domingo, 30 de junho de 2019

.: De podcast para livro e série de sucesso: como surgiu "O Mundo de Lore"


Tudo começou com um podcast de sucesso mundial, virou uma elogiada série da Amazon e foi adaptado para o livro lançado pela DarkSide. 

Quem nunca se pegou fascinado e, ao mesmo tempo, com medo no meio da noite lendo alguma história assustadora que surgiu por meio de um link misterioso na internet? Sim, essas histórias, lendas, contos de terror ou o que quer que sejam, existem desde que se há registro e foram ainda mais popularizadas com o crescimento da internet, nas chamadas creepypastas de fóruns e blogs.

Lendas conhecidas e temidas em toda a internet começaram a ser contadas e perpetuadas. Logo inúmeros folclores de países distantes e histórias bizarras criadas por mentes perturbadas figuravam entre as principais pesquisas do Google. Lore surge em 2015 explorando essas histórias tão assombrosas quanto verossímeis ao ponto de nos deixarem pensando em sua real existência, mas em um formato inovador: podcast. Aaron Mahnke, o criador de Lore, não esperava que a ideia desse tão certo.

“Eu lancei Lore em março de 2015 e dentro de cinco meses eu estava cobrando por anúncios e ganhando o suficiente para sair do meu antigo negócio de design e me dedicar exclusivamente ao podcast. Eu, sinceramente, não acreditava que um podcast poderia ser muito mais do que três caras brancos falando sobre a última atualização do iPhone, mas um amigo que aconselhou a seguir esse caminho e deu certo”, disse em entrevista à Forbes.

"O Mundo de Lore", lançamento DarkSide Books
Mas o fenômeno dos podcasts se tornou algo ainda maior quando, em 2017, a Amazon Prime Video anunciou que Lore também se tornaria série, produzida como original pela plataforma. No Brasil, Lore já conta com duas temporadas e dá vida ao podcast de Mahnke misturando dramatização, animação, arquivos e narração do próprio criador do podcast, e vem sendo bem recebida pelo público fascinado em histórias obscuras ou inexplicáveis. Se tudo o que é mostrado, de fato, é verdade, jamais saberemos, mas aqui podemos confiar em uma citação do mestre Edgar Allan Poe: “Não acredite em nada do que ouve, e só acredite em metade do que vê”

Para Aaron, o que era apenas um hobbie de um designer apaixonado por histórias estranhas virou coisa séria e ele nunca se descuidou da qualidade de seus episódios. “É preciso controlar tudo o que puder, melhorar a qualidade do áudio, contar histórias melhores, aprimorar-se em fazer o que você faz e, em seguida, o público vai querer compartilhar mais. Quanto melhor, mais chances de as pessoas falarem sobre (o podcast) umas com as outras. Para mim, é isso que significa fazer a sua própria sorte”, disse.

Com o sucesso das histórias folclóricas, de superstição, fábulas e lendas urbanas, Aaron Mahnke acabou se tornando um podcaster, escritor, apresentador e produtor de sucesso ao apostar todas as suas fichas em Lore – ele também é o autor da série da Amazon. Mahnke se considera um nerd para qualquer coisa inexplicável ou sobrenatural e, atualmente, vive com a família na região histórica de North Shore, em Boston, o coração do território de H.P. Lovecraft e o principal palco dos julgamentos das bruxas de Salem.

Com mais 180 milhões de reproduções em todo mundo, não demorou muito para o premiado podcast Lore se tornar livro, já que seu principal idealizador também é um escritor fascinado por thrillers desde pequeno. O "Mundo Lore: Criaturas Estranhas", lançado pela DarkSide Books, revela os detalhes mais secretos de lendas e histórias contadas de geração em geração e perpetuadas em nosso imaginário. 

De vampiros até zumbis ou povos secretos escondidos em áreas remotas na Islândia, O Mundo de Lore: Criaturas Estranhas é o resultado de uma profunda pesquisa social, histórica e cultural acerca da mistura da realidade com a fantasia, que só poderia culminar em histórias fantásticas que prendem a atenção de todos.

.: Teatro Porto Seguro recebe Marina Lima em "Novas Famílias"


Marina Lima apresenta o show do novo álbum "Novas Famílias", no dia 2 de julho, terça-feira, às 21h, no Teatro Porto Seguro.

Composto por oito canções inéditas e uma regravação como faixa bônus, "Novas Famílias" é o 21º disco da compositora e cantora carioca. O álbum traça um retrato do momento atual da artista, fruto de seu interesse pelo agora e pelo Brasil. A produção do disco é assinada por Marina Lima e Dustan Gallas, integrante da banda Cidadão Instigado.

Em "Novas Famílias", Marina retoma a parceria com seu irmão, o filósofo, poeta e agora imortal da Academia Brasileira de Letras Antonio Cícero ("Juntas" e "Só os Coxinhas") e abre parceria com Leticia Novaes (Letrux) e Silva.

O roteiro do show é assinado por Monique Gardenberg e Marina Lima. No palco, a cantora estará acompanhada por Dustan Gallas (baixo e teclado), Arthur Kunz (bateria e programações) e Leo Chermont (guitarra). 

O repertório, traz as canções do novo álbum como "Mãe Gentil", "Árvores Alheias", "Novas Famílias" e alguns hits de sua trajetória como "Pra Começar", "Charme do Mundo", "À Francesa", "Fullgás" e "Uma Noite e Meia".


Marina Lima - "Novas Famílias"
Terça-feira, dia 2 de julho, às 21h.
Ingressos: R$ 100 plateia / R$ 85 balcão e frisas.
Classificação: livre.
Duração: 90 minutos.

Teatro Porto Seguro
Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.
Telefone (11) 3226-7300.

Bilheteria: de terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.
Capacidade: 496 lugares.
Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
Acessibilidade: dez lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) - Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.
Serviço de Vans: transporte gratuito Estação Luz – Teatro Porto Seguro – Estação Luz. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. Como pegar: na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro. Bicicletário – grátis.
Gemma Restaurante: terças a sextas-feiras das 11h às 17h; sábados das 11h às 18h e domingos das 11h às 16h. Happy hour quartas, quintas e sextas-feiras das 17h às 21h.

Vendas: tudus.com.br
Facebook: facebook.com/teatroporto
Instagram: @teatroporto


.: Vamos ficar estranhos com os novos funkos de "Stranger Things"


Finalmente a terceira temporada de "Stranger Things" está ao virar da esquina com uma data de lançamento de 4 de julho. Prepare-se para a nova temporada e leve para casa seus personagens favoritos, disponíveis agora.

Como se a espera para a temporada 3 não fosse difícil o suficiente, o lançamento também coincidiria com a venda do Fourth of July da Funko nesta quinta-feira, 4 de julho até domingo, 7 de julho. Ganhe 20% de desconto com o código promocional USA20 e frete grátis para pedidos mais de US $ 50. Neste link você já pode comprar.

.: Roger Waters autoriza e "Another Brick In The Wall" tem remake de Alok


Marcando o nono lançamento do ano, Alok, o artista brasileiro mais ouvido no mundo, está lançando "The Wall' em parceria com Sevenn. Fazendo um remake do icônico verso "We don't need no education!" do clássico "Another Brick In The Wall" da banda Pink Floyd, a música já está disponível em todas as plataformas digitais. Vale destacar que esta é a segunda vez que Alok colabora com um artista desta estatura, depois de remixar "Gotta Get A Grip" de Mick Jagger em 2017.

A track também marca um importante passo na carreira do artista como visionário e um dos responsáveis pela popularização da cena eletrônica com o lançamento da label "CONTROVERSIA", selo que dará oportunidade para artistas do segmento. "Lançar 'The Wall' como a primeira música da minha label Controvérsia, é uma das melhores escolhas que eu poderia ter feito. Estou constantemente buscando e fazendo músicas para que façam parte da vida das pessoas e 'Another Brick In The Wall' é uma música memorável para muitas gerações. Estou muito feliz com a oportunidade e tenho certeza que tem muito mais por vir. Sobre a label, o objetivo é fortalecer os artistas que eu acredito", comenta Alok, que recebeu a aprovação do próprio Roger Waters, um dos fundadores da lendária banda britânica.

