Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Cavaleiro da Lua. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Cavaleiro da Lua. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

terça-feira, 29 de março de 2022

.: "Cavaleiro da Lua" não é só para fãs da Marvel. Saiba tudo!

A nova série original do Disney+ apresenta um novo enredo, paralelo às outras produções do estúdio


"Cavaleiro da Lua" é a nova produção da Marvel Studios, que estreia - para alegria dos fãs - no dia 30 de março exclusivamente no Disney+. Entretanto, se você é daqueles que não conhece e/ou acompanha nenhum personagem ou história da Marvel, não tem problema. A série é, inclusive, uma sugestão ideal para você começar a assistir às produções do estúdio, já que apresenta um enredo paralelo aos filmes e séries lançados até agora.

Dirigido por Mohamed Diab, "Cavaleiro da Lua" acompanha a vida de Steven Grant (Oscar Isaac), um homem gentil, educado e aparentemente normal, mas que descobre ter uma dupla identidade, dividindo sua personalidade com a do mercenário implacável, Marc Spector. Confira abaixo mais informações sobre a série e que provam que você não precisa ser um fã da Marvel para acompanhar e gostar da nova produção original do Disney+.

Novo herói e personagens: "Cavaleiro da Lua" apresenta um novo protagonista ao público, entre outros personagens nunca vistos antes. Steven Grant é um gentil e educado funcionário de uma loja de souvenirs, que sofre apagões constantes e apresenta memórias de uma vida desconhecida e de pessoas diferentes. Ele acaba descobrindo que é portador de transtorno dissociativo de identidade e divide sua vida com o guerreiro de Konshu, Marc Spector.

Mesmo sofrendo com toda esta situação, ele acaba aceitando a nova realidade, sempre tentando solucionar os seus principais mistérios e enfrentando os vilões presentes tanto na vida de Grant, quanto na de Spector.

Nova temática: Com uma fotografia mais sombria, diferente das produções do MCU (Universo Cinematográfico da Marvel), a série apresenta perspectivas mais adultas, oferecendo um novo tipo de produção para o público. Focada em temas malévolos, com pitadas de terror e suspense, "Cavaleiro da Lua" também conta com sequências brutais de ação, equilibradas por momentos de intriga, leveza e um pouco de mistério.

Representação cultural: A nova produção se passa no Egito e conta com diversas referências históricas acerca da iconografia e mitologia egípcia. Com uma identidade visual única, "Cavaleiro da Lua" também apresenta algumas divindades culturais da região, dentre elas, Konshu, como o foco principal.

Saúde mental: Um dos principais focos de "Cavaleiro da Lua" se dá em torno das diferentes identidades do personagem principal, que sofre de transtorno dissociativo de identidade - uma doença que inclui a incapacidade de recordar memórias, informações diárias, eventos importantes e traumáticos, além de ser também principalmente caracterizada pela presença de uma dupla personalidade.

Trailer:




terça-feira, 5 de abril de 2022

.: 1x1: "Cavaleiro da Lua" apresenta o problema do peixe dourado

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em abril de 2022


Para apresentar mocinho e vilão, no episódio de estreia da serie "Cavaleiro da Lua", intitulado "O Problema do Peixe Dourado", a produção da Marvel começa com quem será uma pedra no sapato do protagonista -e que introdução de dar agonia. Na sequência, entra em cena o protagonista Steven Grant (Oscar Isaac), que na verdade é Marc Spector, um humano transformado em Avatar do deus egípcio da Lua, Khonshu.

Ao despertar, na própria casa, Grant abre a tornozeleira no pé direito, assim como confere se tudo está no devido lugar. Em tempo: é quase impossível deixar de se impressionar com o material ao chão, em torno da cama dele. Solitário, cuida de um animalzinho que, no caso, chega ao mais alto grau de importância para marcar presença no título do episódio: um peixinho dourado -com uma nadadeira menorzinha. Lembrou do protagonista de "Procurando Nemo"?. Pois é. A animação infantil de 2003 chega a ser mencionada.

