Mostrando postagens classificadas por data para a consulta "Beatles Num Céu de Diamantes". Ordenar por relevância Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por data para a consulta "Beatles Num Céu de Diamantes". Ordenar por relevância Mostrar todas as postagens

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

.: Crítica: "Assassinato para Dois" é musical hilário surpreendente

Foto do Instagram: instagram.com/assassinatoparadoismusical

Era para ser uma festa surpresa, mas a morte misteriosa do aniversariante gera uma busca pelo assassino, algo no estilo Agatha Christie. Sem o detetive Hercule Poirot, a comédia musical de suspense “Assassinato para Dois” surpreende com o show de atuação de Marcel Octavio ("Annie, o Musical" e "Beatles Num Céu de Diamantes") e Thiago Perticarrari ("Natasha, Pierre e o Grande Cometa de 1812" e "Escola do Rock") no palco do Teatro Raul Cortez, em São Paulo.

O espetáculo de texto ágil, envolvente, com referências da cultura pop e brasileiras, é ritmado de modo sombrio ou cômico, seguindo as notas dadas no piano, tanto por Marcel Octavio quanto por Thiago Perticarrari. Em meio a cada revelação musicada surgem canções que ajudam a chegar no criminoso, tendo ainda a interação de muitos e distintos personagens que Marcel Octavio encena surpreendentemente no palco. Sem troca de figurino ou uso de perucas, é o ator e cantor quem esbanja talento tornando cada personalidade marcante. Como não amar a sobrinha Sthe?


Enquanto o detetive está a caminho da cena do crime, o ainda policial que aspira ser detetive, Marcus, interpretado com muita comicidade por Thiago Perticarrari, chega com o parceiro de trabalho -invisível, mas muito presente na trama- e começa -por conta própria- a investigar o caso policial. Na apuração de como tudo aconteceu, ele lida com a viúva, uma mulher fatal, um médico, um casal de vizinhos, a sobrinha do morto e até crianças serelepes. 

Com tamanha variedade de personalidades, as gargalhadas surgem com muito mais frequência. Até o sumiço de um sorvete entra na acareação dos fatos. Embora o ponta-pé na trama seja um crime, a leveza da montagem se faz pelo texto engraçado e a atuação impecável da dupla que transparece por meio da sintonia perfeita de Octavio e Perticarrari no palco. Outro ponto alto do espetáculo é o cenário com muitos detalhes que contribui com a temática de suspense deixando para a atuação da dupla a dose certa de bom humor.

“Assassinato para Dois”, de Kellen Blair e Joe Kinosian, em montagem brasileira da Morente Forte Produções tem direção de Zé Henrique de Paula ("1984" e "Dogville") e direção musical de Fernanda Maia ("Cabaret dos Bichos"), faz terceira temporada no Teatro Raul Cortez, em São Paulo, aos sábados, às 18h e domingos, às 19h. Descubra que um monte de bananas ou pinã colada podem ser importantes para a solução de um assassinato. Imperdível!

Foto do Instagram: instagram.com/assassinatoparadoismusical

Serviço:
Espetáculo: "Assassinato para Dois"
Teatro Raul Cortez (513 lugares) - 
Rua Dr. Plínio Barreto, 285 - São Paulo
Outras informações: (11) 3254-1631
Bilheteria: terça a quinta das 14h às 20h; sexta, sabado e domingo das 14h até o início do espetáculo.
Aceita todos os cartões de débito e crédito. Não aceita cheque.
Ar-condicionado e acesso para cadeirantes.
Temporada até dia 28 de agosto.Sábados, às 18h. Domingos, às 19h.
Ingressos: R$ 80. Estacionamento no local: R$ 30.
Vendas: https://bileto.sympla.com.br/event/74541/d/145518/s/950420

Ficha Técnica:
Espetáculo: 
"Assassinato para Dois"
Dramaturgia: Kellen Blair e Joe Kinosian
Direção: Zé Henrique de Paula
Direção musical: Fernanda Maia
Versão brasileira: Anna Toledo
Música original: Joe Kinosian
Letras: Kellen Blair
Elenco: Marcel Octavio e Thiago Perticarrari 
Cenário e figurino: Zé Henrique de Paula
Desenho de luz: Fran Barros
Desenho de som: Marcelo Claret
Preparação de atores: Inês Aranha
Assistente de direção: Rodrigo Caetano
Assistente de cenografia: Cesar Costa
Cenotécnico: Pelé
Pintura de arte: Fabin Cenografia
Acervo de objetos de cena: Teatro Núcleo Experimental
Operador de som: Cecília Lüzs
Microfonista: Laura Videira
Operador de luz: Rafael Boese
Contrarregra: Roquildes Junior
Camareira Rhaysa: Silva Chaves
Coordenação de comunicação: Beth Gallo
Assessoria de imprensa: Thaís Peres - Morente Forte Comunicações
Programação visual: Laerte Késsimos
Fotografia: Caio Gallucci
Filmagens e edições para webJady Forte
Coordenação administrativa: Dani Angelotti
Assistência administrativa: Alcení Braz
Administrador da temporada: Leonardo Leal
Produção executiva: Martha Lozano
Produtores Associados: Selma Morente, Célia Forte, Eloisa Canton, Bruno Pedemonti e Juan Iacoponi

Leia +:
.: Você pode ler "Murder for Two", o original de "Assassinato para Dois", neste link.


quarta-feira, 30 de junho de 2021

.: Teatro Folha realizará 34º Festival de Férias beneficente

O Teatro Folha vai realizar mais um festival de férias online devido a pandemia. Desta vez com a proposta de doar 100% da renda para o Fundo Marlene Colé de apoio a técnicos e artistas das artes cênicas que estão passando por dificuldades devido ao fechamento dos teatros e espaços culturais. Esta será a 34ª edição do Festival de Férias do Teatro Folha e conta com a parceria da APTI-Associação de Produtores Teatrais Independentes e Companhias de teatro que disponibilizaram seus espetáculos. Toda a renda será destinada ao Fundo Marlene Colé de apoio a técnicos e artistas das artes cênicas.

O 34º Festival de Férias Online do Teatro Folha acontecerá durante todo o mês de julho, em parceria com a APTI-Associação de Produtores Teatrais Independentes e Companhias de teatro que disponibilizaram seus espetáculos para uma ação social, destinando toda a renda para o Fundo Marlene Colé de apoio a técnicos e artistas das artes cênicas. A programação inclui sete peças gravadas. Quem compra o ingresso recebe um link e poderá assistir ao espetáculo por todo o período entre 1º de julho e 1º de agosto, quantas vezes quiser.

Seguindo a mesma linha de curadoria do festival presencial, com direção artística de Isser Korik, a versão online preza pela diversidade de temas e estilos de montagens. “Consideramos fundamental neste momento de pandemia manter a comunicação com o público e, ao mesmo, trabalhar em solidariedade aos técnicos e artistas de teatro que estão mais vulneráveis devido ao fechamento dos teatros e espaços culturais”, diz Isser Korik, diretor do Teatro Folha. 

O Fundo Marlene Colé conta com o trabalho de voluntários que doam seu tempo e conhecimento para ajudar artistas e técnicos que estão em dificuldade devido ao fechamento de todos os espaços culturais no Estado de São Paulo, como medida de ação de combate ao coronavírus. Desde março de 2020 as atividades estão paralisadas no setor, deixando estes profissionais da área sem nenhuma fonte de renda.

A meta do Fundo Marlene Colé é auxiliar mais de 30 mil famílias no Estado de São Paulo. Além de comprar os ingressos, colaborar em outras campanhas realizadas pela APTI, o público também pode fazer doações através de transferência bancária para APTI – Associação de Produtores Teatrais Independentes (CNPJ:  09.720.139/0001-84. Banco Itaú. Agência 0444. Conta Corrente 36127-3) ou realizar um PIX: 09.720.139/0001-84.


Confira a programação completa:

"Bruxas da Escócia" (Foto: João Caldas)
Nesta livre adaptação do texto “Macbeth”, de William Shakespeare, Macbeth, general do exército escocês, é um defensor leal do rei e de sua pátria. Mas ao voltar de uma batalha, depara com três bruxas que lançam uma profecia: ele se tornará rei. A previsão desperta as ambições mais secretas de Macbeth. O texto de  Shakespeare é adaptado de forma que consegue se comunicar perfeitamente com o público infantil, utilizando as técnicas de palhaço contemporâneo.

Ficha técnica
Texto e direção:
Angelo Brandini.
Elenco: Anderson Spada, Christiane Galvan, Erickson Almeida, Layla Ruiz, Tereza Gontijo, Val Pires.
Direção musical: Fernando Escrich.
Preparação corporal: Vivian Buckup.
Cenografia: Bira Nogueira.
Iluminação: Wagner Freire.
Figurinos: Christiane Galvan.
Assistente de figurinos: Mariana Lima.
Sonoplasta: Vitor Osório.
Operador de luz: Giuliana Cerchiari.
Costureira: Cleide Mezzacapa Hissa.
Fotografia: João Caldas.
Assistente de produção: Marina Mion.
Produção: Cia. Vagalum Tum Tum.
Duração: 60 minutos.
Classificação etária: cinco anos.