Além das plataformas digitais, "The Wall" também estará no YouTube com um vídeo desenvolvido por Steve Cutts, ilustrador e animador de Londres; e satiriza os excessos da sociedade moderna atual. Inspirado nas caricaturas dos anos 1930 e 1940, ele já trabalhou em projetos digitais para empresas como, Coca-Cola, Google, Sony e Toyota.

Na estrada há 15 anos, Alok está alçando novos voos e grande audiência internacional pelos quatro cantos do mundo. Eleito o 13º melhor DJ global pela publicação DJ Mag e indicado como 'Melhor DJ' na premiação latina MTV Millennial Awards, o artista já soma nos últimos meses lançamentos com grandes artistas internacionais, como: "Party Never Ends" com Quintino, "Do It Again" com Steve Aoki; "All The Lies" com The Vamps e Felix Jaehn; "Metaphor" com Timmy Trumpet; "Pray" com Conor Maynard; "Favela" com Iva Wroldsen e muito mais!

Já o Sevenn, inicialmente formado pelos irmãos Kevin e Sean Brauer, iniciou a carreira em 2017 com "Boom", colaboração com Tiesto e que já soma mais de 60 milhões de streamsdo Spotify. Atualmente apenas com Kevin, o projeto lançou recentemente músicas com as gravadoras Armada, Universal Music e SOURCE.

.: Canal Brasil exibe o especial “Nelson Rodrigues no Cinema” todas as terças

Programação conta com a estreia de “O Beijo no Asfalto” (2018), de Murilo Benício,
na foto, e inclui ainda filmes de Arnaldo Jabor, Moacyr Góes e Andrucha Waddington

No dia 26 de julho, “O Beijo no Asfalto” (2018), nova adaptação da obra de Nelson Rodrigues, pelas mãos do diretor estreante Murilo Benício, estreia no Canal Brasil e conta com Fernanda Montenegro, Stênio Garcia, Lázaro Ramos e Débora Falabella no elenco. Como aquecimento para a exibição, o canal apresenta, nas terças-feiras de julho, sempre à 0h15, filmes inspirados em obras de Nelson Rodrigues. 

A produção que abre a seleção, no dia 2 de julho, é “Bonitinha, Mas Ordinária”, de Moacyr Góes. Nas semanas seguintes, vão ao ar “Gêmeas” (1999), de Andrucha Waddington; “Traição” (1998), de Arthur Fontes, Claudio Torres e José Henrique Fonseca; “O Beijo no Asfalto”, de Bruno Barreto; e “Toda Nudez Será Castigada” (1973), de Arnaldo Jabor.

Além desses títulos, nas plataformas de Video on Demand NET Now e Vivo Play, estarão disponíveis para aluguel entre 20 de julho a 12 de agosto “A Dama do Lotação” (1978), de Neville D'Almeida, que chega em versão remasterizada; “A Serpente” (1980), de Alberto Magno; “Bonitinha Mas Ordinária” (1981), de Braz Chediak; “Engraçadinha” (1981), de Haroldo Marinho Barbosa; e “O Casamento” (1976), de Arnaldo Jabor.


"Bonitinha, Mas Ordinária" (2013) (92’)
Horário: Terça, dia 2/7, à 0h15
Direção: Moacyr Góes
Classificação: 16 anos 
Sinopse: a trama mostra o drama de Edgard (João Miguel), apaixonado pela suburbana Ritinha (Leandra Leal), uma mulher bonita e simples que leva a vida como professora para sustentar suas três irmãs e a matriarca louca (Ângela Leal). Ele também sofre com as dificuldades de bancar a própria mãe, viúva de um marido que não teve dinheiro nem para o enterro. O jovem tenta se virar atuando na empresa do truculento milionário Dr. Werneck (Gracindo Jr.), industrial que precisa arranjar um casamento de conveniência para a filha, Maria Cecília (Letícia Colin), estuprada por cinco homens enquanto participava de um baile funk numa favela carioca.

"Gêmeas" (1999) (68’)
Horário: Terça, dia 9/7, à 0h15
Direção: Andrucha Waddington
Classificação: 14 anos 
Sinopse: a estreia de Andrucha Waddington na direção conta com Fernanda Torres, Fernanda Montenegro, Evandro Mesquita, Francisco Cuoco, Matheus Nachtergaele e Caio Junqueira no elenco. Para desespero do pai, as gêmeas Iara e Marilena (Fernanda Torres) se divertem pregando peças nos homens – até o dia em que se apaixonam pela mesma pessoa. Namorado de Marilena, Osmar (Evandro Mesquita) nem desconfia de que, por vezes, se relaciona com a irmã da moça. A farsa planejada por Iara não dura muito tempo, mas, para conquistar o rapaz, ela decide levar seu plano às últimas consequências.

"Traição" (1998) (102’)
Horário: Terça, dia 16/7, à 0h15
Direção: Arthur Fontes, Claudio Torres e José Henrique Fonseca
Classificação: 18 anos 
Sinopse: a dor e o prazer da traição pela mente dramática de Nelson Rodrigues. Em três episódios, o filme é marcado por uma ironia cortante sobre o adultério. Em "O Primeiro Pecado", Irene (Fernanda Torres) e Mário (Pedro Cardoso) se conhecem num ponto de ônibus. Mário descobre que ela é casada, mas ainda assim continua a vê-la. Isso até encontrá-la no apartamento de um amigo, onde uma inusitada revelação lhe é feita. No segundo, "Diabólica", Geraldo (Daniel Dantas) anuncia seu casamento com Dagmar (Fernanda Torres), filha de um coronel. Na festa de noivado, ela chama a atenção do noivo para a irmã, Alice (Ludmila Dayer), de apenas 13 anos. Com o passar do tempo, a “Lolita” Alice vai se tornando mulher e começa a seduzi-lo. Em "Cachorro!", de José Henrique Fonseca, um marido traído (Alexandre Borges) surpreende a mulher (Drica Moraes) e o amante – seu melhor amigo – num quarto de hotel.

"O Beijo no Asfalto" (1981) (79’)
Horário: Terça, dia 23/7, à 0h15
Direção: Bruno Barreto
Classificação: 14 anos 
Sinopse: Bruno Barreto é o responsável pelo longa-metragem, que tem no elenco Lídia Brondi, Daniel Filho, Ney Latorraca, Oswaldo Loureiro, Tarcísio Meira e Christiane Torloni, entre outros. Ao presenciar um atropelamento, Arandir (Ney Latorraca) corre para socorrer a vítima. No entanto, o último desejo do rapaz acidentado o deixa desconcertado: tudo o que ele quer é um beijo na boca. O fato ganha as páginas dos jornais no dia seguinte e, por causa do gesto, Arandir perde o emprego e passa a vivenciar inúmeros problemas. Apenas Dália (Lídia Brondi), sua cunhada, compreende o ato.

"Toda Nudez Será Castigada" (1973) (102’)
Horário: Terça, dia 30/7, à 0h15
Direção: Arnaldo Jabor
Classificação: 16 anos 
Sinopse: Darlene Glória, Paulo Porto, Paulo Cesar Peréio, Hugo Carvana e Sérgio Mamberti no elenco. Quando a esposa morre, Herculano (Paulo Porto) jura nunca mais se envolver com outra mulher. No entanto, seu irmão Patrício (Paulo Cesar Peréio), trata de jogá-lo nos braços da prostituta Geni (Darlene Glória). Seu filho, moralista e superprotegido pelas tias, vê com horror o envolvimento do pai. Herculano tenta se afastar de Geni, sem sucesso. Os personagens buscam fugir de seu destino, mas a perdição é o caminho natural de suas almas.

sábado, 29 de junho de 2019

.: Lô Borges lança o disco "Rio da Lua" com letras de Nelson Angelo


Por Luiz Gomes Otero*, em junho de 2019.