Ao telefone com a mãe, segue nos afazeres até ir para o trabalho. É lá, num museu, que diversas caractéristicas depressiativas são atribuídas a ele, quando é chamado, inclusive, de idiota pela chefe, que o lembra de ter sido rebaixado no cargo. Contudo, os xingamentos se repetem na boca de outras personagens. 

Começando por esse peixinho, o "Cavaleiro da Lua" deixa claro que há algo de diferente com Grant. Destacando a saúde mental, uma vez que ele sofre com transtorno dissociativo de identidade -a incapacidade de recordar memórias, informações diárias, eventos importantes e traumáticos. E para brincar ainda mais com essa "falha", diante do espelho, surge um outro "eu" do visto como "perdedor" no ambiente de trabalho.

É justamente no Museu que o "idiota" se vê diante de um grandíssimo enfrentamento que põe a vida dele em risco -com direito a perseguição para arregalar os olhos de quem assiste a tudo, nós. E como toda série excelente, o enredo acontece de modo agradável, com escapismo para piadas. No entanto, o primeiro episódio de "Cavaleiro da Lua" acaba com um tremendo gancho, daqueles de deixar um circo inteiro de pulgas atrás de nossas orelhas. Imperdível!


Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: O problema do peixe dourado

Exibição: 30 de março de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm


sábado, 16 de abril de 2022

.: 1x3: "Cavaleiro da Lua" mostra "O Tipo Amigável" de Marc e Steven

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em abril de 2022


Em "O Tipo Amigável", terceiro episódio da série "Cavaleiro da Lua"Steven Grant (Oscar Isaac) está no posto de "homem do espelho", sendo assim, é Marc Spector (Oscar Isaac) quem domina a situação, garantindo o ritmo de ação, com muita pancadaria, para a história cheia de deuses egípcios. Contudo, Layla (May Calamawy) é quem organiza a documentação para viajar ao Egito e encontrar Marc/Steven. Assim, enquanto o nome da Marvel é formado na tela com os heróis conhecidos, a música árabe "Enta", de Dj Kaboo -na trilha sonora do seriado- dá o clima para o público sobre o que irá encontrar no episódio de 46 minutos.

Num visual arenoso, surge Arthur Harrow (Ethan Hawke) com o escaravelho apontando para um lugar. Ali, Harrow acredita estar Ammit (Sofia Danu), quem pretende ressuscitar e seguir seu plano. Enquanto Marc enfrenta três caras equipados com facas nos telhados árabes, algo bem estilo "Homem-Aranha", para atrapalhar tudo, surge uma imagem na ferramenta. Steven está no reflexo de uma das facas e, claro, a confusão das personalidades torna a história ainda melhor. Afinal, Konshu consegue ser uma terceira voz quando Marc é quem domina o avatar.

A reunião dos deuses com a presença de Harrow, serve ao público uma discussão ferrenha. Uma cena e tanto. Sem contar que mostra o talento de Oscar Isaac na alternância entre Marc e Konshu. Ao sair da pirâmide de Gizé, a dobradinha Marc e Layla faz uma D.R., apresenta mais informações sobre o passado do protagonista, o que acaba esbarrando em mais ação explodindo na tela. 

A estética desse terceiro episódio de "Cavaleiro da Lua" é de fazer o queixo cair. Como não ficar sem palavras quando o Cavaleiro da Lua pula do alto até o chão e sua capa forma a lua?! Contudo, há um lado brincalhão desse justiceiro. No meio de um grande rebuliço, Steven assume o traje e pede para parar aquilo tudo, pois todos ali precisam se acalmar. "Está todo mundo estressado", grita. Convenhamos, é algo tão inesperado que lembra o querido anti-herói "Deadpool".

Em "O Tipo Amigável", Steven ganha um novo apelido, agora dado por Konshu. Assim, deixa de ser o "idiota" da loja de presentes para se rotulado de "verme". No entanto, a maior surpresa é ao final quando o deus sofre em nome da vitória de Harrow. É também nesse episódio que há a participação do ator Gaspard Ulliel, na pele de Anton Mogart. Em 19 de janeiro de 2022, ele faleceu, quando estava de férias, em Savoie, ao colidir com outro esquiador no cruzamento de duas pistas azuis. Ao fim, há uma homenagem com o nome dele.