"Lolo Barnabé" (Foto: Teka Queiroz)
A peça conta a vida de Lolo, um sujeito muito criativo e inteligente que nasceu há muito tempo, na pré-história. Casou-se com Brisa e juntos tiveram um filho: Finfo Barnabé. Eles eram muito felizes. Mas nem tanto porque moravam numa caverna, um lugar úmido e escuro. Então, a família Barnabé começou a inventar um monte de coisas para o conforto e a felicidade de suas vidas. Nessa busca pelo conforto algo saiu errado com o excesso de invenções e a falta de tempo. Mas como são pessoas muito inteligentes e criativas, acabaram inventando um jeito de reencontrar a felicidade.

Ficha técnica
Adaptação e direção:
Claudio Saltini.
Elenco: Claudio Saltini, Nilton Marques e Sandro Gattone.
Cenário: Claudio Saltini.
Trilha sonora: Cia Circo de Bonecos.
Duração: 35 minutos.
Classificação etária: quatro anos.

"Bichos do Brasil" (Foto: Renan Perobelli)  
A peça retrata o cotidiano de animais numa selva tropical por meio de recursos plásticos, sonoros e coreográficos. Bonecos infláveis gigantes são uma atração à parte. Com ritmos como forró, frevo, bossa nova, samba e maracatu, a montagem retrata a riqueza da fauna brasileira.

Ficha técnica
Autoria e direção:
Beto Andreetta e Beto Lima.
Elenco: Cristiano Bacelar, Vanessa Silva, David Caldas e Patrícia Franco.
Trilha sonora: Gustavo Bernardo e Marco Boaventura.
Criação de bonecos: Pia Fraus.
Cenário e figurino: Pia Fraus.
Concepção de luz: Pia Fraus.
Produção: Paloma Rocha.
Administração: Jackson Iris Mendonça Lima.
Duração: 50 minutos.
Classificação etária: dois anos.


"Cinderela" (Foto: divulgação/acervo da Companhia)
O clássico Cinderela é recontado de forma muito dinâmica em que os atores Ian Soffredini e Mariana SãoJoão fazem, cada um, seis papeis distintos, entrando e saindo de cena ora como uma bela e delicada moça, ora como uma madrasta muito malvada, ora como frágeis ratinhos e outras personagens da famosa história.

Ficha técnica
Elenco:
Ian Soffredini e Mariana SãoJoão.
Figurinos e adereços: Inês Sacay.
Produção: Will Siqueira e Isabel Gomez.
Preparação corporal: Vanessa Guillén.
Preparação vocal: Madalena Bernardes.
Assistência de direção: Eduardo Leão.
Cenário, iluminação e direção geral: Isser Korik.
Coordenação de marketing: Emanoela Abrantes.
Criação, mídias sociais: Renata Castanho.
Técnico: Israel Assis.
Duração: 45 minutos.
Classificação etária: três anos.

"Contos do Índio e da Floresta por Mantintaperera" (Foto: Wagner Klebson)
Contação de histórias baseadas no ambiente fantástico e nas personagens da mitologia indígena brasileira. Matintaperera conta as histórias de Poré, o pai dos raios e trovões; o povo indígena caranguejo; Mãe d’ Água e a sua origem de índia guerreira; Querpimanha, a mãe dos sonhos; a Lenda do Milho; Curupira, o ser fantástico que protege a floresta; Mapinguari, monstro terrível da Amazônia; Arapaçu, o pássaro e a raiz mágica que abre portas, entre outras histórias. 

Ficha técnica
Dramaturgia, atuação e figurino:
Viviane Bernard.
Cenário: Claudio Marinho e Viviane Bernard.
Fotos: Wagner Klebson.
Edição e direção: Claudio Marinho.
Duração: 30 minutos.
Classificação etária: quatro anos.

"O Inventor de Sonhos"(Foto: Jefferson Pancieri)
Com ajuda de bonecos, teatro físico, adereços, música e muita imaginação, os atores homenageiam o mestre Leonardo da Vinci  contando suas fábulas. Após uma trapalhada com a máquina do tempo, eles voltam ao passado, onde quem os espera é o próprio da Vinci. 

Ficha técnica
Direção, dramaturgia e figurinos:
Pamela Duncan.
Elenco: Paulo Arapuã, Ricardo Moraes e Sol Leão.
Assistente de direção: Pedro Guida.
Trilha sonora: Sérvulo Augusto, Pedro Guida e Pamela Duncan.
Voz em off: Rodrigo Jubelini.
Adereços: Lucas Luciano e Ivaldo de Mello.
Costureira: Judite Lima e Lecy Andrade.
Design gráfico: Thais Capeto.
Vídeo-cenário: Giuliano Scanduzzi.
Designer de luz: Jonas Ribeiro.
Fotografia: Jefferson Pancieri.
Produção audiovisual: Luz Audiovisual.
Produção de conteúdo para mídias sociais: Luiz Felipe Pedroso.
Produção: Felipe Calixto e Pamela Duncan.
Produção executiva: Jorge Alves.
Coordenação do projeto: Felipe Calixto.
Duração: 55 minutos.
Classificação etária: seis anos.

"Tico-tico"(Foto: Evandro Cavalcante)
O espetáculo conta a história da costureira Aurora em seu atelier no dia em que precisa entregar algumas encomendas. Em meio a agulhas, tesouras e manequins sua atenção é dividida entre um rádio matreiro, com suas músicas e programação envolvente, e a memória de sua infância através da lembrança de um pássaro Tico-tico que preenche seu tempo e a distrai. A trilha sonora é composta pelas canções de Zequinha de Abreu. Sua música “Tico-tico no Fubá”, mais conhecida na voz de Carmem Miranda, foi a inspiração do enredo da peça.

Ficha técnica
Autoria:
Cia das Cores.
Elenco: Alaissa Rodrigues, Artur Reis e Natalia Kesper.
Direção musical: Gustavo Budemberg.
Trilha sonora: Marcelo Bomfim.
Direção: Edson Gon.
Duração: 50 minutos.
Classificação etária: cinco anos.


Serviço – 34º Festival de Férias Online do Teatro Folha
Início: 1º de julho de 2021. Até: 1º de agosto de 2021. Após a compra do ingresso, é possível assistir ao espetáculo quantas vezes quiser desde 0h01 de 1º de julho até às 23h59 de 1º de agosto de 2021.Ingressos*: R$ 10 + R$2,50 (taxa de venda).

*Quem quiser e puder colaborar com uma quantia maior para o Fundo Marlene Colé, há ingressos de R$ 100 (equivale ao valor de uma cesta básica) e R$ 50 (equivale a ½ cesta básica). Venda de ingressos: www.teatrofolha.com.brNecessidades técnicas para assistir aos espetáculos: os espetáculos podem ser assistidos em computadores, tablets, celulares ou emparelhamento com Smart TV.

Sobre a Conteúdo Teatral
O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística e comercial de Isser Korik, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “Improvisorama” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.


domingo, 17 de janeiro de 2021

.: Teatro Folha reabre com ampla programação e regras de segurança

O Teatro Folha reabrirá dia 15 de janeiro cumprindo rigorosamente todas regras de segurança sanitária. Além da programação presencial,  há também programação online para público infantil. Confira a programação completa. Teatro Folha prepara sua reabertura com uma programação diversificada, atento a todas as medidas de segurança. 

O Teatro Folha completa 20 anos de atividades no ano de 2021 e reabrirá dia 15 de janeiro com espetáculos para o público adulto aos finais de semana. Também acontecerá o 33º Festival de Férias, destinado ao público infantil, a partir de 16 de janeiro. O teatro funcionará de acordo com as estratégias do Plano São Paulo para controle da pandemia de covid-19 e cumprirá rigorosamente as regras de segurança sanitária. Além da programação presencial, o teatro também realiza a versão online do Festival de Férias.

A programação começa com “Seleção da Comédia”, que estreia no dia 15 de janeiro e segue em temporada às sextas-feiras, 21h. É um festival com alguns dos mais conhecidos nomes da comédia stand up, como, Rafinha Bastos, Igor Guimarães, Jr Chicó, Ariana Nutt, Victor Sarro, Bruno Motta, entre outros.

Neste sábado, dia 16, reestreia as peças “Precisamos Falar de Amor Sem Dizer Eu te Amo”, com Priscila Fantin e Bruno Lopes, às 18h30; e “1 Milhão de Anos em 1 Hora”, com Bruno Motta, às 21h. Bruno Motta também se apresentará aos domingos, às 18h30. O 33° Festival de Férias do Teatro Folha conta com cinco espetáculos para crianças, que serão apresentados a partir do dia  16 de janeiro. Em cada dia da semana será apresentada uma peça diferente.

O diretor artístico do Teatro Folha, Isser Korik, explica que para garantir a segurança sanitária ao público, precisou refazer todo o esquema de programação artística, reduzindo o número de sessões das peças. “Desta forma podemos garantir maior tempo para higienização da sala entre cada sessão. Também garantimos maior tempo para entrada e saída do público para evitar aglomerações”, conta.