O cantor e compositor mineiro Lô Borges lançou o álbum “Rio da Lua”. O álbum traz dez músicas feitas por Lô em parceria com o também compositor mineiro Nelson Angelo , um dos integrantes do famoso Clube da Esquina. Este é o primeiro álbum de inéditas de Lô Borges desde o lançamento de “Horizonte Vertical”, de 2011.

Lô Borges gravou em 1972 o antológico álbum Clube da Esquina com Milton Nascimento e  um grupo de músicos talentosos como Beto Guedes, Wagner Tiso e outros. Desde então desenvolve uma carreira solo com álbuns que oscilam entre o som mais experimental e arranjos mais próximos do pop.

Apesar de ser amigo de Nelson Angelo desde os anos 70, Lô nunca havia composto algo em parceria com ele. Portanto, o processo de criação do álbum Rio da Lua acabou sendo um desafio interessante e promissor.



Conforme explicou Lô no material de divulgação, esta foi a primeira vez que ele colocou música em letras prontas, escritas por outra pessoa. Ele sempre trabalhou primeiro com a melodia para depois o parceiro trabalhar a letra. Desta vez o processo foi inverso.

O resultado foi um disco que ficou próximo do resultado do álbum anterior,  "Horizonte Vertical". As recentes parcerias com nomes da nova geração como Samuel Rosa do Skank devem ter influenciado bastante Lô, que tem feito um som bem próximo do pop. Você percebe aquele tempero do Clube da Esquina em faixas como "Flecha Certeira" e "Foto 3x4". A sonoridade mais pop predomina na faixa título, "Rio da Lua", e "Em Outras Canções".

No final você tem um bom disco de Lô. Não chega a superar trabalhos como "Via Láctea" e o antológico álbum do tênis de 1972. Mas ainda consegue soar convincente.





"Rio da Lua"

"Além do Tempo"

"Foto 3x4"


*Luiz Gomes Otero é jornalista formado em 1987 pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Trabalhou no jornal A Tribuna de 1996 a 2011 e atualmente é assessor de imprensa e colaborador dos sites Juicy Santos, Lérias e Lixos e Resenhando.com. Criou a página no Facebook Musicalidades, que agrega os textos escritos por ele.

.: "Essa mulher é...", comenta Isadora Ribeiro sobre Fernanda Montenegro


A atriz Isadora Ribeiro foi a convidada de Mariana Godoy no talk show "Mariana Godoy Entrevista" da última sexta-feira, 28 de junho, exibido às 23h, na RedeTV!.

Embora tenho feito muitos papeis na televisão, a atriz confessa sua paixão pelo palco. “O teatro humaniza. Ele te sensibiliza porque você vê a plateia. Ela está ali, presente, pulsante, então você sente. Quando eu fazia TV, eu encenava para todas as pessoas que estavam em volta (na gravação), diz ela, atualmente em cartaz com a peça "Diário de Bordo", escrita por sua filha mais velha, Maria Sampaio.

Relembrando os bons conselhos que recebeu durante sua trajetória na televisão, onde atuou ao todo em 12 novelas, entre elas sucessos como "Mulheres de Areia", "Fera Ferida", "Explode Coração" e "Torre de Babel", Isadora recorda a primeira vez em que contracenou com Fernanda Montenegro, não poupando elogios à atriz. “Essa mulher é uma deusa, é de uma simplicidade. Falei para ela que estava com medo de errar, de esquecer o texto, me dar um branco e ela falou: 'Isadora, vamos conversar. Vamos passar só nós duas aqui, devagar, não precisa ficar nervosa, sou uma atriz como você'. Um minuto depois eu estava calma e fiz a cena com tranquilidade”, compartilha.

.: Gratuito em Cubatão, espetáculo "Cor-Ação" será apresentado neste domingo


"Cor-Ação" é o mais novo espetáculo de dança contemporâneo-brasileira do Núcleo Pé de Zamba. Voltado para públicos de todas as idades, tem caráter cogeracional e interativo, será apresentado no domingo dia 30, de junho, às 16h, com entrada gratuita no Parque Anilinas, em Cubatão. 

Ele parte da beleza e da alegria causadas pela presença das cores nas manifestações culturais brasileiras. A proposta mergulha nas qualidades e funções que as cores podem ter sobre as pessoas e sobre as nossas vidas, através de suas frequências e ressonâncias específicas, que geram múltiplos fluxos de movimento, que, no espetáculo, são concretizados pelo uso de adereços e formas animadas pelos corpos dos dançarinos e do próprio público, que também participa. 

Tudo isso regado à música ao vivo e autoral. O Espetáculo tem o patrocínio Lwart Lubrificantes  é uma realização do Governo do Estado de São Paulo , Secretaria de Cultura e Economia Criativa, Ministério da Cidadania,  Secretaria Especial da Cultura com a execução da APAA e apoio da Prefeitura Municipal de Cubatão.

Serviço
Espetáculo de Dança "Cor-Ação"
Com Núcleo Pé de Zamba
Domingo, dia 30 de junho
Horário: 16h
Local: Parque Anilinas
Endereço: Avenida Nove de Abril , s/n – Centro – Cubatão
Livre
Entrada gratuita 


.: Vencedor do reality ‘O Próximo Nº1 Villa Mix’ será escolhido ao vivo


Finalistas se apresentam com seus padrinhos nos dois dias do VillaMix Festival na capital goiana, e o nome do novo astro da música será revelado em show de Luan Santana.

Se o tema do VillaMix Festival deste ano é “O Futuro é Mix”, nada melhor do que a final do reality show “O Próximo Nº1 Villa Mix” acontecer justamente no principal palco do festival, neste fim de semana, nos dias 29 e 30, em Goiânia. Os cinco finalistas - entre cantores solo, duplas e grupos - se apresentam ao lado de grandes artistas para definir o próximo astro da música brasileira.

A final vai contar com apresentações nos dois dias do festival na capital goiana. Os ganhadores de cada episódio cantarão no show de seus padrinhos. Assim, Saulo de Tarso e Anny Diaz se apresentam com Luan Santana; Clayton & Romário, com Bruno & Marrone; Mariana & Mateus, com Jorge & Mateus; Grupo Deixestar, com Xand Avião. O grande vencedor será anunciado ao vivo na parte final do show de Luan Santana, apresentador do reality show, no domingo.

A versão brasileira é uma iniciativa do VillaMix com a Cervejaria Brahma, com a parceira com a Endemol Shine Brasil, Agência África e o Google. O programa contou com cinco episódios até a decisão, todos veiculados no YouTube. O formato é uma criação da Endemol Shine North America. O desfecho e os melhores momentos desta final serão exibidos na próxima quinta-feira, dia 4, às 21h.

Então, se o “Futuro é Mix”, quem será o nome do futuro do festival, ou melhor, “O Próximo Nº1 Villa Mix”?

Os finalistas:

  • Saulo de Tarso – Padrinho: Luan Santana
  • Clayton & Romário – Padrinhos: Bruno & Marrone
  • Mariana & Mateus – Padrinhos: Jorge & Mateus
  • Grupo Deixestar – Padrinho: Xand Avião
  • Anny Diaz – Padrinho: Marcos Araújo (empresário VillaMix)

.: “Nossa História”: o relançamento da discografia completa de Sandy e Junior


Por Ana Paula Alfano, em junho de 2019.

À venda em www.umusicstore.com.

Uma tarde no meio da semana. Depois de arriscarmos umas jogadas em um boliche dentro de um shopping de Campinas, nos sentamos para um bate-papo. Eles próprios haviam sugerido o local para aquele nosso encontro, porque queriam aproveitar o tempo – teoricamente de trabalho, dando entrevista e posando para fotos – para também se divertirem. 

Era mais uma das incontáveis matérias que fiz com Sandy e Junior durante os dez anos que fui editora de uma grande revista para adolescentes. Neste período, entre 1996 e 2006, quando deixei a publicação, um, o outro ou os dois juntos haviam estampado nove capas da revista, arrebatado milhões de fãs em seus shows e lançado dez de seus 16 discos da carreira – que venderam quase 20 milhões de cópias. Esta discografia completa da dupla está agora reunida na caixa “Nossa História”, lançada pela Universal Music com tiragem limitada – são 12 álbuns de estúdio e quatro com gravações de shows ao vivo.

