazer todo o assunto a público.

Fora da sala dos jurados, diante de jornalistas equipados, num púlpito, fora da sala do grande júri, Linda lê um discurso que escreveu a seu modo sobre a situação em que se envolveu por ser amiga de Monica. Declara amor à patria e reforça a necessidade de dizer a verdade. Pois é!

Na Casa Branca, Clinton está à mesa da famosa sala da presidência quando Hillary se aproxima dele, mantendo uma certa distância até que se mostra aliada a ele. E como a história de Clinton é cheia de passagens nebulosas, perto do fim do episódio descobrimos que a outra mulher, a da assinatura é Juanita Broaddrick. Procurada anteriormente confessa ter mentido, pois não queria se envolver com o caso, porém, no passado, foi estuprada por Clinton. Quando a situação de Clinton parece estar entrando nos eixos, sempre um novo escândalo escabroso surge. 

No entanto, "The Grand Jury" deixa uma provocação maravilhosa para refletirmos sobre a figura feminina ser sempre massacrada. Seja Monica, uma mulher solteira, envolvendo-se com o presidente, um homem casado, Linda sendo ridicularizada pela imagem, assim como Paula Jones, levando a segunda a fazer uma cirurgia plástica. É assustador perceber que estamos em 2021 e nem tanta coisa mudou na sociedade, seja americana ou brasileira. Que venha o episódio final de "American Crime Story: Impeachment": "The Wilderness"!


Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 9: "
The Grand Jury"
Exibido em: 2 de novembro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do photonovelas.blogspot.com. Twitter:@maryellenfsm

quarta-feira, 13 de outubro de 2021

.: 3x6: "ACS: Impeachment" desespera e faz chorar com "Man Handled"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em outubro de 2021


O sexto episódio de "American Crime Story: Impeachment""Man Handled" começa com Linda Tripp (Sarah Paulson) separando o look para o flagra de Monica Lewinsky (Beanie Feldstein). Longe, a equipe do FBI se prepara para fazer acontecer e age tal qual uma sombra de Linda. Para tornar tudo perfeito, a "amiga" batalha para que a jovem amante de Clinton tope encontrá-la para o almoço. Monica resiste, mas aceita. Assim, Linda e a equipe com as combinações estabelecidas nos levam de volta às cenas iniciais de "American Crime Story: Impeachment".

Já no quarto de hotel, ao ser informada dos crimes que cometeu e da possibilidade de ficar 28 anos presa, Monica chora. Em desespero absoluto, ela é convencida de que o melhor a fazer agora é colaborar com os ali presentes, ainda que queira ter um advogado da escolha dela.

Quando as provas são postas diante de Monica, principalmente as gravações das conversas com Linda é de arrepiar. Monica entra em colapso. Em tempo, Beanie manda muito, muito bem em cena. Emocionante ao máximo, inclusive quando percebe que sua vida acabou. No entanto, a conclusão dela é de que a melhor saída é cometer suicídio. A forma que tudo acontece é muito triste de se ver e é fácil de se colocar no lugar dela. 

Após total desespero, Monica no banheiro, observa o pingar da torneira. E lá permanece por um bom tempo até ser chamada para ser ainda mais coagida de modo extremamente brutal. Também pudera, trata-se de uma mulher desacompanhada e com culpa no cartório. Com o tratamento sem escrúpulos, tudo acontece sem a presença de um advogado próprio. 

Numa fuga desesperada que nos faz roer as unhas. Ao chegar num telefone público, consegue falar, de fato, com a mãe. Em contrapartida, a conversa termina do modo mais inesperado possível. O grito dela sai estridente e bastante alto, enquanto que o do público segue preso na garganta. 

No entanto, ao ir embora dali, a moça ainda topa com Linda Tripp. Sem texto, apenas trocas de olhares, além de caras e bocas. Outra grande cena desse episódio. Em casa, Linda não se entende bem com a filha. Pensando bem, ela fez o que fez com Monica, uma jovem de somente de 24 anos. Sentimento de culpa?! Talvez, mas Linda é bastante calculista. Eis que uma surpresa: Monica volta para o quarto de hotel. 

A verdade é que o caso também vira um problema familiar e assim como a mãe de Monica imagina o que tenha acontecido de errado, o pai dela também. Detalhe que tudo corre até, consideravelmente, rápido. Enquanto que Monica  segue sem um advogado, com jeitinho consegue dar uma voltinha pelo shopping, embora seja "perseguida" por dois, quando até fala sobre o quanto a avó estaria desapontada com ela naquele momento.