Em cumprimento às regras de segurança sanitária, só será permitida a entrada de pessoas com máscaras, as poltronas serão ocupadas levando em consideração o distanciamento entre as pessoas e o sistema de vendas online foi modernizado. Para compor a programação, a direção artística optou por espetáculos com elencos reduzidos ou cujos atores cumprem quarentena juntos. Também foi recomendado aos diretores das peças que considerem a possibilidade de manter o distanciamento entre os atores em cena. A ideia é também reduzir a circulação de pessoas nos bastidores e camarins do teatro.


Programação presencial
“Seleção da Comédia” - Sextas-feiras, às 21h
É um festival que reúne alguns dos mais conhecidos nomes da comédia stand up. Serão sempre três humoristas por noite - com direito a surpresas extras - que interagem com a plateia, trazendo assuntos que exploram em seus conhecidos vídeos e improvisam no que é considerado uma marca registrada desse tipo de humor. Rafinha Bastos, Igor Guimarães, Jr Chicó, Ariana Nutt, Victor Sarro, Bruno Motta e muitos outros garantem a diversão do público às sextas-feiras.

Ficha técnica
Comediantes:
Rafinha Bastos, Victor Sarro, Igor Guimarães, Junior Chicó, Ariana Nutt e convidados.
Apresentação, produção e direção: Bruno Motta

Serviço - “Seleção da Comédia”
Temporada até:
26 de fevereiro de 2021
Apresentações: sexta-feira, 21h.
Ingresso: R$ 60
Duração: 75 minutos
Classificação etária: 14 anos


“Precisamos Falar de Amor Sem Dizer Eu te Amo”.
Sábados, às 18h30. Pilar e Bento são jovens viúvos que se conhecem virtualmente quando decidem se aventurar em um aplicativo de paquera. A peça começa no momento do primeiro encontro e os personagens dividem seus pensamentos, dúvidas e particularidades com a plateia, que já se sente cúmplice na história desde o primeiro momento, acompanhando o início desse relacionamento como velhos conhecidos na sala de casa. Apesar de ambos terem personalidades peculiares, eles têm em comum a insegurança e a angústia de como se mostrar para o outro nos primeiros encontros. Num momento em que as redes sociais vão muito além de ser um cartão de visita e as relações ficam cada vez mais efêmeras, o casal de protagonistas levanta a questão: o que é o amor?

Ficha técnica
Autor:
Wagner D’Ávila
Direção e elenco: Priscila Fantin e Bruno Lopes
Direção técnica: Arthur Souza
Produção: Gustavo Canella
Realização: More4U

Serviço - “Precisamos Falar de Amor Sem Dizer Eu te Amo”
Temporada até:
27 de fevereiro de 2021
Apresentações: sábado, 18h30
Ingresso: R$ 60
Duração: 90 minutos
Classificação etária: 16 anos


“1 Milhão de Anos em 1 Hora”
Sábados, às 21h. Domingos, às 18h30. A comédia de sucesso da Broadway é apresentada no Brasil pelo humorista Bruno Motta. A peça atravessa a História em ritmo alucinante: da era das cavernas ao Facebook passando por reis e presidentes, regiões e religiões, com um humor que é sucesso de público e crítica. O espetáculo de Colin Quinn e Jerry Seinfeld tem a versão de Marcelo Adnet e Claudio Torres Gonzaga.

Ficha técnica
Atuação:
Bruno Motta
Autor: Colin Quinn
Adaptação: Marcelo Adnet e Claudio Torres Gonzaga
Iluminação: Diego Rocha
Produção: Priscila Gomes e Maria Bia
Direção: Jerry Seinfeld

Serviço - “1 Milhão de Anos em 1 Hora”
Reestreia:
16 de janeiro de 2021
Apresentações: sábados, às 21h. Domingos, às 18h30.
Ingresso: R$ 70
Duração: 70 minutos
Classificação etária: 12 anos


33º Festival de Férias do Teatro Folha
De quarta-feira a domingo, 16h. O Festival de Férias do Teatro Folha chega a 33ª edição, com sessões de quarta-feira a domingo, contemplando uma variedade de temas e estilos de montagem teatral para crianças. A programação de janeiro de 2021 reúne cinco espetáculos, escolhidos pela qualidade e diversidade. A atração de quartas-feiras é a peça “Circo de Coisas”, um circo onde os artistas são os objetos manipulados em montagem da Cia Circo de Bonecos; às quintas-feiras ficará em cartaz “Da Terra à Lua”, uma adaptação do livro de Julio Verne feita pela Sabre de Luz Teatro; Sexta-feira é dia do espetáculo “Cabeleira Doida”, montagem da Cia. ParaladosanjoS livremente inspirada nos livros "Meu Crespo é de Rainha" de Bell Hooks e "Cabelo Doido" de Neil Gaiman; aos sábados será apresentado “A Dama e o Vagabundo – em musical”; “O Lobo Mau Não Tem Culpa – bullying na infância”, com texto, atuação e direção de Leandro Mariz é a programação das tardes de domingo.


Serviço - 33º Festival de Férias do Teatro Folha
Até:
5 de fevereiro de 2021.
Apresentações: de quarta-feira a domingo, às 16h.
Ingressos: R$ 50
*Valor referente ao ingresso inteiro. Meia-entrada disponível em todas as sessões e setores de acordo com a legislação.

Teatro Folha
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / Tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323. Vendas online: www.teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e no site do teatro / Capacidade: 305 lugares (com as restrições de isolamento social serão disponibilizados somente 100 lugares) / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto. Horário de funcionamento da bilheteria: quarta e quinta-feira, das 14h às 16h; sexta-feira e sábado, das 14h às 21h; domingo, das 14h às 18h30 / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3661-5896, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, Owens-llinois, EMS, Banco Luso Brasileiro, Greif, Lupo, SIKA, PLP.


Programação oline - 33º Festival de Férias do Teatro Folha
Todos os dias da semana, às 17h. O Teatro Folha investe na pesquisa de formatos artísticos para internet e por isso realiza a versão online do seu famoso festival de férias. A programação online, que é realizada desde 08 de janeiro, tem sessões todos os dias da semana, às 17h. Está programado um espetáculo a cada dia da semana, apresentado na Sympla Streaming até 04 de fevereiro. O 33º Festival de Férias Online do Teatro Folha é realizado com recursos do Proac Expresso, por meio da Lei Aldir Blanc, contemplado com recursos do edital 40/2020 - Produção e Realização de Festival de Cultura e Economia Criativa com Apresentação Online.  

“O Dinossauro e a Borboleta”, com direção e concepção de Péricles Raggio, se passa no período pré-histórico do planeta Terra. Um pequeno Dinossauro torna-se pai adotivo de uma borboleta. Neste teatro de animação os personagens vivem essa relação de pai e filho de maneira cômica e afetuosa. Sessões às sextas-feiras.

O diretor e ator Claudio Saltini e sua Cia. Circo de Bonecos apresenta um de seus mais conhecidos espetáculos: “Circus – A Nova Tournée” aos sábados. No picadeiro de um cirquinho mambembe, dois saltimbancos apresentam números circenses inusitados com os ovos equilibristas, as minhocas trapezistas, o árabe e seu dromedário abusado, a ousada mosca dançarina, o Homem Bala e o Faquir.

“Da Terra à Lua”, em seu formato online, é a atração do festival aos domingos. A peça é uma adaptação do livro de Julio Verne feita pela Sabre de Luz Teatro.

O espetáculo de contação de histórias indígenas “Contos do Índio e da Floresta Por Curupira”, com o ator Claudio Marinho e direção de Viviane Bernard, tem sessões às segundas-feiras.

“Já Pra Cama, Theo!”, com texto e direção de Pedro Garrafa, é a atração das terças-feiras. Theo é um menino de 5 anos que adora histórias apavorantes. Adora, mas morre de medo. Como se não bastasse ter que lidar com a sua fértil imaginação, as conversas de adultos que não pode participar e o nascimento da sua irmãzinha ainda apareceu um zumbi que diz ser o dono do seu quarto.

Nas tardes de quarta-feira é apresentado o espetáculo “A História das Histórias”. O público ouvirá histórias da tradição oral brasileira, misturando referências indígenas, africanas e europeias. As apresentações mesclam narração de histórias com representação de personagens e manipulação de objetos. 

O público jovem pode participar ativamente em “Jogo da Cena”. Trata-se de cenas interativas e cômicas a partir de jogo de improvisação. As cenas surgirão a partir de estímulos dados à plateia virtual, que poderá sugerir palavras para inspirar o improviso. O público também será entrevistado sobre situações engraçadas  e este conteúdo também servirá de ponto de partida para a criação de cenas. Direção de Ian Soffredini.

Serviço - 33º Festival de Férias Online do Teatro Folha
Até:
4 de fevereiro de 2021
Apresentações: todos os dias da semana, às 17h.
Ingressos: R$ 20
Venda de ingressos: https://www.sympla.com.br/teatrofolha
Necessidades técnicas para acessar a apresentação: baixar o aplicativo Zoom preferencialmente no PC ou notebook. Também é possível assistir por tablet, celular ou emparelhamento com Smart TV.