Foram muitas as histórias que vivenciei com a dupla. Os nossos encontros para as reportagens da revista eram quase sempre em Campinas, onde eles moravam com os pais, Noely e Xororó, porque uma das condições para os dois seguirem a carreira era nunca perderem aula. As manhãs na escola eram inegociáveis. Fui algumas vezes à casa da família. Numa delas, Junior mostrou o estúdio que fizeram questão de construir e onde ele o pai costumavam arriscar novos sons. No quarto romântico e cor-de-rosa da então adolescente Sandy, pôsteres de Brad Pitt e Leonardo DiCaprio decoravam as portas dos armários. Também nos encontramos em estúdios, camarins de shows, salão de cabeleireiro, em gravações do programa que eles tinham na TV Globo e premiações... Fosse onde fosse os dois estavam sempre acompanhados da família – da mãe, muitas vezes, também do pai e da avó materna, Mariazinha, além de da assessora, Rogéria, e do motorista, Cacá, uma espécie de tio da dupla.

Aliás, esta união com a família sempre foi uma forte marca de Sandy e Junior. Todas as muitas vezes que questionávamos como eles se viam dali alguns anos, ouvíamos a mesma resposta: “A única certeza que a gente tem é a de que continuaremos sendo irmãos, e filhos da Noely e do Xororó”. Eram – e suponho que ainda sejam – muitas as diferenças entre eles. Sandy extremamente perfeccionista e autocrítica, Junior mais solto, dando mais espaço a riscos e experimentações. Ainda assim, era nítida a admiração e o respeito de um pelo outro.

Outra certeza que eles tinham era com relação aos fãs. Durante o nosso papo no boliche, ao imaginar o futuro, Junior fez sua previsão. Ele sabia que era natural que os dois seguissem seus caminhos separadamente, cada um investindo no som e na carreira que quisesse trilhar. “Mas, aconteça o que acontecer, sei que os fãs que a gente tem hoje estarão para sempre com a gente”, ele disse. Já se vão mais de 20 anos daquele papo e parece que Junior acertou em cheio. A estes fãs, que os 16 álbuns e 239 músicas da caixa “Nossa História” reacendam boas memórias – e as mantenham vivas para sempre.

Conheça os discos da caixa “Nossa História”:

"Aniversário do Tatu" (1991) - Lançado em junho de 1991, quando Sandy tinha oito anos e Junior, sete, tinha um som bastante sertanejo. “Maria Chiquinha”, a música de trabalho do álbum, já era famosa antes mesmo do lançamento. A dupla a cantara no programa de TV “Som Brasil”, em 1989.   

"Sábado à Noite" (1992) - Também com uma sonoridade sertaneja/country, o álbum contou com produção de Xororó – como o primeiro e como seriam os seguintes, até “Quatro Estações Ao Vivo”. As fotos da capa e encarte foram feitas em Nashville, a meca do country norte-americano. E participações especiais marcaram duas faixas: Ney Matogrosso, em “O Vira”, e Chitãozinho e Xororó, em “Vamos Construir”.   

"Tô Ligado em Você" (1993) - Sandy e Junior entram nos tempos da brilhantina. A cantora ganhou seu nome por conta da paixão da mãe, Noely, pela personagem de Olivia Newton-John no filme “Grease”, que serviu de inspiração também para este trabalho. A música “Tô Ligado em Você” é uma versão de “You’re the One that I Want”, do filme, e foi traduzida por Noely, Xororó e Feio, também produtor do álbum. 

"Pra Dançar com Você" (1994) - A dupla segue nos anos 1960, com clássicos da Jovem Guarda, como “Minha Fama de Mau” e “Vem Quente que Eu Estou Fervendo”, e uma versão de “I’ll Be There” (lançada pela Motown em 1970) em “Com Você”, a música mais famosa do álbum.  

"Você É D+" (1995) - Mais um álbum com estilo parecido aos anteriores, com mais uma versão da trilha sonora de “Grease” – “Hopelessly Devoted To You”, que virou “É Cedo pra Amar Assim”.  A música mais tocada, no entanto, foi “Vai Ter que Rebolar”.

"Dig-Dig-Joy" (1996) - Sandy e Junior deixam a infância para trás e tornam-se oficialmente adolescentes. A música-título estourou e era uma brincadeira de gestos que rendeu uma coreografia que, na época, virou febre entre os fãs. 

"Sonho Azul" (1997) - Acompanhando o crescimento dos irmãos – Sandy então com 14 e Junior com 13 – e dos fãs que cresciam com eles, é um álbum mais pop e romântico. As baladas “Inesquecível” (versão de Laura Pausini) e “Como Eu te Amo” (versão de Whitney Houston) foram trilhas de muitos namoros. “Era Uma Vez”, com Toquinho, foi tema de novela homônima da Rede Globo, em 1998. E “Eu Acho que Pirei”, a música mais tocada do álbum, virou tema do seriado que a dupla estrearia na emissora em 1999.

"Era Uma Vez ao Vivo" (1998) - Primeiro álbum ao vivo, gravado em show com direção de Noely, no extinto Olympia, em São Paulo, que ganhou três faixas inéditas – duas versões, uma de “My Heart Will Go On”, de Celine Dion, que virou “Em Cada Sonho (O Amor Feito Flecha)”, outra de “Truly, Madly, Deeply”, do grupo Savage Garden, intitulada “No Fundo do Coração”, além de “Cadê Você que Não Está”. Foi o primeiro álbum a ultrapassar a marca de 1 milhão de cópias vendidas – mais especificamente 1,7 milhão.

"As Quatro Estações" (1999) - Lançado em outubro de 1999, emplacou cinco singles e consolidou a dupla no posto de maiores ídolos pop do país, além de lançar Sandy também como compositora. São dela as músicas “Olha o que o Amor me Faz” e “As Quatro Estações”. O álbum vendeu mais de 2,5 milhões de cópias.

"Quatro Estações – O Show" (2000) - O show que deu origem ao álbum ao vivo, dirigido por Flávia Moraes, era uma superprodução com direito a neve, folhas caindo do teto, cheiro de flores no ar e ondas de calor representando as estações do ano. Além dos grandes sucessos da dupla, foram incluídas três faixas inéditas – “A Lenda”, “Na Boa, Sem Chorar” e “Enrosca”, regravação do hit de Fábio Jr, desta vez na voz de Junior. O álbum vendeu mais de 3 milhões de cópias.

"Sandy e Junior" (2001) - Gravado parte nos estúdios da Capitol Records, em Los Angeles, e parte em Campinas, o álbum tem algumas releituras, como “Chuva de Prata” (famosa com Gal Costa) e “Endeless Love” (dueto de Lionel Ritchie e Diana Ross). Mas tem também composições de Sandy e Junior – “Não Dá pra Não Pensar”, que se tornou um dos clássicos da dupla, e “Adeus”. Outro grande sucesso do disco foi “Quando Você Passa (Turu Turu)”.

"Internacional" (2002) - Lançado em diversos países, entre Espanha, Portugal, Estados Unidos, México, França e Inglaterra, teve como carro-chefe a canção “Love Never Fails”, que também trouxe uma versão em português, “O Amor nos Guiará”.

"Ao Vivo No Maracanã" (2002) - Gravado no estádio do Maracanã, com um público de 70 mil pessoas, o terceiro ao vivo da dupla ganhou como extras versões solo de Sandy cantando “Como É Grande o Meu Amor Por Você” (de Roberto Carlos) e “Uninvited” (de Alanis Morissette), esta última acompanhada de Junior na bateria. O álbum, duplo, teve como segundo disco um compilado de remixes, versões em inglês de “A Lenda” e “As Quatro Estações” e em espanhol de músicas de “Internacional”.   

"Identidade" (2003) - Um disco mais autoral, daí o título "Identidade", seis de suas 14 músicas levam assinatura de Sandy ou Junior (ou dos dois juntos). Com duas capas, uma com meio rosto de Sandy, outra com meio rosto de Junior, o álbum reforçava as individualidades e gostos de cada um dos irmãos.