Diante de pratos fartos, Monica aproveita para questionar sobre os 28 anos de cadeia, mas é alertada de que pode passar esses anos na prisão. Assim, conclui que não terá filhos e nem mesmo encontrará alguém para casar com ela. Para colocar a cereja no bolo, em casa, Linda despeja verdades. Tal qual pessoas que dizem querer somente o bem do outro, enquanto fincam uma estava no peito do alvo.

Eis que a mãe de Monica, Marcia, chega no hotel. As duas, sozinhas no quarto discutem até se entenderem. Assim, ela é quem, em termos, toma as rédeas da situação a ponto de revelar que o pai de Monica já sabe da situação. Uma nova ligação acontece e na linha é garantida uma bela reviravolta. Daquelas nos fazem esbravejar um "é isso aí!".

Contudo, o choro final de Monica mexe com as emoções do modo máximo, mais uma vez. A desolação de Marcia (Mira Sorvino), acontece como que um espelho dos sentimentos da filha naquele momento. Assistir a essa cena é de dar arrepios e escorrer lágrimas pelo rosto. Que venha o sétimo episódio, por favor!!



Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 6: "
Man Handled"
Exibido em: 12 de outubro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do photonovelas.blogspot.com. Twitter:@maryellenfsm



quarta-feira, 29 de setembro de 2021

.: 3x4: A hora da ligação de "American Crime Story: Impeachment"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em setembro de 2021


"The Telephone Hour", o quarto episódio de "American Crime Story: Impeachment", leva o público para o mês de agosto de 1977. Assim, Monica (Beanie Feldstein) é convidada a entrar numa sala por outra mulher, quem se identifica como alguém próxima ao presidente, que aliás, o conhece desde a adolescência. O que a jovem foi tentar ali? Resgatar a vaga de trabalho na Casa Branca. 

De volta ao ambiente de trabalho, Linda Tripp (Sarah Paulson), já tendo uma lista de nomes, demonstra toda indignação a respeito da tentativa de Monica e deixa muito claro que dedicou anos da vida e, no fim, foi tratada igual a lixo. Em casa, diante da TV, uma ligação para Linda. É Monica pedindo desculpas pelo desentendimento com a amiga de trabalho. E assim começa o que o título do episódio promete.

Do outro lado da linha telefôncia, a ideia é plantada na mente de Linda por Lucianne Goldberg (Margo Martindale): fazer um livro sobre a relação de Monica e Clinton. Assim, ela tem todas as dicas de como gravar as conversas e ter material para o livro. Enquanto Monica solta tintin por tintin aos prantos, com direito a cabelos molhados de chuva, do outro lado, Linda é puro deboche da situação.

Resultado: a amiga ursa decide fazer um livro e começa a gravar as conversas. Assim, chega em quem pode escrever: um jornalista. Ele reluta, uma vez que as gravações foram feitas sem o consentimento de Monica e ainda se trata de sexo oral. Sem alguém para escrever a história, numa nova conversa via telefone, Linda traz a verdadeira situação de Monica que fica revoltada. Monica não voltará a trabalhar na Casa Branca. Assim, a moça mete os pés pelas mãos a ponto de Clinton reforçar se eles ainda podem ser amigos.

Linda segue se fazendo de amiga até acumular material suficiente quando estoura com Monica. Sem entender, a moça deixa diversas mensagens para Linda na secretária eletrônica. Até que Linda, preparada, liga para Monica, explica ausência no trabalho e ainda faz uma confissão: perdeu três quilos.

Num encontro de amigas, Monica solta mais histórias sobre as relações anteriores que teve antes do presidente, mas é no closet que Linda se depara com um vestido da marca GAP sem lavar. Por quê?! Lembrança de quando fez sexo com Clinton.

Embora tudo pareça ser um prato cheio de diversão para Linda ela cai em si e se dá conta de não conseguir manter mais a farsa. Eis que Paula Jones (Annaleigh Ashford) aparece no televisor para mais uma vez costurar o escândalo de Monica e Clinton. Para a alegria da futriqueira da história, ela recebe uma intimação, enquanto que o presidente, na Casa Branca, percebe que seu casamento está por um fio.


Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 4: "
The Telephone Hour"
Exibido em: 28 de setembro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

.: A fofoca sexual de Clinton em "American Crime Story: Impeachment"


Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em setembro de 2021


O terceiro episódio de "American Crime Story: Impeachment", "Not To Be Believed", começa seguindo o título. Assim, o público é levado para setembro de 1995 e conhece Matt Drudge (Billy Eichner), comentarista político americano, criador e editor do Drudge Report, fofoqueiro que revira o lixo da CBS. Em casa, enquanto prepara "uma quase bomba", após agir como um rato, conecta o computador na internet e é bem interessante recordar o barulho da conexão discada. Nessa apresentação, fica claro o perigo que Drudge representa, com direito a ameaça direta de outros jornalistas.

Passados quase dois anos, em março de 1997, reencontramos a amarga e futriqueira Linda Tripp (Sarah Paulson),  mulher irritante, mas muito humilhada no trabalho. Cheia de ideias, liga para a ex-colega de trabalho da Casa Branca, Kathleen Willey (Elizabeth Reaser), e promete revelar coisas do passado, inclusive certa experiência mais íntima de Clinton com Kathleen . 

Sem esquecer da primeira denúncia de sexo oral com Clinton, o terceiro episódio vai para mais longe dos dois núcleos apresentados, Paula Jones (Annaleigh Ashford) e marido treinam atuação até que se desentendem, mas a TV mostra que o escândalo com o presidente deu certo. O caso Jones estampa a capa da revista Newsweek. Todo o rebuliço é resgato ao fim do episóido, pois Paula enche os olhos para o valor combinado a receber pelo caso, enquanto que o marido faz questão de um pedido de desculpas. No entanto, os advogados do diabo também agem.


Por outro lado, em "Not To Be Believed" há uma Monica, apaixonada, que presenteia Clinton com um livro da época de estudante. Ele, por sua vez, oferece Coca-Cola. Numa outra sala mais reservada, conversa vai, conversa vem. Até que o presidente começa o papo de que o que os dois fazem "não ser certo para ela e nem para a família dele". Sem muito mais, Monica é dispensada pelo presidente. 

Na tentantiva de ainda trabalhar na Casa Branca, Mônica desabafa e segue as ordens de Linda: escrever um e-mail para Clinton sobre como se sente. No entanto, é Linda quem redige o texto. No dia seguinte, os dois se reencontram e fica a promessa de que a amizade continua, sem perder o emprego. Ao menos até a página 2 da história.

Enquanto Linda tece toda a trama, o Michael Isikoff (Danny Jacobs) faz um combinado com a mulher de contendas para estabelecerem uma relação bastante interessante. Contudo, ele perde o furo da notícia, pois Drudge publica o que sabe a respeito da relação extraconjungal do presidente. Michael avisa Linda sobre o roubo da história e, então, os dois se encontram num salão de beleza. Nesse lugar inusitado, Linda conta tudo o que sabe sobre Monica e Clinton. E ainda destaca que "ele usa mulheres como toalhas de papel".

Em tempo, Sarah Paulson não passou fome nessas gravações, por várias cenas ela faz uma boquinha. Contudo, é nítida a fome dela pela atuação e entrega uma mulher ardilosa que sabe montar o jogo a ponto de levar todos os pontos. Com direito a nome e sobrenome estampado na revista. Que venha o episódio "The Telephone Hour", pois há fome do público pela série do lado de cá!


Seriado: American Crime Story: Impeachment
Temporada: 3
Episódio 3: "
Not To Be Believed"
Exibido em: 21 de setembro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Linda Tripp), Beanie Feldstein (Monica Lewinsky), Annaleigh Ashford (Paula Jones), Margo Martindale (Lucianne Goldberg), Edie Falco (Hillary Clinton), Clive Owen (Bill Clinton), Billy Eichner (Matt Drudge), Elizabeth Reaser, Judith Light (Susan Carpenter-McMillan), Anthony Green (Al Gore), Cobie Smulders (Ann Coulter), Colin Hanks, Taran Killam (Steve Jones), Mira Sorvino (Marcia Lewis), Kathleen Turner (Susan Webber Wright), Dan Bakkedahl (Kenneth Starr), Joseph Mazzello (Paul Begala), Blair Underwood (Vernon Jordan), Kevin Pollak (Bernie Nussbaum), Patrick Fischler (Sidney Blumenthal)

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do www.photonovelas.com.br. Twitter:@maryellenfsm



Próximas postagens → Página inicial
Tecnologia do Blogger.