Sobre a Conteúdo Teatral
O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística e comercial de Isser Korik, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.



sábado, 31 de outubro de 2020

.: Teatro Folha Online: "Novo e Normal" com grandes nomes da dramaturgia


A direção do Teatro Folha e da Conteúdo Teatral considera mais adequado reabrir a sala de espetáculos para sessões presenciais em janeiro de 2021. Enquanto isso, prepara um novo ramo de produção voltado para apresentações na internet. É o Teatro Folha Online. A primeira destas produções é "Novo e Normal", que tem no elenco Elidio Sanna, Jair Oliveira,Juliana Alves,Paloma Bernardi,Samara Felippo, Sérgio Mamberti, Suely Franco e Tania Khalill. “Novo e Normal” é uma parceria com elenco de peso do teatro e da televisão brasileira. 

Elenco de peso e dramaturgia afinada com os novos tempos são os principais ingredientes de “Novo e Normal”, um espetáculo de teatro digital feito para agradar público diversificado. Os atores Elidio Sanna, Jair Oliveira, Juliana Alves, Paloma Bernardi, Samara Felippo, Sérgio Mamberti, Suely Franco e Tania Khalill formam o afiado time que promete sacudir a produção de lives cênicas. A estreia acontece dia 07 de novembro de 2020 na Sympla Streaming. As sessões serão aos sábados às 21h, e domingos às 15h. 

O espetáculo reúne histórias de quatro casais de idades e realidades diferentes, em situações inusitadas que enfrentam durante a pandemia, mostrando com muito humor o impacto em suas relações pessoais, como vivem e lidam com seus desafios nas circunstâncias atuais  que a humanidade está enfrentando. 

“Novo e Normal” é realizado ao vivo a partir da casa de cada ator e transmitido por streaming. Desenvolvido como uma nova linguagem de comunicação, com o cuidado de diferenciar-se do conceito de “teatro filmado”, o espetáculo aposta na dinamicidade, cenas curtas e interatividade para divertir o público de todos os cantos do Brasil e para brasileiros pelo mundo. 

Sinopse
Walter (Sérgio Mamberti) e Sonia (Suely Franco) foram casados e se separaram depois que os filhos cresceram. Para se cuidarem durante a pandemia decidem voltar a morar juntos. Walter tem segundas intenções: quer reatar o casamento. Mas Sonia, maníaca por higienização e com medo do vírus, impõe a ele uma quarentena dentro de um quarto no apartamento dela. Tudo vai mudar quando descobrem o sumiço de Lurdes,  irmã de Walter. 

Fernanda (Samara Felippo), filha da desaparecida Lurdes, é médica e está ocupadíssima trabalhando na linha de frente no combate à Covid19. Seu marido, André (Elídio Sanna), investiu toda sua economia em uma padaria gourmet que seria inaugurada uma semana depois de decretada a quarentena. Contrastando com o comportamento da mulher, André tem comportamento negacionista,  resistindo ao uso da máscara, o que abala a relação inconstante do casal. 

Bel (Tania Khalill), irmã de Fernanda, foi a Nova York antes da pandemia para fazer um curso de ciência da felicidade. Seu amante, o músico Gerson (Jair Oliveira), deixa mulher e filhos no Brasil e segue para Nova York para se encontrar com Bel, com a desculpa de assinar um contrato com uma gravadora e fazer uma live musical, quando a mãe de sua amante desaparece. 

A delegada Paula (Juliana Alves), amiga de infância de Gerson, é casada com a psicanalista holística Amanda (Paloma Bernardi), que atende a desaparecida Lurdes, e se torna uma peça chave para o desvendamento do mistério de seu sumiço.  

O texto foi criado pelos premiados dramaturgos Fabio Brandi Torres, Nanna de Castro e Sérgio Roveri, com a colaboração de Becky Sarfati Korich. A dramaturgia foi criada especialmente para os atores do elenco. A direção de Ian Soffredini e Isser Korik e a estrutura do texto seguem uma estética inspirada no filme Short Cuts (Robert Altman – 1993), no qual histórias aparentemente desconexas vão ganhando fios de interligação entre seus personagens de núcleos diferentes, formando um grande mosaico. 

A produção
“Novo e Normal” é a primeira realização do Teatro Folha Online, em parceria com os participantes do projeto. Teatro Folha Online é um novo ramo da Conteúdo Teatral, produtora com vasto currículo em espetáculos teatrais de qualidade artística e visão comercial no Teatro Folha, espaço conhecido do público paulistano há quase vinte anos com uma das melhores programações da cidade. Enquanto o público não pode ir ao Teatro Folha, o Teatro Folha Online vai à casa do público, no Brasil e no mundo, para levar entretenimento, humor e reflexão sobre o momento em que vivemos. 

O elenco
Elidio Sanna 
Elidio Sanna é um dos criadores da Cia Barbixas de Humor, que surgiu em 2004, fruto da parceria entre Anderson Bizzochi e  Daniel Nascimento. Com a Cia Barbixa de Humor já se apresentou em mais de 80 cidades na América Latina e Europa e está há mais de 11 anos em cartaz em São Paulo com o espetáculo “Improvável”, que já foi visto por mais de 1 milhão de pessoas. Improvisa no palco, escreve textos cômicos, dirige vídeos originais e eventualmente produz programas de televisão, como, “Quinta Categoria” (MTV), “É Tudo Improviso” (Band) e “Tomara Que Caia” (Globo).

Jair Oliveira 
O músico iniciou a carreira na infância e fez parte da turma do Balão Mágico na década de 1980,  sucesso entre o público infantil. Com uma vida dedicada à música, iniciou a sua nova fase na música popular brasileira realizando os álbuns “Dis'ritmia” e “Outro”. Seu terceiro trabalho solo, também pela gravadora Trama é dividido em duas partes, os CDs “3.1” e “3.2”, este último lançado para ser baixado pela Internet. Após parceria de sucesso e de grande crescimento e desenvolvimento profissional, Jair Oliveira lançou em 2006 seu CD “Simples”, independente, pelo selo S de Samba, onde é um dos sócios. Depois realizou CD/Livrinho – “Grandes Pequeninos” em 2009 e “O Samba me Cantou” em 2010. Está no elenco do filme “Os Desafinados”, de Walter Lima Jr.  

Juliana Alves
Presença marcante em novelas desde o ano de 2003, quando atuou em “Chocolate com Pimenta”. Depois disso atuou em “Mano a Mano”, “Prova de Amor”, “Amazônia”, “Duas Caras”, “Caminho das Índias”, “Ti Ti Ti”, “Cheias de Charme”, “Babilônia”, “Sol Nascente”, “O Tempo Não Para”, “Salve-se Quem Puder”, entre outros projetos televisivos. Também tem carreira no cinema. Atuou em “E Aí, Comeu?”, “Made in China”, “A Comédia Divina” e outros longas-metragens. 

Paloma Bernardi 
Iniciou a carreira na infância, participando de campanhas publicitárias. Estreou no teatro em 2002 no espetáculo “Hercules”. Desde sua estreia, atuou em mais de 20 espetáculos, entre eles, “A Bruxinha Que Era Boa”, “Romeu e Julieta”, “Paixão de Cristo Segundo o Diário de Maria”, “Dom Quixote”, “Fame – O Musical”, “Orfeu” e “Chacrinha – o Musical”. Na TV, atuou nas novelas “Os Mutantes – Caminhos do Coração”, “Viver a Vida”, “Insensato Coração”, “Salve Jorge”, entre outros projetos.  No cinema, participou em diversos curtas-metragens e nos longas-metragens “Lascados”, de Vitor Mafra; “Apaixonados – O Filme”, por Paulo Fontenelle; “Mais Forte Que o Mundo”, de Afonso Poyarte; “Os Parças”, dirigido por Halder Gomes; e “Os Parças 2”, dirigido por Cris D’Amato. 

Samara Felippo 
Estreou na novela “Anjo Mau”, em 1997, na Rede Globo. Depois atuou em “Malhação”, “Meu Bem Querer”, “Suave Veneno”, “O Clone”, “A Casa das Sete Mulheres”, “Chocolate com Pimenta”, “Da Cor do Pecado”, “América”, “JK”, “Dercy de Verdade”, “José do Egito” e “Os Dez Mandamentos”, entre outros trabalhos televisivos. No teatro trabalhou em 2012 na montagem do espetáculo “Mulheres Alteradas”, de Andrea Maltaroli. No ano seguinte fez parte do elenco da peça “Orgulhosa Demais, Frágil Demais”, onde deu vida a Marilyn Monroe, com direção de Sandra Pera. Seu último trabalho  no teatro foi “Mulheres que nascem com os filhos”, em 2019. 