"Sandy & Junior" (2006) - Na época do lançamento, Junior descreveu o disco como o mais autoral da dupla. E ele próprio escolheu o produtor do álbum, Sebastian Krys – vencedor de cinco prêmios Grammy e 12 Grammy Latinos. Sandy & Junior recebeu uma indicação ao Grammy Latino, na categoria Álbum Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa.

"Acústico" (2007) - Uma grande festa, este é o clima deste que foi o último álbum lançado pela dupla. Lulu Santos, Ivete Sangalo e Marcelo Camelo participam e nele estão todos os grandes sucessos de Sandy e Junior, além de três faixas inéditas – “Alguém Como Você”, “Segue em Frente” e “Abri os Olhos”, esta última escrita por Sandy em parceria com o então noivo, Lucas Lima, que toca viola e fez os arranjos de corda do álbum.

.: Eduardo Mufarej, fundador do movimento RenovaBR, no "Roda Viva"

Foto: Rodrigo Barros
Nesta segunda-feira, dia 1º de julho, o programa "Roda Viva" exibe entrevista com Eduardo Mufarej, fundador do movimento RenovaBR, que lançou jovens talentos no atual Congresso, como Tabata Amaral, Felipe Rigoni e Joênia Wapichana. Com apresentação de Ricardo Lessa, a atração vai ao ar às 22h, na TV Cultura, no site da emissora, no Twitter, no Facebook, no YouTube e no aplicativo Cultura Digital.

Empresário de sucesso no setor financeiro, Eduardo Mufarej já fez parte do conselho de grandes empresas, como BFR e Arezzo. Atualmente, integra o Conselho da Escola de Negócios da Universidade de Yale.

Na entrevista, ele fala sobre o RenovaBR, iniciativa criada com o intuito de selecionar e capacitar novas lideranças para a política. Em seu primeiro ano de atividade, o grupo preparou 117 candidatos, dos quais 17 foram eleitos para Assembleias Legislativas, Câmara Federal e Senado. O objetivo do movimento é difundir uma nova forma de fazer política, baseada no respeito ao bem público e aos princípios éticos.

Compõem a bancada de entrevistadores Joelmir Tavares, repórter de política da Folha de S.Paulo; César Felício, editor de política do jornal Valor Econômico; Basilia Rodrigues, jornalista da CBN Brasília; Pedro Venceslau, repórter de política do jornal O Estado de S.Paulo; Carlos Melo, cientista político e professor do Insper; e Tânia Morales, apresentadora da CBN São Paulo.

.: Sérgio Mallandro: "O Errado que Deu Certo" - cancelado show em São Paulo


O stand-up comedy "O Errado Que Deu Certo", do artista Sérgio Mallandro, que aconteceria, neste sábado, dia 29, no Teatro Opus, em São Paulo, está cancelado.  

Os clientes que compraram os ingressos na internet terão o estorno dos ingressos realizados de forma automática pela Uhuu conforme os prazos de reembolso de cada operadora*. 

Já aqueles que realizaram a compra na bilheteria, é necessário retornar ao local da compra com ingresso e documento oficial com foto em mãos. 


Prazos de reembolsos:
Cartão de crédito: o estorno acontecerá na próxima fatura ou na fatura subsequente, de acordo com o fechamento da sua fatura*
Cartão de débito: 15 dias úteis para reembolso;
Em dinheiro: a devolução acontecerá igualmente em dinheiro;
*Conforme regras da sua administradora de cartão, para compras realizadas acima de 90 dias, a Uhuu poderá, em alguns casos, solicitar os seus dados bancários para depósito.

sexta-feira, 28 de junho de 2019

.: Sinais de Sim: Paralamas do Sucesso se apresenta no Sesc Vila Mariana

O grupo traz último álbum, Sinais de Sim, e outros sucessos para o Teatro Antunes Filho a partir do dia 4 de julho


Músicas novas e grandes sucessos compõem o repertório das apresentações. Foto: Divulgação

De 4 a 7 de julho, quinta a domingo, o Sesc Vila Mariana recebe Os Paralamas do Sucesso. Herbert, Ribeiro e Barone mostram que mesmo despois de mais de 30 anos de carreira ainda dispõem de um repertório a ser explorado e isso fica evidente com a apresentação do seu último disco, Sinais de Sim. Ao longo das apresentações o grupo mescla os sucessos que os tornaram famosos com os novos arranjos. Os ingressos variam de R$ 12 a R$ 40 e as vendas iniciam na próxima quarta, dia 26, em todas as unidades do Sesc e também pelo Portal SescSP.

Em 2017 o grupo lançou o álbum Sinais do Sim, com produção de Mario Caldato Jr, o disco traz 11 canções que dá a justa medida entre a experiência da dor e a renovação da esperança. Trabalho de um grupo maduro que ao longo de mais de 30 anos de experimentações, frustrações e muito sucesso nos convoca a entender que o sonho é uma saída potente em tempos de medo. Destaques para as faixas “Medo do Medo” que já surge um diagnóstico afiado do tempo em que Os Paralamas vivem e cantam. Mais uma vez, em meio à escuridão do futuro, a banda cria uma faixa poderosa para acender a luz no fim do túnel e isso fica bem nítido na canção que leva o nome do álbum, “Sinais do Sim”, o ouvinte é contagiado pela positividade do grupo e com trechos como “Se deixe levar por mim [...] Já chegamos até aqui” Herbert e Cia reafirmam para o público que é preciso resistir, mesmo nesses tempos de desalento. Esta é uma das músicas mais emblemáticas do álbum, pois é a única que o trio toca sem acompanhamento de outros músicos.

A dupla formada por Herbert Viana (guitarra e vocal) Bi Ribeiro (baixo) virou um trio assim que Vital, antigo baterista do grupo, não conseguiu acompanhar a trupe em uma apresentação e deu possibilidade para João Barone assumir o lugar que é seu até hoje. Com algumas exibições, o entrosamento do Paralamas era nítido e foi daí que se tomou coragem para enviar uma demo para a Rádio Fluminense- RJ, o resultado foi o topo das paradas com “Vital e Sua Moto”, homenagem ao antigo membro. Em 1983 abriram o show do Lulu Santos no Circo Voador (RJ) e firmaram contrato com a gravadora EMI, lançando assim seu primeiro disco, Cinema Mudo, compilação das músicas do EP com outras composições. Mas foi com o seu segundo trabalho, Passo do Lui, que estabeleceu como uma das grandes bandas da época, isso graças às músicas “Óculos”, “Meu Erro” entre outras que também garantiu o convite à primeira edição do Rock In Rio (1985).

O lançamento do álbum Selvagem? (1986) foi marcado por duras críticas, que felizmente não se reverteram nas vendas. Com mais de 700mil cópias e uma mistura inconfundível de Rock, Reggae, Ska e elementos de MPB, o disco contou com participação de Gilberto Gil (“Alagados”) e um cover de Tim Maia (“Você”). Outro marco na carreira foi o ano de 1999, no qual gravaram o Acústico MTV que garantiu ao grupo, o até então inédito, Grammy de Melhor Álbum de Rock Brasileiro, feito este que se repetiria com o lançamento dos discos Longo Caminho (2003) e Hoje (2006). Os Paralamas do Sucessos comemoraram 30 anos de carreira em 2013 e continuam surpreendendo, angariando mais fãs para sua legião, esta que poderá reviver os grandes sucessos, mesclados com as novas canções, nos próximos dias no Sesc Vila Mariana.

Além dos shows, no dia 6 de julho, sábado, às 16h, João Barone ministra uma masterclass, na qual dividirá suas experiências no Paralamas e algumas técnicas. Os ingressos serão vendidos em todas as unidades do Sesc e no Portal SescSP.