Que a próxima quarta-feira chegue, logo! A cada semana, todo episódio termina com ganchos incríveis. Em "O Tipo Amigável" não foi diferente e deixou um gostinho de "preciso saber mais"!

Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: O Tipo Amigável

Exibição: 13 de abril de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm


quinta-feira, 7 de abril de 2022

.: 1x2: "Cavaleiro da Lua" descobre o poder de invocar o traje

Em abril de 2022


No segundo episódio da série "Cavaleiro da Lua", intitulado "Invoque o Traje", Steven Grant (Oscar Isaac), da loja de presentes, segue sendo chamado de "idiota" e "tolo", com tempo suficiente para sofrer as consequências pela destruição do banheiro do museu. Em contrapartida, o passado de Marc Spector (Oscar Isaac), um fugitivo internacional que atacou uma equipe de arqueólogos numa escavação no Egito, traz para a vida de Steven -não Scott-, uma esposa de quem está prestes a se divorciar e um tratado com o deus egípcio da Lua, Khonshu

Assim, após conhecermos a história de Steven, apresentada em "O Problema do Peixe Dourado", nessa sequência, presenciamos as múltiplas personalidades de Steven em ação. Logo, há um completo choque entre Steven e Marc na disputa de liderar o corpo -avatar- disponível. É nessa discussão com o homem do espelho e pela fala dos inimigos do deus egípcio, liderado por Harrow (Ethan Hawke), que conhecemos, afinal, quem é Marc Spector.

O roteiro ágil e cheio de reviravoltas e segue inserindo falas engraçadas, o que suaviza a trama que é cheia de pancadaria e efeitos visuais incríveis. A perserguição de Steven pelo deus egípcio num corredor do armário de armazenamento é de arregalar os olhos. Considerando os atritos entre Steven e Marc, Marc e Khonshu e Marc e Harrow, há o objetivo maior: manter o escaravelho dourado. Afinal, Harrow está sedento pela relíquia sob a proteção do inocente e infantil, Steven. Por quê? Para localizar o túmulo de Ammit (Sofia Danu) e libertá-la. 

Bom, para quem gosta de ver fogo no parquinho no universo dos super heróis, "Cavaleiro da Lua" é um prato cheio. Como não se divertir com o lado Gollum (O Senhor dos Anéis) de Steven?! Ou ainda a inocência tão pura do atualemnte desempregado a ponto de parecer uma criancinha?! Em "Invoque o Traje", Marvel, sabedora do poder de um bom gancho, perto do fim do episódio traz surpresas que prometem um terceiro episódio de roer as unhas. Bora para o Egito! 

Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: Invoque o Traje

Exibição: 6 de abril de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm

quinta-feira, 28 de abril de 2022

.: 1x5: "Cavaleiro da Lua" recebe "Asilo" e volta à infância para nos emocionar

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em abril de 2022

"Asilo", o quinto episódio de "Cavaleiro da Lua", é uma obra-prima. Não somente pelo visual de deixar qualquer um boquiaberto, mas também por brindar o público com a atuação impecável de Oscar Isaac em múltiplas personalidades e ainda aprimorar a história de Marc (Oscar Isaac) deixando claro que nada acontece na série sem motivo. Tudo está conectado. Aliás, muito bem interligado. 

Assim, continuando da última cena surpreendente do episódio anterior, com a divindade da mitologia egípcia, Taweret, também chamada de Taurt ou Tuéris, a Deusa hipopótamo da fertilidade, partos e protetora das crianças, Marc e Steven têm reencontros para colocar na balança um fato marcante do passado. É assim que volta para a história o problema do peixe dourado e até as ligações diárias que Steven faz para a mãe -aqueles do primeiro episódio.