Sérgio Mamberti 
Sérgio Mamberti dispensa apresentações aos considerarmos sua longa e bem sucedida carreira como ator. Atuou em mais de 30 projetos na televisão desde o ano de 1968. Entre as novelas, destaque para “As Pupilas do Senhor Reitor”, “Brilhante”, “Transas e Caretas”, “Dona Beija”, “Vale Tudo”, “Pantanal”, “Anjo Mau”, “O Clone”, “Flor do Caribe”, entre muitos outros sucessos. Estreou no teatro em 1964 em “O Inoportuno”, de Harold Pinter, com direção de Antônio Abujamra. Atuou nas peças “Navalha na Carne”, de Plínio Marcos; “O Balcão”, de Jean Genet; “Pérola”, de Mauro Rasi; “Visitando o Sr Green”, de Jeff Baron. Atuou em mais de 40 filmes, realizando consistente carreira no cinema desde o ano de 1966. Trabalhou nos filmes “O Bandido da Luz Vermelha”, “Toda Nudez Será Castigada”, “A Menina do Lado”, “O Mentiroso”, “Castelo Rá-Tim-Bum, o filme”, entre outros. 

Suely Franco  
Desde que fez seu primeiro trabalho em televisão, a adaptação de “Gabriela, Cravo e Canela”, em 1960, até a última novela “A Dona do Pedaço” em 2019, Suely Franco acumulou em seu currículo o impressionante número de 62 projetos, com muitos sucessos. Entre as novelas, atuou em “O Espigão” (1974), “Estúpido Cupido” (1976), “Chega Mais” (1980), “Mulheres de Areia” (1993), “Torre de Babel” (1999), “A Favorita” (2008), entre outras. Estreou no cinema em “Dois na Lona”, em 1968. Também atuou em  “Quatro Contra o Mundo” (1974), “Minha Vida em Suas Mãos” (2001), “Uma Professora Muito Maluquinha” (2011), “Minha Mãe É Uma Peça - O Filme” (2013), “Minha Mãe É Uma Peça 2” (2016) e em outros filmes. No teatro trabalhou em parceria com grandes nomes das artes cênicas brasileiras. Atuou nas peças “Com a Pulga Atrás da Orelha”, de Georges Feydeau, direção de Gianni Ratto; “O Beijo no Asfalto”, de Nelson Rodrigues, direção de Fernando Torres; “Somos Irmãs”, direção de Cininha de Paula e Ney Matogrosso; “Ai, Ai, Brasil”, de Clovis Levi, direção de Sérgio Britto; “Luta Secreta de Maria da Encarnação”, de Gianfrancesco Guarnieri, direção de Marcus Faustini; “A Mandrágora”, de Maquiavel, direção de Eduardo Tolentino de Araújo; “Quarta-Feira, Sem Falta, Lá em Casa”, de Mário Brasini, direção de Alexandre Reinecke.  

Tania Khalill  
Atriz com trabalhos em cinema, TV e teatro. Formada também  em psicologia e em balé clássico. Em 1995 estreou na peça “No Natal A Gente Vem te Buscar”, com texto de Naum Alves de Souza; depois fez “Curta Comédia” (2003), de Luís Fernando Veríssimo e direção de Wolf Maya, “O Mala” (2008), de Larry Shue e direção de Isser Korik, “Grandes Pequeninos – O Show” (2010), de Fábio Torres com direção de Isser Korik, “Vamos?” (2010), de Mário Viana com direção de Otávio Martins, “Dez Encontros”, de David Hare e direção de Isser Korik; e “Mary Poppins - O Musical” (2017). Sua primeira novela foi “Sabor da Paixão” (2002), da TV Globo. Na TV atuou em seriados e novelas, como “Galera” (2004), da TV Cultura, “Cobras e Lagartos” (2006), da TV Globo, “Pé na Jaca” (2006), da TV Globo, “Guerra e Paz” (2008), série da TV Globo, “Casos e Acasos” (2007), série da TV Globo, e “Acampamento de Férias 2” (2011), minissérie da TV Globo. Ainda na TV Globo atuou nas novelas “Senhora do Destino” (2004), ao lado de Suzana Vieira, em “Caminho das Índias” (2009), em “Fina Estampa” (2011), e também em  “Salve Jorge”, contracenando com Domingos Montagner. Foi também apresentadora de Grandes Pequeninos Chefs, em 2016. No cinema fez “Área Q” (2011), filme brasileiro-estadunidense que mistura ficção científica com o gênero paranormal, dirigido por Gerson Sanginitto; “Meu Amigo Hindu” (2016) e “Eu Fico Loko” (2017). 

Dramaturgia
Becky Sarfati Korich   
Advogada, mediadora e escritora. Estreou na dramaturgia ao escrever o texto da cena “Consolação”, um dos encenados no projeto “Te Amo São Paulo”, que esteve em cartaz no Teatro Folha em 2010. “Consolação” teve direção de Alexandre Reinecke. Atualmente escreve para o blog Quarentenando –  Cérebro&Coração, que surgiu no período da quarentena, refletindo sobre comportamento, cultura, cotidiano.  

Fábio Brandi Torres 
Fabio Brandi Torres é diretor teatral, dramaturgo e roteirista. Foi vencedor por duas vezes do prêmio de Melhor Autor do Festival de Teatro Curta/SESI (2000 e 2002) e três vezes indicado como Melhor Autor ao Prêmio Coca-Cola FEMSA de Teatro Jovem (A Matéria dos Sonhos, 2004, Ciranda das Flores, 2009 e Pandolfo Bereba, 2013). Também foi indicado ao Prêmio Shell 2005, como Melhor Autor, por "O Mata-Burro". Como roteirista, foi colaborador das novelas "Seus Olhos" (SBT) e "Paixões Proibidas" (BAND/RTP), e da sitcom #PartiuShopping (Multishow). Em 2017, assinou o roteiro do documentário Inezita, para a TV Cultura. Teve a peça "Um Conto do Rei Arthur" editada ao vencer o Concurso de Dramaturgia Vladimir Maiakovski e o livro infanto-juvenil O Tesouro de Fabergè publicado em duas edições.  Seus textos já foram apresentados em Portugal, Espanha, Estados Unidos e Cabo Verde, e encenados por Isser Korik ("Revistando", "Grandes Pequeninos" e "A Pequena Sereia"), Iacov Hillel ("Prepare seu Coração" e "Tutto Nel Mondo è Burla"), Val Pires ("Medida por Medida"), Caco Ciocler ("Vão Livre"), André Garolli ("Trama da Paixão" e "O Mata-Burro"), William Gavião ("Respeitável Público?" e "Macbeth") e Rosi Campos ("Se Casamento Fosse Bom..."). 

Nanna de Castro 
É publicitária, roteirista, escritora e autora teatral premiada em suas diversas áreas de trabalho. Desde 1990 atua criando campanhas, eventos e vídeos para grandes empresas e marcas. Formou- se em Psicologia e Artes Cênicas na UFMG no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Escreveu mais de 10 obras e continua criando uma média de duas obras por ano, trafegando do drama à comédia e entre linguagens artísticas diferentes, com destaque no cinema para: “Eu Te Darei o Céu” ganhadora do Kikito de melhor roteiro em Gramado. Com o filme “A História Real”, recebeu o prêmio de melhor roteiro na Jornada Internacional de Cinema da Bahia(1999) e também no Festival de Curtas de Santos. Na TV é roteirista em projetos para a TV Globo, TV Cultura, TVs Educativas e RTP de Portugal. No teatro é autora dos textos “Vô Doidim e os Velhos Batutas” (indicado em nove categorias do prêmio Coca-Cola, entre elas, melhor texto), “O Menino que virou História” (Prêmio Usiminas de Melhor texto e indicado ao prêmio Coca-Cola de melhor texto), além de peças adultas que foram sucesso de crítica em São Paulo como “Mundus Immundus”, “O Jardim das Delícias”, “Eu Te Darei o Céu”, “Novelo” e “A Bala Na Agulha”. Na literatura, tem dois livros de poemas publicados: “Perverso” e ”Curto-Circuito”, e o livro de crônicas “Só as Magras e Jovens São Felizes”. Em 2016 publicou o livro “O Céu Não é Um Lugar” pela editora Chiado. 

Sérgio Roveri 
Jornalista, dramaturgo, estreou como autor teatral em 2003 com a peça “Vozes Urbanas”, selecionada para o projeto Agora Metrópoles do Século 21. Com mais de 25 textos teatrais escritos, dos quais 22 já foram encenados. A terceira peça “O Encontro das Águas” fez  longa carreira de sucesso, tendo recebido diversos prêmios em Festivais de Teatro, além de ter sido adaptada para a televisão. Em seguida vieram a comédia “O Eclipse”, apresentada em temporada de sucesso no Espaço dos Satyros 2; e “Abre as Asas Sobre Nós”, livremente inspirada no conto “Bárbara”, de Dráuzio Varela. Recebeu três Indicações ao Prêmio Shell de Melhor Autor, vencendo em 2006 com o texto “Abre as Asas Sobre Nós”. Também ganhou o 1º lugar no Prêmio Funarte de Dramaturgia 2005 com a peça "Andaime" e o  5º Prêmio Cidadania em Respeito à Diversidade com a peça “O Horário de Visita”. Integrou a equipe de roteiristas que escreveu os seriados “Norma”, da Rede Globo de Televisão, e “Três Teresas”, do canal GNT. Foi um dos três dramaturgos brasileiros convidados para representar o Brasil na Feira do Livro de Paris, realizada em março de 2015. Sérgio Roveri é também autor do livro “Gianfrancesco Guarnieri: um Grito Solto no Ar”  da editora Imprensa Oficial SP. Participa também do livro “Os Cem Menores Contos Brasileiros do Século” publicado pela editora Ateliê. Possui textos traduzidos para o espanhol, inglês, francês, chinês, alemão e italiano.  