Foto: divulgação

Serviço:
Paralamas do Sucesso
De 4 a 7 de julho, quinta a sábado, às 21h e domingo, às 18h
Local: Teatro Antunes Filho (620 lugares)
Não recomendado para menores de 12 anos
Ingressos: R$ 12 (Credencial Plena) l R$ 20 (meia) l R$ 40 (inteira)

Masterclass de bateria
Com João Barone
Dia 6 de julho, sábado, às 16h
Local: Teatro Antunes Filho (620 lugares)
Não recomendado para menos de 12 anos
Ingressos: R$ 5 (Credencial Plena) l R$ 8,50 (meia) l R$ 17 (inteira)

Sesc Vila Mariana | Informações 
Bilheteria: Terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábado, das 10h às 21h; domingo e feriado, das 10h às 18h30 (ingressos à venda em todas as unidades do Sesc e pelo Portal SescSP).
Horário de funcionamento da Unidade: Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30.
Central de Atendimento (Piso Superior – Torre A): Terça a sexta-feira, das 9h às 20h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30.
Estacionamento: R$ 5,50 a primeira hora + R$ 2,00 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). 
R$ 12 a primeira hora + R$ 3,00 a hora adicional (outros). 111 vagas.

Rua Pelotas, 141, São Paulo - SP
Informações: 5080-3000
sescsp.org.br

.: "Monólogos" tem 19 anos de sucesso com prorrogação até fim de julho


Maximiliana Reis, Cacau Melo e Sonia Ferreira. Foto Tiago Oishi


Comemorando 19 anos de sucesso absoluto de crítica e público. A comédia "Os Monólogos da Vagina" continua encantando e emocionando plateias de todo Brasil. Produzido em mais de 150 países e traduzido para mais de 50 idiomas o espetáculo tornou-se fenômeno mundial. Depoimentos verídicos de mais de 200 mulheres colhidos pela autora em todo o mundo abordam de maneira extremamente bem humorada, direta e livre de preconceitos uma reflexão sobre a relação da mulher com sua própria sexualidade.

A estreia brasileira desse fenômeno teatral aconteceu em 07 de abril de 2000, no Teatro Clara Nunes, no Rio de Janeiro, com incrível sucesso de público e crítica. A genialidade de Miguel Falabella na adaptação e direção do texto o tornou o primeiro diretor no mundo a escalar três atrizes para, ao mesmo tempo, encenarem as narrativas das entrevistas originais colhidas por Eve Ensler. Essa concepção, a pedido da própria autora que esteve presente na estreia brasileira, foi adotada mundialmente em todas as produções e assim permanece até hoje.

Atualmente o elenco é formado por Maximiliana Reis, Cacau Melo, Sônia Ferreira e Rebeca Reis. Atrizes consagradas, como Zezé Polessa, Cláudia Rodrigues, Cissa Guimarães, Fafy Siqueira, Totia Meirelles, Bia Nunes, Lucia Veríssimo, Tânia Alves, Elizângela, Mara Manzan, Chris Couto e Claudia Alencar, Adriana Lessa, dentre outras, se orgulham de um dia ter tido a oportunidade de encenar esse espetáculo.

Muito mais que um espetáculo teatral, Os Monólogos da Vagina tornou-se um Movimento Mundial. Segundo Charles Isherwood, do The New York Times, “provavelmente a mais importante obra de teatro político da última década.”


Mas como surgiu este fenômeno? A autora Eve Ensler escreveu o primeiro rascunho dos Monólogos em 1996, após entrevistar mais de 200 mulheres de vários países sobre sexo, relacionamentos, violência doméstica, estupro, etc. Essas entrevistas se transformaram numa enorme fonte de pesquisa e informações.

Eve escreveu o texto para “celebrar a vagina”, mas o propósito do espetáculo transformou-se de uma simples performance comemorativa sobre vaginas e feminilidade em um enorme movimento mundial para acabar com a violência contra as mulheres. A primeira temporada do espetáculo foi no teatro HERE Arts Center em Nova Iorque, e o que era para ter sido uma curtíssima temporada transformou-se rapidamente em um fenômeno ganhando extraordinária visibilidade através de uma enorme campanha popular e mídia espontânea. O espetáculo, desde então, tornou-se fenômeno mundial, sendo inclusive apresentado em países Islâmicos, considerados muito fechados para tal contexto, incluindo Egito, Indonésia, Bangladesh, Malásia e Paquistão.

O texto ganhou em Nova Iorque o prêmio “Obie Award”, na categoria Melhor Espetáculo Inédito, e em apresentações beneficentes já teve em seu cast estrelas hollywoodianas, como Jane Fonda, Susan Sarandon, Glenn Close, Melissa Etheridge, Whoopi Goldberg e até Oprah Winfrey.


Por MIGUEL FALABELLA | Concepção Original e Adaptação                                                                                     
"Os Monólogos da Vagina" são depoimentos que Eve Ensler colheu pela vida afora como quem colhe flores, sem se importar com cor, forma ou perfume, apresentando esse arranjo múltiplo, ora como jornalista, ora como dramaturga, arrancando as mordaças das mulheres que habitam nosso planeta.

De início, a proposta de mergulhar neste universo e resgatar a liberdade e dignidade da expressão feminina me encantou, porque gosto de mulheres e sua interiorização, de sua vida secreta, de suas formas que sangram e se dilatam e nutrem toda a vida. Esta peça é um resgate, um afago e um carinho para todas as mulheres e homens que se respeitam e tentam trilhar os difíceis caminhos de um grupo social injusto e desumano.

No país das bundas expostas nas bancas de revistas como carnes penduradas ao sol, as vaginas vão falar. Ao público, peço a delicadeza de escutar o seu discurso.


Cacau Melo,  Maximiliana Reis e Sonia Ferreira. Foto Tiago Oishi

Sobre EVE ENSLER | Autora

Escritora e ativista americana é autora da peça Os Monólogos da Vagina, que já foi traduzida para 50 idiomas e produzida em mais de 150 países. Em 2004, Eve estrelou na Broadway em THE GOOD BODY, também de sua autoria. Em 2006, lançou sua mais importante publicação, o livro INSECURE AT LAST, uma memória política. No mesmo ano, coeditou A MEMORY, A MONOLOGUE, A RANT AND A PRAYER, uma antologia de textos sobre violência contra as mulheres. Seu mais recente lançamento I AM AN EMOTIONAL CREATURE: THE SECRET LIFE OF GIRLS AROUND THE WORLD, em fevereiro de 2010, entrou para a lista de best sellers do The New York Times. Dentre as peças de Eve estão: THE TREATMENT, NECESSARY TARGETS, CONVICTION, LEMONADE, THE DEPOT, FLOATING RHODA AND THE GLUE MAN and EXTRAORDINARY MEASURES.

Eve escreveu inúmeros artigos para Glamour Magazine, The Guardian, Marie Claire, Huffington Post, Washington Post, Utne Reader, e assina regularmente uma coluna na O Magazine, de Oprah Winfrey.

Dentre as várias conquistas, destacam-se um prêmio da Fundação Guggenheim e um “Obie Award”, um dos mais importantes prêmios de teatro de Nova Iorque. Em novembro de 2009, Eve foi eleita uma das “Melhores Líderes” pela US News & World Report’s, em conjunto com o Centro para Liderança Pública da Harvard Kennedy School, e, em 2010, ela entrou para o ranking das “125 Mulheres Que Mudaram Nosso Mundo”, segundo a Good Housekeeping Magazine.

Inspirada por "Os Monólogos da Vagina", Eve criou o “V-DAY”, um movimento feminista global para acabar com a violência contra as mulheres e jovens meninas, incluindo estupro, agressão física, incesto, mutilação genital feminina, exploração sexual, etc. O “V-DAY” existe por uma única razão, a de acabar com a violência contra as mulheres.