É em "Asilo" que as surpresas da trama emocionam e até arrepiam. Como não se deixar tocar com a postura do pequeno Marc, assustado pela mãe, que o culpa por uma fatalidade, mas, mesmo sendo uma criança foge daquela situação se preocupando em organizar as coisas do quarto? E, claro, se o pequeno Marc dá um show de atuação, ele adulto, no talento de Oscar Isaac, é uma interpretação digna de prêmio. Nas alternâncias entre personagens é sempre clara a diferença entre cada uma das múltiplas personas de Marc. Que talento!


No decorrer dos 43 minutos totais do episódio, sem Layla (May Calamawy), sendo ela somente mencionada pelo protagonista, a trama perde o fundo amoroso, usado no episódio anterior. Inesquecível a briga de Marc e Steven pelo amor da mocinha. Por outro lado, Arthur Harrow (Ethan Hawke) mantém o posto de algoz de Marc/Steven, tornando a ser o doutor do hospício


É com a inserção da Deusa, precisando equilibrar na balança da justiça os corações com a pena da verdade, que a parte emocional do episódio faz todo sentido. Ela está ali para proteger o pequeno Marc, ao menos para regular algo que ficou no passado, mas ainda o afeta. Com a morte do menino Steven se repetindo com a queda do navio e assumindo a forma de uma estátua de areia que se dá o equilíbrio. Episódio forte por tratar traumas do passado e seus reflexos. Que venha o desfecho dessa maravilha em série chamada "Cavaleiro da Lua"!

Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: Asilo

Exibição: 27 de abril de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm


sexta-feira, 6 de maio de 2022

.: 1x6: "Cavaleiro da Lua" tem "Deuses e Monstros" com cena pós-créditos

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em maio de 2022


No sexto e último episódio de "Cavaleiro da Lua", reencontramos Marc morto, na Tumba. Assim, é Layla quem faz o jogo acontecer ainda mais rápido, incluindo um papo com Khonsu e com a Tuéris, a Deusa hipopótamo da fertilidade. Num campo de junco, a balança de Marc está equilibrada, uma vez que ele tem o coração cheio, estando em paz e ao lado da deusa protetora das crianças e mulheres. 

Mesmo alcançando grande objetivo, ele, sem pensar, age para resgatar Steven. Enquanto deixa a sensação de um possível fim de uma das personalidades, um reencontro emociona e garante um discurso recheado de lindas lembranças do passado sobre não abandonar. Pois é! Fica nítido que um não vive sem o outro.

Khonsu volta para enfrentar Ammit, a deusa libertada por Harrow, que é a "devoradora" ou "comedora de almas". Desta forma, a figura de um jacaré toma a ponta do cajado do vilão, sendo que essa deusa assume a forma de uma Cuca com visual egípico pra lá de maligna. Durante esse enfrentamento, Marc renasce, definitivamente como Cavaleiro da Lua. Cena de arrepiar! Lindo de se ver. 

Até que a emoção ganha um toque especial de bom humor quando as personalidades diante de Khonsu querem saber como tudo irá funcionar na forma que está. Momento de leveza ao episódio. Na tumba, é Layla quem prova a chance de se deixar ser um avatar, pela deusa Tuéris. Em tempo que show de atuação de May Calamawy nas trocas de personalidade entre Layla e a deusa. Ao ser avatar da deusa, fica lindamente poderosa.

Ammit quer as almas para se manter, mas Khonsu a enfrenta. Embora ela o queira a seu lado, a ponto de convidá-lo e tudo. Contudo, acontece uma digna luta de deuses. Longe das pirâmides egípcias, Marc reencontra Layla, que  agora é uma heroína. Diante da felicidade de rever Layla, Steven Grant assume a personalidade de Marc. Num embate pra lá de marcante, ao fim, Marc apaga e quem faz tudo é Steven.

Harrow parece ter sido vencido, assim Ammit é contida nele. É preciso matá-lo, mas justamente nesse momento em que acontece o típico debate sobre matar o vilão ou deixá-lo vivo. Entretanto, numa outra realidade, Marc percebe do que é capaz. Assim, ficamos órfãos de uma série incrível. Contudo, uma cena pós-credito consegue nos fazer roer as unhas. E, por fim, dentro de uma limosine tudo muda de figura, ao menos para Harrow. 


Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: e Monstros

Exibição: 4 de maio de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm

sexta-feira, 22 de abril de 2022

.: 1x4: "Cavaleiro da Lua" vai para "A Tumba" e se reencontra em manicômio

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em abril de 2022


O quarto episódio de "Cavaleiro da Lua", intitulado de "A Tumba" é cheio de surpresas. Não é modo de falar, não. Em quase 50 minutos acontece de tudo e mais um pouco com Steven/Marc (Oscar Isaac). Sem a "direção" do deus Khonshu e o avatar sendo assumido por Steven, ainda no Egito, o pacato ex-vendedor de bugigangas de museu, segue ao lado de Layla (May Calamawy) em busca de parar a maldade de Arthur Harrow (Ethan Hawke). 

Assim, Steven, grande admirador da história egípcia consegue adentrar o lugar dos sonhos dele: a tumba de Alexandre, o Grande. Contudo, ele e Layla acabam se separando após identificarem um ritual macabro. Cena de perseguição para ninguém botar defeito! Enquanto que Steven busca outro caminho para chegar antes em Ammit (Sofia Danu), sozinha, Layla é envenenada pelas palavras ácidas de Harrow. O pior é que ela cai igual a uma bobinha na conversa do vilão. No entanto, a cena de saída da personagem é digna de filme de terror. É inevitável o susto! 

Contudo, a maior surpresa do episódio não está restrita ao avanço da dupla para impedir a vitória do maquiavélico Harrow, mas quando Steven é acertado no peito por tiros disparados pelo inimigo. Sim! É uma cena de fazer cair o queixo e super inesperada. Mas também muito linda! Confesso que conferi o tempo de episódio. Parecia um gancho final. No entanto, há ainda mais a acontecer nos próximos quase 30 minutos.

E para as perguntas que brotam sobre a morte de Steven ou Marc logo surge uma resposta de fazer arregalar os olhos. Marc está internado no manicômio e tem como parceira, Layla. Daí o seu traje todo em branco, a amarra no tornozelo e o vilão Harrow, admirador da cultura egípcia. Que aproveita para falar sobre o filme favorito. Na luta para não ser mais dopado, ele consegue um tremendo feito a ponto de reencontrar seu eu, tirando-o de uma tumba. Contudo, o desfecho de "A Tumba" é de deixar qualquer um com a pulga atrás da orelha e se perguntar sobre o que foi aquilo. Imperdível!


Seriado: Cavaleiro da Lua

Episódio: A Tumba

Exibição: 20 de abril de 2022

Emissora original: Disney Plus

Direção: Mohamed Diab

Elenco: Steven Grant e Marc Spector (Oscar Isaac), Khonshu (F. Murray Abraham), Arthur Harrow (Ethan Hawke), Layla El-Faouly (May Calamawy), Midnight Man (Gaspard Ulliel)


*Editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm

sábado, 9 de abril de 2022

.: Gostou de “Cavaleiro da Lua”? Três filmes com Oscar Isaac imperdíveis

Astro de nova série da Marvel, ator e músico guatemalteco tem currículo diverso e aparece em outras produções que podem ser vistas por assinantes do hub de conteúdo

 

Você ficou animado com o lançamento de “Cavaleiro da Lua”, série baseada em quadrinhos da Marvel que estreou na semana passada? Então, que tal acompanhar mais da carreira de Oscar Isaac, 43, protagonista da produção? O guatemalteco é um artista versátil, que já esteve em dramas, ficções científicas, filmes de ação e outros gêneros. Para conhecer mais sobre a carreira dele, que tal mergulhar nas opções em que o ator e músico aparece no hub de conteúdo Watch Brasil?

Isaac nasceu na Guatemala, mas passou a maior parte da vida na Flórida (EUA). O interesse pela arte aflorou quando ele ingressou na universidade comunitária em que se formou em artes performáticas, e posteriormente Isaac se matriculou na Juilliard, a prestigiada escola de arte de Nova York. Sua carreira começou de fato com um modesto papel no longa “lltown”, em 1996, e o primeiro papel importante foi no filme “Jesus: A História do Nascimento, em 2006”.