Direção 
Ian Soffredini 
Credenciado pela City University London pelos estudos concluídos na Arts Educational Schools London. Também cursou na Academy of Creative Training, de Brighton, e na Academy of Live and Recorded Arts. Trabalha como ator e diretor ininterruptamente nas companhias Cia. Do Pátio e Núcleo EsTeP desde 2006. Dirigiu e idealizou pesquisa de arte espontânea, com apresentações de espetáculos inéditos e improvisados, por meio de propostas da plateia, tendo origem a peça “Espontânea”, que estreou em 2012. Também foi curador do “Improvisorama”, festival de improvisação que reuniu os principais grupos do gênero no Brasil e no exterior. Em parceria com o Grupo XPTO, adaptou e interpretou em “Romeu e Julieta”, apresentado no Festival Internacional de Teatro de Objetos, promovido pelo SESI. Atuou nos espetáculos “A Minha Primeira Vez” e “Cinderela”, com direção de Isser Korik; “A Bela Adormecida”, com direção de Paulo Henrique Jordão; “Cyrano de Bergerac”, com direção de João Fonseca; “Further then the furtherest thing” e “Gut girls”, interpretados em Londres; “Pequena reflexão cômica”, com texto, direção e atuação próprias; “Minha Nossa!”, de Carlos Alberto Soffredini; “Nunca Se Sábado”, de Mário Viana, Fábio Torres, Luiz Henrique Romagnolli, Laert Sarrumor e Isser Korik; e “Revistando 2006”, de Mário Viana e Fábio Torres, entre outras montagens. Recentemente atuou em “Vem buscar-me que ainda sou teu”, de Carlos Alberto Soffredini e direção de Renata Soffredini; adaptou e dirigiu a montagem “O Pequeno Príncipe”, conquistando a atenção do público e da crítica especializada. 

Isser Korik 
Diretor, ator, produtor, tradutor e dramaturgo, Isser Korik coleciona trabalhos marcantes como comediante em mais de 35 de carreira, como “Vacalhau & Binho”, de Zé Fidélis, que permaneceu oito anos em cartaz; “O Dia que Raptaram o Papa”, de João Bethencourt; e, recentemente, “E o Vento não Levou”, de Ron Hutchinson, e “Toda Donzela Tem um Pai que é uma Fera”, de Gláucio Gill. Como diretor se destaca na comédia. Concebeu “Nunca se Sábado...”, apresentado por quatro temporadas sob sua direção-geral, que marcou a cena paulistana. Dirigiu o sucesso “A Minha Primeira Vez”, de Ken Davenport; a trilogia cômica de Alan Ayckbourn “Enquanto Isso...”; “O Mala”, de Larry Shue; o projeto “Te Amo, São Paulo”, que reuniu grandes nomes da dramaturgia paulista; além dos infantis “A Pequena Sereia”, de Fábio Brandi Torres; “Grandes Pequeninos”, de Jair Oliveira; “Cinderela”, “O Grande Inimigo” e “Ele é Fogo!”, de sua autoria, tendo recebido por esse último o Prêmio APCA. Recentemente dirigiu os sucessos “Jogo Aberto”, de Jeff Gould; “O Empréstimo”, de Jordi Galceran. “Que Tal Nós Dois?” de Otávio Martins e Juliana Araripe; “As Guerreiras do Amor”, de Domingos Oliveira e “Quando Tudo Estiver Pronto” de Donald Margulies. É diretor artístico da produtora Conteúdo Teatral e do Teatro Folha. 

Sobre a Conteúdo Teatral 
O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística e comercial de Isser Korik, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.  

Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “Improvisorama” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”. 

Ficha técnica 
Elenco: Elídio Sanna, Jair Oliveira, Juliana Alves, Paloma Bernardi, Samara Felippo, Sérgio Mamberti, Suely Franco e Tania Khalill. 
Dramaturgia: Becky Sarfati Korich, Fábio Brandi Torres, Nanna de Castro e Sérgio Roveri 
Direção de arte: Fábio Namatame 
Fotos: Eduardo Leão 
Assessoria de imprensa: Claudio Marinho 
Coordenação de marketing: Emanoela Abrantes 
Criação gráfica e mídias sociais: Renata Castanho 
Colaboração em criação gráfica e mídias sociais: Marjorie Costa e Pedro Tavares 
Transmissão por streaming: Jardim Cabine 
Produção executiva: Will Siqueira 
Direção: Ian Soffredini e Isser Korik 
Realização: Teatro Folha Online 

Serviço 
“Novo e Normal” estreia dia 7 de novembro. Sessões aos sábados às 21h, aos domingos às 15h. 
Venda de ingressos: https://www.sympla.com.br/urlAlias/render?alias=teatrofolha 
Necessidades técnicas para acessar a apresentação: baixar o aplicativo Zoom preferencialmente no PC ou notebook. Também é possível assistir por tablet, celular ou emparelhamento com Smart TV. 
Ingressos: a partir de R$ 30,00, com preços variáveis por lote. 
Duração: 60 minutos 
Classificação indicativa: 12 anos 




quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

.: Programação da 32ª edição do Festival de Férias do Teatro Folha

Tradicional no circuito teatral paulistano, com duas versões anuais, o Festival de Férias do Teatro Folha chega a 32ª edição. Realizado desde 2004, soma 200 espetáculos de 90 companhias, aproximadamente. Com uma sessão às 16 horas, de segunda a sexta, e uma dobradinha (às 16h e 17h40) aos sábados e domingos, a programação de janeiro de 2020 do evento reúne sete espetáculos, sendo cinco clássicos do universo infantil, além de uma peça inspirada em texto de Ruth Rocha e outra adaptada da obra de Monteiro Lobato.

A Bela e a Fera e As Desmemórias da Emília - A Marquesa de Rabicó abrem o cardápio no dia 4 de janeiro, respectivamente, sendo apresentadas aos sábados e domingos, às 16 e 17h40, até 26 de janeiro. Alice no País das Maravilhas é a atração das segundas-feiras, a partir do dia 6, às 16h, até dia 27. Pinóquio poderá ser visto nas terças-feiras, do dia 7 até 28. Nas quartas-feiras, a criançada pode assistir Dois Idiotas Sentados cada Qual no Seu Barril, de 8 a 29. A Branca de Neve - o Musical estará em cartaz às quintas, do dia 9 até dia 30. Às sextas, a partir de 10 de janeiro, é a vez de O Mágico di Ó - O Clássico em Forma de Cordel, com sessões até dia 31.

O diretor artístico do Teatro Folha, Isser Korik, conta que a criação do festival foi uma consequência natural já que, desde a construção do teatro, havia sido traçada uma diretriz de que o teatro infantil teria tanta prioridade quanto o adulto.  Nenhuma peça poderia ocupar o palco com cenários fixos nem ocupar as instalações de luz como quisesse. Tudo teria que ser compartilhado em igualdade de condições.  “Investir no teatro infantil era investir num grande público potencial do bairro, no presente e na formação de público no futuro. Essa atitude atraiu os melhores espetáculos infantis para o Teatro Folha e logo o público compareceu prestigiando. A ideia de um festival com espetáculos diferentes a cada dia se provou uma fórmula acertada.” Isser assina a curadoria ao lado de Claudio Marinho, responsável pela programação. A linha obedece ao critério da qualidade artística, segundo Isser, que procura atender públicos de todas as idades e oferecer variedade de linguagens teatrais, para agradar o máximo de pessoas. 


Confira a programação completa:

De 4 a 26 de janeiro - SÁBADO e DOMINGO, às 16 horas.

A Bela e a Fera. Foto: Débora Corvello

Adaptado e dirigido por Rafael Junqueira, clássico da Disney, conto de fadas francês originalmente escrito por Gabrielle-Suzanne Barbot, Dama de Villeneuve, em 1740, apresenta versões variadas do original que se adaptam a diferentes culturas e momentos sociais. Em cena, a história de amor entre uma linda e inteligente jovem (Bela) e um príncipe que foi enfeitiçado e transformado em Fera. Bela vive em um vilarejo francês com seu pai, que é capturado e aprisionado pela Fera em seu castelo. A jovem consegue localizá-lo e se oferece para ficar no lugar dele. Sua bondade a faz enxergar o lado humano da Fera, por quem se apaixona perdidamente, quebrando o feitiço.