MAXIMILIANA REIS Iniciou profissionalmente como atriz em 1983. Trabalhou e excursionou com a Cia. Arte Livre  por 9 países totalizando 320 cidades europeias conquistando 9 Festivais Internacionais. No Brasil obteve 06 premiações com o espetáculo “Draculinha”dentre eles: Melhor Atriz, Direção e espetáculo. Produziu e dirigiu os espetáculos: “Marly Emboaba”, “Draculinha, A Vida Acidentada de um Vampirinho”, “Vote no Draculão na próxima eleição”, “O Patinho Preto”, “Vampiros na Bloodway”, atuou como atriz em “Grease, o Musical". Dirigiu e atuou no Musical: "Planeta Sbrufs". Atuou por 04 anos em "Monólogos da Vagina" com direção de Miguel Falabella. Protagonizou por 04 anos  "Querido Mundo" de Miguel Falabella e Maria Carmem Barbosa com direção de Rubens Ewald Filho. Dirigiu : "7 é Demais"  com texto e atuação de Sônia Ferreira,"Não me acompanhe que eu não sou novela",  dirigiu também "Os Saltimbancos" pela Cia. Realce em 2006 e 2014. Viveu Tatiana Belinky no Musical "Um Punhado de Letras..." (Indicada para o prêmio FEMSA como atriz protagonista).  Em 2013 atuou em "Conexão Marilyn Monroe" com direção de Alexandre Reinecke.   Participou de "8 longa-metragem". Atuou na novela "Maria Esperança", foi COACHING de Cláudia Raia em Salve Jorge, participou da novela "Chiquititas" como  Leila -Assistente Social. Integrou o elenco da novela " CÚMPLICES DE UM RESGATE" como Berta. Dirigiu a peça teatral de Walter Jr “Coisa de Mulher”, Dirigiu também “SENHORITA K” de Biah Karfig. Dirigiu “Sem Limites” com Marcos Rossi, “Felicidade” com Maurício Patrocínio, dirigiu “Dois Santos e Dois nem Tanto” com Vampeta, César Sampaio e Flávio Prado.  É integrante e diretora de elenco de “Os Monólogos da Vagina” com direção de Miguel Falabella. Em 2018 dirigiu Menopausa, O Musical.

CACAU MELO  começou sua carreira na TV em 2004, no seriado Aprendendo a Empreender (Canal Futura). Em 2005, foi escolhida entre 300 jovens atrizes para participar da novela América (Rede Globo) e no ano seguinte foi convidada para o elenco de Amazônia - de Galvez a Chico Mendes, ambas de Glória Perez. Em 2007, passou pelo SBT, onde viveu na novela Amigas e Rivais sua primeira protagonista. No ano seguinte, voltou à Rede Globo a convite de Glória Perez e Marcos Schetman para dar vida à jovem sonhadora Deva, personagem amiga e confidente de Maya (Juliana Paes) em Caminho das Índias, atualmente sendo reprisada no Vale a pena ver de novo. No mesmo ano, concluiu o curso de Licenciatura em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO. No teatro, atuou nos espetáculos A.M.I.G.A.S - Associação das Mulheres Interessadas em Gargalhadas, Amor e Sexo, de Cláudia Mello, Gorda - Quanto Pesa o Amor, de Neil Labute - ao lado de Fabiana Karla - e em 2008, integrou a trinca de Os Monólogos da Vagina, com direção e adaptação de Miguel Falabella, peça há 15 anos em cartaz no Brasil. Ela retornou ao espetáculo na nova montagem em 2012, da qual ainda faz parte do elenco. Em 2010, assinou longo contrato com a Record, estreando na minissérie Rei Davi em 2012, além de participar de outras produções da casa. Seu último trabalho na emissora foi o telefilme "Onde está você?", produzido pela Gullane Filmes e exibido pela emissora. Participou na série "Não vem que não tem" canal Fox, fez participação na novela Apocalipse na Record.

SÔNIA FERREIRA - Atriz, locutora e produtora. Atualmente está no espetáculo, “Os Monólogos da Vagina”, de Eve Ensler, direção de Miguel Falabella, e também no filme longa, “A Moça do Calendário”, direção de Helena Ignês, nas séries, “Carcereiros”, na TV Globo, de Dráuzio Varela, com roteiro adaptado de Marçal Aquino e Fernando Bonassi, direção de José Eduardo Belmonte e Fernando Gronstein, e “A Lei”, no canal Space, direção de Tomas Portella e Adrian Caetano. Também participou da novela, “Cúmplices de um Resgate”, no SBT. Estrou profissionalmente como atriz em 1992 no espetáculo infantil, “Draculinha, A Vida Acidenta, de um Vampirinho”, com direção de Maximiliana Reis, posteriormente atuou em diversas peças teatrais, entre elas; “Desperta-me Deseja-me”, direção de Valderez Cardoso Gomes; “Risos.com”, direção de Carlos Falat; “Risoterapia” de Nilton Rodrigues. É autora, atriz e produtora da peça “Sete é Demais”, onde interpreta sete mulheres, com direção de Maximiliana Reis. Também em cinema fez oito curtas, entre eles; “Suriname Gold”, de Paulo Henrique Testolini, “casa dos Filósofos” de Bruna Oliveira, e mais dois longas, “Morracom”, de Valter Lopes e “Tônica Dominante, de Lina Chamye. Na TV também participou das séries “Meu Cunhado”, no SBT, “Páginas da vida”, na TV Record e a novela “Felicidade Existe”, também na TV Record. Apresentou o programa “Revista” na Direct TV. Trabalhou como radioatriz em nove novelas da rádio Aleluia. Dublou nos estúdios da Álamo, Marshmallow e Dubla Vídeo, fiz filmes publicitários, sendo o último, “Seguro de vida da Caixa Seguradora”.

REBECA REIS - Atriz, cantora e produtora de eventos por formação, começou profissionalmente nos palcos aos 7 anos em “A Patolândia”, atuou também nos espetáculos “O Pequeno Polegar”, “Planeta Sbrufs”, “Um punhado de Letras para Enfeitar os Cabelos de Tati”, pelo qual foi indicada ao prêmio FEMSA como melhor atriz revelação e “O Mágico de Oz” ambos com direção de Rony Guilherme ,“Chapeuzinho Vermelho e o Lobo” direção de Sebastião Apolônio, “A Bela e a Fera” direção de Alexandre Biondi, “O Sonho de um Natal Branco” com a Cia. Broadway Brasil e “Legally Blonde” espetáculo inteiramente em inglês dirigido por Jefferson Ventura. Em 2008, se formou no curso Emílio Fontana de Teatro, TV e Cinema onde dá aulas de teatro atualmente para crianças de 6 à 17 anos. Teve aulas de Cinema e TV na Escola de Atores Wolf Maya, além de ter participado de workshops de interpretação com Marcelo Zambelli e Luciano Sabino. Foi dirigida por Rogério Matias, dentro do Colégio Ábaco onde completou seu ensino médio e lá integrou o elenco de diversos espetáculos musicais, como “Grease”,“A Pequena Sereia” como Úrsula, “Sally Collins- Uma babá quase perfeita”, como Sally e “MisteriOz- A história não contada das bruxas de Oz”, como Debora, a Bruxa do Oeste. Atuou no longa-metragem “Porto das Monções” de Vicentini Gomes e no curta-metragem “SP//Saúde Privada” que também assina o roteiro, a direção artística e produção executiva. Fez uma participação especial no segundo capítulo da novela “Boogie Oogie” exibida na Rede Globo. Dentre seus trabalhos mais recentes, destacam-se o espetáculo adulto “Mãe de Dois” em que atuou ao lado de Flávia Monteiro com direção de Luiz Antônio Pillar; o musical “Meninos e Meninas” ganhador do prêmio Jovem Brasileiro de Melhor Espetáculo em 2016 e a novela Cúmplices de um Resgate como Beatriz, no SBT. Como produtora cultural, trabalha como Coordenadora de Eventos no Teatro Gazeta desde 2014. Atualmente gravando o seriado da  TV Globo “HEBE” como irmã de Hebe.