Em 2021, a ator fez parte do elenco de “Duna”, filme indicado ao Oscar deste ano e ganhador de seis estatuetas. Quer saber o que mais ver para acompanhar a carreira dele?

Duna: Lançado em 2021, com direção do canadense Denis Villeneuve, o filme foi indicado em dez categorias do Oscar deste ano e levou seis estatuetas para casa, incluindo som, edição e fotografia. Inspirado na obra literária de Frank Herbert, conta uma história que se passa em um futuro longínquo. O duque Leto Atreides administra o planeta desértico Arrakis, também conhecido como “Duna”, lugar de única fonte da substância rara chamada de "melange", usada para estender a vida humana e garantir poderes sobrehumanos. O filme conta com um elenco de peso, e Oscar Isaac interpreta Leto Atreides, pai do personagem de Timothée Chalamet. Também integram o elenco nomes como Zendaya e Rebecca Ferguson. Para assistir ao longa basta alugar na plataforma da Watch Brasil.

As Duas Faces de Janeiro: Lançado em 2014, o longa dirigido por Hossein Amini se passa nos anos 1960 e conta a história do jovem casal Chester e Colette, que decide fazer uma viagem de barco à Grécia. No local, eles conhecem Rydal, um guia americano que fala grego e decide ajudá-los no passeio. O que eles não sabem é que Rydal é conhecido por aplicar golpes nos turistas. Além de Oscar Isaac, fazem parte do elenco Viggo Mortensen e Kirsten Dunst.

Vigiando a Jolly: A comédia dramática produzida por Chadd Harbold conta a história emocionante de Harry, completamente obcecado por Jolly, sua cadela. Em um dia, quando o animal é morto, ele pede a seu primo Cecil para ajudá-lo a encontrar o responsável, o que inicia uma trama que é um mix de altos e baixos. O elenco é estrelado por Oscar Isaac conta também com nomes como Brian Petsos, Elijah Wood, Kristen Wiig e Adam Brody.

Os longas com Oscar Isaac podem ser vistos no hub de conteúdo Watch Brasil, que reúne filmes, séries, canais lineares, transmissões esportivas e música.

quarta-feira, 6 de abril de 2022

.: "Cavaleiro da Lua": galeria de imagens com gostinho do que vem por aí

O primeiro dos seis episódios da nova série da Marvel, Cavaleiro da Lua, já está disponível exclusivamente no Disney+, desde 30 de março. Na produção, Oscar Isaac interpreta Steven Grant, um gentil e educado funcionário de uma loja de souvenir, que fica atormentado com apagões e memórias de outra vida. Steven descobre que tem transtorno dissociativo de identidade e divide o corpo com o mercenário Marc Spector. À medida que os inimigos de Steven/Marc se voltam para eles, ambos devem navegar em suas complexas identidades enquanto mergulham em um mistério mortal entre os poderosos deuses do Egito.

Para celebrar a estreia da série, fica aqui um gostinho do que vem por aí nos próximos episódios, lançados toda quarta-feira? Hoje saiu o segundo. Confira abaixo.












quinta-feira, 25 de outubro de 2007

.: Resenha da adaptação de "Dom Quixote", de Miguel de Cervantes

Devaneios ricos de modernidade literária. Adaptação de Dom Quixote publicada pela Editora Ática tem apresentação da escritora Ana Maria Machado.

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

Em outubro de 2007



Um clássico da literatura escrito há 400 anos em linguagem acessível. Pode parecer algo impossível de se encontrar nos dias de hoje, mas não é. Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, teve adaptação de Michael Harrison, publicada pela Editora Ática. Resultado: uma das obras-primas da literatura universal de todos os tempos reduzida a 120 páginas sem perder a qualidade, além de ainda conservar a inovação de Cervantes ao criar personagens comentando o próprio livro.

É claro que o mais aconselhável é ir em busca de exemplares originais ou traduções desta obra, porém a falta de interesse dos novos leitores pode-se perder e talvez, até fazer com que a leitura de Dom Quixote caia no esquecimento. Então, nada melhor que lançar a isca ao peixe e assim, atiçar a vontade e o prazer da leitura, iniciando-os no longo e fabuloso caminho da fantasia por meio desta simples e empolgante adaptação.