Ficha Técnica
Direção e adaptação: Rafael Junqueira
Elenco: Rafael Junqueira, Larissa Leal, Marcelo Ayres, Layana Cattoni, Davi Willians, Karla Bonfá, Edson Gonçalvez, Danilo Martins, Fábio de Carvalho, Fávio Pimenta e Johnny Salvi
Cenografia: Rafael Junqueira
Iluminação: Rodrigo Souza
Operação de Som e Luz: Fernando Pereira
Realização: JTR Produções.
Duração: 60 minutos
Classificação: a partir de 3 anos


De 4 a 26 de janeiro – SÁBADO e DOMINGO, às 17h40

As Desmemórias da Emília – A Marquesa de Rabicó. Crédito das fotos: Grupo Trapo

Concebida e dirigida pelo jovem diretor Muriel Vitória, a história é uma ficção baseada na obra de Monteiro Lobato (cuja obra entrou em domínio público em 2019). O Grupo Trapo traz à cena um espetáculo infanto-juvenil apresentando a famosa boneca da literatura infanto-juvenil brasileira que resolve escrever suas “des-memórias”. São memórias de meias verdades contadas do seu jeito. Para tal missão, ela conta com a ajuda do inseparável sábio Visconde de Sabugosa. Pedrinho, Dona Carochinha, o príncipe Escamado e até mesmo a Cuca ajudam Emília nesta missão de compartilhar suas desmemórias com o mundo.

Ficha Técnica
Direção e Concepção: Muriel Vitória
Elenco: Vitória Rabelo ( Emília ) , Diego Britto ( Visconde ), Isaque Patrício ( Pedrinho ), Marília Pacheco ( Dona Carochinha ), Lucas Soares ( Príncipe Escamado ) e Priscilla Rosa ( Cuca )
Iluminação: Iohann Iori Thiago
Produção de Figurinos e Adereços: Danilo Yabiku
Direção de Produção: Marina Hohne 
Duração: 40 minutos
Classificação etária: a partir de 3 anos



De 6 a 27 de janeiro, SEGUNDA, às 16 horas

Alice no País das Maravilhas. Foto: Jady Forte


A Cia. dos Tantos apresenta livre adaptação da obra de Lewis Carroll. Considerado um dos textos mais célebres do gênero, a história parte do sonho da curiosa menina Alice. Ela segue um coelho de colete e relógio e é projetada para um novo mundo. No país das Maravilhas, Alice encontra seres fantásticos como a Lagarta, o Chapeleiro Maluco e a temida Rainha. Alice no País das Maravilhas é uma viagem de ida e volta, mas como diz o personagem principal, você vai sentir saudades quando acordar. Com elementos da cultura hippie dos anos 60 e 70 e da cultura pop, a montagem faz o público questionar e refletir sobre sua função no mundo.

Ficha técnica
Texto: Lewis Carroll
Adaptação e Direção: Guy D’avllis
Elenco: Talytha Pugliesi, Thiago Tavares, Fani Feldman, Renan Ferraz e Álvaro Franco
Preparação Corporal, iluminação e trilha sonora: Thiago Tavares
Cenário e Figurino: Ateliê na Estica / Guy D’avllis
Produção Executiva: Thiago Tavares e Guy D'avllis
Assistente de Produção: Denise Macedo
Contra Regra: Douglas Bertossi
Camareira: Val Ribeiro
Realização: Cia dos Tantos
Duração: 50 minutos
Classificação etária: a partir de 3 anos


De 7 a 28 de janeiro, TERÇA, às 16 horas

Pinocchio. Foto: Jefferson Pancieri

Com concepção e direção de Pamela Duncan, a peça livremente inspirada na obra do italiano Carlo Collodi, narra a história de Pinocchio, um boneco de madeira feito por Gepetto, um homem simples. A madeira é mágica e, depois de pronto, o boneco começa a se mexer e agir como um menino de carne e osso. E, como tantos meninos, Pinocchio não ouve os conselhos do Gepetto - ele prefere divertir-se. Mas, é ingênuo e tem um bom coração. Um dos traços típicos de Pinocchio é que quando mente seu nariz cresce (uma imagem tão acertada de Collodi que é conhecida mesmo por aqueles que nunca leram o texto).

Ficha técnica
Direção e concepção: Pamela Duncan
Elenco: Jonathan Well, Rogerio Favoretto, Mauricio Madruga, Dulcineia Dibo, Ricardo Aires
Assistente de direção e Produção: Luiz Fernando Albertoni
Dramaturgia: Rogério Favoretto e Pamela Duncan
Narração: Lui Strasburger
Sonoplastia: Aline Meyer.
Iluminação: Bruno Caselli
Operador de Som e assistente de mídias: Jonas Ribeiro
Figurinos: Pamela Duncan
Adereços: Lucas Luciano e Ivaldo de Mello
Cenário: Heron Medeiros e Pamela Duncan
Design Gráfico e textos: Aida Cassiano
Vídeo Cenário: Giuliano Scanduzzi
Coreografia: Luciana Mayumi
Preparação vocal: Jocelyn Maroccolo
Produção: A peste, Cia Urbana de Teatro
Fotografia: Jefferson Pancieri
Realização: A Peste, Cia Urbana de Teatro – Pamela Duncan
Duração: 60 minutos
Classificação: a partir de 4 anos


De 8 a 29 de janeiro, QUARTA, às 16 horas

Dois Idiotas Sentados Cada Qual no seu Barril. Foto: Marcelo Sarmento

Realizado pela Borbolina Cia, a comédia Dois Idiotas Sentados Cada Qual no seu Barril é uma livre adaptação do livro de Ruth Rocha, autora conhecida por seus livros infantis. Em clima descontraído, a montagem instiga o público a refletir sobre as disputas que muitas vezes travamos antes mesmo de permitir o diálogo. Em cena, Teimosinho e Mandão são palhaços combatentes de guerra que atuam em exércitos distintos, cada qual com um barril cheio de pólvora. Quando os dois, extremamente egoístas e autoritários, não conseguem dialogar sem brigas, acendem uma vela e colocam em risco toda vida ao redor – incluindo a deles. Nesta versão leve e intrigante, a peça destaca o quanto a polaridade entre ideias pode ser ruim quando o diálogo é deixado de lado. As personagens se alternam entre conflitos e brincadeiras, baseadas em números de palhaçaria.

Ficha técnica
Obra: Ruth Rocha
Dramaturgia: Dario Uzan
Elenco: Giuliano Caratori e William Maciel
Concepção e Direção: Stella Tobar
Idealização: Jô Santana
Cenografia: Paula de Paoli
Figurinos: Paula de Paoli e Sônia Ushiyama
Iluminação: Giuliano Caratori
Trilha sonora: Flávio Pereira e Stella Tobar
Narração Criança: Clarissa Tobar
Fotos: Eduardo Petrini
Adereços de Cenografia e Figurinos: Clau Carmo
Operador de Luz e Som: Vinícius Requena/Eduardo Petrini
Produção: Fato Marketing e Produções
Produção Executiva: Borbolina Produções
Realização: Borbolina Cia e FATO
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: a partir de 4 anos


De 9 a 30 de janeiro, QUINTA, às 16 horas

Branca de Neve – O Musical. Foto: Caio Gallucci

O conto de fadas originário da tradição oral alemã, que foi compilado pelos Irmãos Grimm, roteirizado e dirigido por Rodrigo Gomes, é o ponto de partida para o musical produzido pela Dos Clássicos Produções. O espetáculo conta com quatro atores cantores (Ella Dalcin, Thiago Lemmos, Simone Luiz e Vitor Moresco), que dão vida ao conto, misturando o mundo fantasioso da famosa história, com músicas ao vivo. No palco, o elenco interpreta as canções trazendo referências à tão conhecida história, mas também dão voz a outros personagens. Para isso, foram acrescentadas três canções do musical Into The Woods: “Witch’s Lament” (“Veja, espelho meu”- solo da Rainha Má), “Agony” (“Ai de mim!” - dueto do Príncipe e Caçador) e “It’s The Last Midnight” (“Sou a mais bela” - solo da Bruxa), versionadas por Rafael Oliveira, especialmente para o espetáculo que conta a história de uma rainha conhecida por sua beleza e maldade. Entre seus segredos e feitiços, havia um espelho mágico que revelava se a malvada continuava sendo a mais bela de todas as mulheres. Certa vez, o misterioso espelho confessou a sua senhora que outra moça crescia em graça e beleza: Branca de Neve, enteada da cruel rainha. Inicia-se então uma bela história envolvendo uma linda princesa, uma mulher invejosa, uma maçã envenenada e um beijo de amor verdadeiro.