SERVIÇO:
OS MONÓLOGOS DA VAGINA

Duração: 90 minutos
Classificação etária: 12 anos
TEMPORADA: até 28 de JULHO
Quando: SEXTA 21 HORAS – SÁBADO E DOMINGO 18H
Preço: R$ 80,00 inteira
Capacidade: 700 lugares
Grupos e caravanas: rmbrasileventos@uol.com.br (11) 99286.5010

TEATRO GAZETA: AVENIDA PAULISTA, 900 – TÉRREO – PRÓXIMO AO METRÔ TRIANON MASP
Bilheteria: (11) 3253.4102
Vendas Online: www.teatrogazeta.com.br e www.ingressorapido.com.br
A Bilheteria abre de terça à domingo a partir das 14h até 20h ou  horário do espetáculo.
Convênio com estacionamento Multipark – Rua São Carlos do Pinhal 303

.: Autora best-seller lança primeiros capítulos de nova obra no Wattpad

Lani Queiroz, escritora de livros eróticos, disponibiliza 6° livro da série Príncipes Di Castellani em plataforma digital


A obra “Príncipes da Tentação”, o 6° livro da série Príncipes Di Castellani, da escritora best-seller da Amazon Lani Queiroz, está disponível para leitura no Wattpad. Toda semana, às sextas-feiras, a autora disponibiliza um capítulo inédito na plataforma digital. Em menos de um mês, a obra conta com mais de 72 mil leituras e diversos comentários positivos dos leitores.

Sinopse: Lucas King Di Castellani e seu gêmeo, Samuel, compartilham mulheres desde a adolescência. É algo tão natural para eles como ir a um supermercado pegar alimentos. Todas as suas interações são resguardadas por contratos de três meses. Ambos pertencem a uma das famílias reais mais badaladas não só da Europa, mas do mundo, os Di Castellani. Os príncipes nunca levaram a sério as mulheres que compartilharam. Tudo resume-se à diversão e luxúria, nunca passou disso.

No entanto, tudo é posto em xeque quando a tímida Chloe Davies, afilhada de seus pais, é colocada para estagiar sob a sua tutela na King's Corporation – empresa da família –.  Os irmãos ficam de queixo caído assim quem reencontram a jovem, e estão dispostos a tê-la, independente do custo. A moça sempre sonhara com um príncipe... ou dois? Quem ficará com seu coração?

Sobre a autora: Professora e doutoranda em matemática e ciências, Lani é leitora ávida desde os dez anos de idade e começou a escrever contos e histórias aos treze. Sempre teve o desejo de tornar seus textos públicos e, em 2014, ao postar suas histórias em um site percebeu que a aceitação dos leitores foi além da esperada. Sua primeira obra foi publicada em 2015 e desde então tornou-se uma autora best-seller.

Acesse: w.tt/2MELa3x 


quinta-feira, 27 de junho de 2019

.: "Cole Porter - Ele Nunca Disse Que me Amava": 11 motivos para não perder

Foto: divulgação

Por Mary Ellen Farias dos Santos*
Em junho de 2019



"Cole Porter - Ele Nunca Disse Que me Amava" chegou a São Paulo e está em cartaz no Teatro Porto Seguro, com
temporada até 7 de julho, sextas às 21h, sábados às 21h e domingos, às 19h. O espetáculo que fez sucesso há quase 20 anos, retorna aos palcos, pelas mãos dos produtores Möeller & Botelho, com algumas modificações. Nós do Resenhando.com assistimos e preparamos uma lista com 11 motivos para não perder o musical. Confira!


1. "Cole Porter - Ele Nunca Disse Que Me Amava" é um emocionante espetáculo original da dupla Möeller & Botelho que resgata a vida e obra de um dos maiores artistas de todos os tempos.

2. 
Recheado de músicas de Cole Porter (1891-1964), a história do músico e compositor americano de Peru, Indiana, é contada pela ótica de seis mulheres na vida dele: a mãe Kate Porter, a esposa Linda Porter, Bessie Marbury, Elsa Maxwell, Ethel Merman e Angélica.

3. Entre as canções apresentadas, originais e versão por Claudio Botelho estão "You´re Sensational", "Be a Clown", "I´ve Got You Under my Skin", "I Love Paris", "You´re The Top", "Let´s Do It, Let´s Fall In Love", "Anything Goes" e "Night and Day".

4. Após temporada de sucesso no Rio de Janeiro, o espetáculo estreou dia 21 de junho, em São Paulo, no Teatro Porto Seguro. 

5. Em meio a 26 músicas, as peculiaridades da vida de Cole Porter são apresentadas de modo suave, os insucessos na Broadway, a orientação sexual dele ou a fatídica queda do cavalo.

6. A delicadeza do cenário de Rogério Falcão reflete a elegância daquelas que  de Porter 

7. O figurino irretocável de Marcelo Marques é de encher os olhos, mesmo quando Kate Porter, Linda Porter, Bessie Marbury, Elsa Maxwell, Ethel Merman e Angélica dividem o palco.

8. O texto ilustrado pelas canções e acontecimentos da vida de Cole Porter, nome emblemático da Grande Canção Americana, é escrito por Charles Möeller.

9. Claudio Botelho dá a voz a cada fala de Cole Porter, as quais as seis mulheres interagem.

10. Além das vozes de Alessandra Verney, Analu Pimenta, Bel Lima, Malu Rodrigues, Marya Bravo e Stella Maria Rodrigues, 
"Cole Porter - Ele Nunca Disse Que me Amava" tem os músicos Marcelo Castro, na regência e piano, Vanessa Ferreira, no contrabaixo e violão e Bruna Barone, na bateria e percussão. 

11. O espetáculo estreou no ano 2000 para uma curta temporada e se tornou um marco na carreira da dupla Charles Möeller & Claudio Botelho. Foram dez meses de lotação esgotada no Café Teatro de Arena, no Rio de Janeiro, que se tornaram quatro anos em cartaz, entre diversas temporadas no Rio, São Paulo e Portugal.




Ficha Técnica
Elenco: Alessandra Verney (Bessie Marbury), Analu Pimenta (Elsa Maxwell), Bel Lima (Kate Porter), Malu Rodrigues (Angélica), Marya Bravo (Ethel Merman)  e Stella Maria Rodrigues (Linda Porter). Texto/Direção: Charles Möeller. Versão brasileira/Direção musical: Claudio Botelho. Coreografia: Charles Möeller. Arranjos musicais: Marcelo Castro. Figurinos: Marcelo Marques. Cenário: Rogério Falcão. Designer de Som: Marcelo Claret. Iluminação: Paulo Cesar Medeiros. Coordenação artística: Tina Salles. Produção: Luciana Conde. Produção executiva: Carla Reis.

"Cole Porter - Ele Nunca Disse Que Me Amava"
De 21 de junho a 7 de julho – Sextas e sábados, às 21h. Domingos, às 19h.
Classificação: 12 anos. Duração: 100 minutos. Gênero: Musical.
Ingressos: R$ 120 plateia / R$ 90 frisas / 60 balcão.

Teatro Porto Seguro
Al. Barão de Piracicaba, 740 – Campos Elíseos – São Paulo.
Telefone (11) 3226.7300.
Bilheteria: De terça a sábado, das 13h às 21h e domingos, das 12h às 19h.
Capacidade: 496 lugares.
Formas de pagamento: Cartão de crédito e débito (Visa, Mastercard, Elo e Diners).
Acessibilidade: 10 lugares para cadeirantes e 5 cadeiras para obesos.
Estacionamento no local: Estapar R$ 20,00 (self parking) - Clientes Porto Seguro têm 50% de desconto.
Serviço de Vans: Transporte gratuito Estação Luz – Teatro Porto Seguro – Estação Luz. O Teatro Porto Seguro oferece vans gratuitas da Estação Luz até as dependências do Teatro. Como pegar: na Estação Luz, na saída Rua José Paulino/Praça da Luz/Pinacoteca, vans personalizadas passam em frente ao local indicado para pegar os espectadores. Para mais informações, contate a equipe do Teatro Porto Seguro. Bicicletário – grátis.
Gemma Restaurante: Terças a sextas-feiras das 11h às 17h; sábados das 11h às 18h e domingos das 11h às 16h. Happy hour quartas, quintas e sextas-feiras das 17h às 21h.
Vendas: tudus.com.br
Facebook: facebook.com/teatroporto
Instagram: @teatroporto



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm



Encerramento do espetáculo no Teatro Porto Seguro


← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial
Tecnologia do Blogger.
 
google.com, pub-3645003449125371, DIRECT, f08c47fec0942fa0 subdomain=subdomain.resenhando.com subdomain=subdomain.www.resenhando.com