Ficha técnica
Texto Original: Irmãos Grimm
Roteiro e direção: Rodrigo Gomes
Elenco: Ella Dalcin (Branca de Neve), Thiago Lemmos (Príncipe), Simone Luiz (Rainha Má / Bruxa) e Vitor Moresco (Caçador)
Cenário e Figurino: Rodrigo Gomes
Pintura de arte: Lu Grecco
Fotos divulgação: Caio Gallucci
Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: a partir de 3 anos

De 10 a 31 de janeiro, SEXTA, às 16 horas

O Mágico Di Ó – O Clássico em Forma de Cordel. Foto: Victor Miranda

Inspirado no clássico O Mágico de Oz, de Frank Baum, o espetáculo escrito pelo dramaturgo Vitor Rocha, narra a saga de retirantes nordestinos a caminho da cidade de São Paulo. A peça traz um olhar abrasileirado dos personagens Dorothy, Espantalho, Leão e Homem de Lata, tendo como ponto de partida o embarque da menina Doroteia e seus tios em um pau-de-arara, rumo à capital paulista em busca de uma vida melhor, fugindo de uma terra sem chuva e sem esperanças. Neste grupo de migrantes está o cordelista e versador Osvaldo, que começa a contar uma história para distrair seus companheiros de viagem. Os versos, baseados em uma história real, dão asas à imaginação da garota, fazendo com que realidade e fantasia se misturem neste divertido enredo, que tem como protagonista uma Doroteia que deseja levar chuva para sua terra e ver um arco-íris cruzar o Cariri.

Ficha técnica
Idealização: Luiza Porto e Vitor Rocha
Texto: Vitor Rocha
Direção: Ivan Parente e Daniela Stirbulov
Elenco: Diego Rodda; Elton Towersey; Lui Vizotto; Luiza Porto; Renata Versolato; Thiago Sak; Vitor Rocha, stand in: Renan Rezende
Direção Musical: Marco França
Letras: Vitor Rocha
Músicas: Marco França e Elenco
Trilha Incidental: Diego Rodda
Treinamento de prosódia: Marco França
Assistente de direção musical: Elton Towersey
Direção de arte: Juliana Porto e Silvia Ferraz
Assitente de direção de arte: Carol Arouca
Desenhos de luz: Fran Barros
Operação de luz: Marina Gatti
Duração: 55 minutos
Classificação indicativa: a partir de 4 anos

Serviço – Festival de Férias
Início: De 4 a 31 de janeiro de 2020
Apresentações: segunda a sexta-feira, às 16h; sábado e domingo, às 16h e 17h30.
Ingressos: R$ 50,00*
*Valor referente ao ingresso inteiro. Meia-entrada disponível em todas as sessões e setores de acordo com a legislação.

Teatro Folha - Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323.
 Site: teatrofolha.com.br

Vendas por telefone e no site do teatro / Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto. Horário de funcionamento da bilheteria: segunda e terça-feira, das 14 h às 16 h; quarta e quinta-feira, das 14h às 21h; sexta-feira, das 14h às 21h30; sábado, das 12h às 23h59; domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3661-5896, (11) 97628-4993 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, Consigaz, Owens-llinois, Grupo Pro Security, CCRR e Greif.

Sobre a Conteúdo Teatral: O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística e comercial de Isser Korik, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores. Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.

sábado, 9 de novembro de 2019

.: Crítica: os ensinamentos de “Os Três Porquinhos”, no Teatro Folha

Conto clássico busca a identificação do público infantil com as personagens. Crédito: Karine Alves

Por Mary Ellen Farias dos Santos
Em novembro de 2019 



A história de "Os Três Porquinhos" é clássica e de conhecimento universal. Contudo, no espetáculo infantil que recebe o mesmo nome e está em cartaz no Teatro Folha, aos sábados e domingos, foi renovada. Adaptada e dirigida nos palcos por Pitty Webo, a essência da fábula protagonizada pelos irmãos porquinhos ameaçados pelo lobo é mantida.

Assimo estudioso Puffy (Claudio Marinho), o guloso e preguiçoso Poffy (Victor Di Lourenço) e a medrosa Piffy (Pitty Webo) vivem na floresta e precisam se cuidar, pois o inverno está se aproximando. E para que as crianças entendam as mudanças climáticas das quatro estações, os irmãozinhos demonstram como funciona o movimento de rotação no planeta Terra. 

É com a necessidade da construção de abrigos que surge a problemática de saber o que priorizar, pois cada porquinho pensa diferente e acabam agindo de modos diversos. Sem muito tempo para dedicarem à construção das casas, cada uma é feita de um material distinto. E, claro, o senhor lobo (Romulo Bonfim) vem. No entanto, ele não é só mais um animal da floresta, ele tem talento, é um ator, do tipo canastrão.

A releitura do conto universal, "Os Três Porquinhos" é diversão para os pequenos, com toques pedagógicos que inclui cantigas de roda, interpretadas ao vivo. Ensina que há hora para tudo na vida e até os nomes das cores em Inglês. No teatro, as crianças aprendem e, de espontânea vontade, interagem com os personagens, mesmo o lobo faminto. 

A proximidade dos atores que andam pela plateia, tornam a adesão do público mirim mais vibrante. Logo, todos ali presentes participam da história que trata de temas como direitos, deveres, solidariedade, determinação e medo. É entretenimento para toda a família. O espetáculo fica em cartaz até 24 de novembro. Não perca!


Ficha Técnica - ”Os Três Porquinhos”
Texto e direção: Pitty Webo
Elenco: Claudio Marinho, Pitty Webo, Victor Di Lourenço e Romulo Bonfim
Ilustração: Marilena Saito
Desenho de figurino e caracterização: Pitty Webo
Costureira e modelista: Joana Sales
Assistente de figurinos: Lulu
Desenho de cenário: Pitty Webo
Marceneiro: Reinaldo Lopes
Montagem de cenário: Rodrigo Pereira
Trilha sonora: Pitty Webo
Arranjos: Victor Di Lourenço
Preparação corporal: Pitty Webo
Desenho de luz: Pitty Webo
Transportador oficial: ML Entregas Urgentes
Administração e promoções: Gabriele Oliveira
Produção Executiva e Marketing cultural: Caroline Santana
Realização: Companhia Pitty Webo Arte & Cultura Ltda

Serviço - ”Os Três Porquinhos”
Local: Teatro Folha
Reestreia: 31 de agosto de 2019
Temporada até: 24 de novembro de 2019
Apresentações: sábados e domingos, às 16h
Ingresso: R$ 50 (setor único)*
Sessão extra: 15 de novembro de 2019
Duração: 50 minutos
Classificação indicativa: a partir de três anos

*Valor referente ao ingresso inteiro na plateia e mezanino. Meia-entrada disponível em todas as sessões de acordo com a legislação.

Teatro Folha
Shopping Pátio Higienópolis - Av. Higienópolis, 618 / Terraço / tel.: (11) 3823-2323 - Televendas: (11) / 3823 2423 / 3823 2737 / 3823 2323. Vendas online: teatrofolha.com.br


Vendas por telefone e no site do teatro / Capacidade: 305 lugares / Não aceita cheques / Aceita os cartões de crédito: todos da Mastercard, Redecard, Visa, Visa Electron e Amex / Estudantes e pessoas com 60 anos ou mais têm os descontos legais / Clube Folha 50% desconto. Horário de funcionamento da bilheteria: terça a quinta-feira, das 15h às 21h;sexta-feira, das 15h às 21h30; sábado, das 12h às 22h30; domingo, das 12h às 20h / Acesso para cadeirantes / Ar-condicionado / Estacionamento do Shopping: R$ 14,00 (primeiras duas horas) / Venda de espetáculos para grupos e escolas: (11) 3661-5896, (11) 99605-3094 / Patrocínio do Teatro Folha: Folha de S.Paulo, Consigaz, Owens-llinois, EMS, Bain & Company, Grupo Pro Security, Previsul, Brasforma, NR Acampamentos, Nova Chevrolet.

Sobre a Conteúdo Teatral: O grupo empresarial paulista Conteúdo Teatral atua há mais de quinze anos em duas vertentes: gestão de salas de espaços e produção de espetáculos. Como gestora é responsável pela operação do Teatro Folha, no Shopping Pátio Higienópolis, com direção artística e comercial de Isser Korik, programando espetáculos para temporada em regime de coprodução. No período de atuação a empresa soma mais de 2 milhões de espectadores.


Como produtora de espetáculos, viabilizou dezenas de peças, como “Gata Borralheira”, “O Grande Inimigo”, “Os Saltimbancos”, “A Pequena Sereia”, “Grandes Pequeninos”, “Branca de Neve e os Sete Anões”, “A Cigarra e a Formiga”, “Cinderela” e “Chapeuzinho Vermelho” para as crianças. Para os adultos foram realizadas, entre outras montagens, “A Minha Primeira Vez”, “Os Sete Gatinhos”, “O Estrangeiro”, “Senhoras e Senhores”, “O Dia que Raptaram o Papa”, “E o Vento Não Levou”, “Equus” a trilogia “Enquanto Isso...”, além de projetos de humor – como “Nunca Se Sábado...” e “IMPROVISORAMA” – Festival Nacional de Improvisação Teatral. Em parceria com Moeller e Botelho produziu os Musicais “Um Violinista no Telhado”, “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”, “Nine – Um Musical Felliniano” e “Beatles num Céu de Diamantes”.


*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm



Encerramento e agradecimentos do espetáculo


Próximas postagens → Página inicial
Tecnologia do Blogger.