Em
 Dom Quixote há um fidalgo admirador das histórias de cavalaria que após tanto ler sobre os feitos dos cavaleiros medievais, ele decide se tornar um cavaleiro andante e viver sua própria história como herói, apesar de estar no século XVI. "O tio de Maria vivia numa aldeia de um canto empoeirado da Espanha. Era um homem ossudo, de uns cinqüenta anos, o tipo de fidalgo às antigas que ornamenta sua biblioteca com uma lança enferrujada e um escudo bichado, artefatos que o ajudam a viver no passado. Ele não era casado, naturalmente, mas acolhera a sobrinha em sua casa. Esta era uma moça sensível, e tinha seus dezoito anos. Uma velha ama dispensava aos dois cuidados de mãe. Os amigos que o fidalgo tinha na cidade eram as duas únicas pessoas instruídas: Tomás, o padre, e Nicolau, o barbeiro".

No entanto, o nobre senhor queria mais da vida, apesar de estar numa idade um tanto que avançada. Antes de sair em busca de aventuras medievais, ele ajeita sua armadura que fica perfeitamente pronta (em sucata e papelão) e o poderoso Rocinante (seu cavalo, um decrépito pangaré).

A primeira partida de nosso herói não acontece como o planejado por Dom Quixote de La Mancha. Por sorte, após viver uma desventura, o herói com o corpo moído, encontra um homem da mesma aldeia em que vivia e este o ajuda a chegar em casa. "A sobrinha e a ama ficaram muito contentes com sua volta. Elas lhe tiraram a armadura, limparam suas feridas e o colocaram na cama. Lá ele sonhou tais sonhos que as teriam assustado, se as duas pudessem ver o que se passava em sua pobre cabeça machucada".

A solução de tudo? Fazer com que todos os preciosos livros de Dom Quixote virassem cinzas. "Mais que depressa emparedaram e caiaram a porta de sua biblioteca". Como qualquer lorde, Dom Quixote nada disse, pois ele sabia que aquilo era uma obra de feiticeiro. "Ele haveria de sair pelo mundo para procurá-lo e destruí-lo. Só então seus livros e sua biblioteca iriam reaparecer".

Assim, o fidalgo espanhol parte em nova jornada, desta vez acompanhado por Sancho Pança, um ingênuo lavrador. Sancho usa sua esperteza e "entra" nas histórias inventadas por Dom Quixote, as viagens se sucedem sob a alucinação de quem deseja combater as injustiças do mundo. Contudo, o lavrador que o acompanha mostra não ser bobo como parece inicialmente, afinal, seu objetivo é o pagamento prometido por Dom Quixote: uma ilha, só de Sancho.

A parte não tão divertida está na terceira expedição, pois os devaneios de Dom Quixote simplesmente acabam, apesar de ainda ter em mente que precisa salvar donzelas, vencer o Cavaleiro dos Espelhos e o Cavaleiro da Lua Cheia.

É no retorno final para casa que Dom Quixote descobre o quanto os livros são perigosos, e diz: "Os livros deviam ser queimados numa grande fogueira para evitar que desencaminhem as pessoas". Em contraponto o padre Tomás argumenta: "A culpa não é só dos livros, mas sim da nossa fraqueza, que nos faz acreditar naquilo que não deveria passar de um passatempo de uma noite de inverno. Não existe nenhum livro tão ruim que não tenha algo de bom".

Miguel de Cervantes: Nasceu em 1547, em Alcalá de Henares, cidade perto de Madri. Ainda jovem, viajou para a Itália e lutou contra os turcos na batalha de Lepanto, ferindo-se na mão esquerda, que ficou inutilizada. Aprisionado por piratas, só se libertou cinco anos depois. Mais tarde passou a residir em Lisboa. Em 1580, voltou à Espanha e chegou a trabalhar como cobrador de impostos. Devido a essa profissão, viajou por toda a Espanha, conhecendo de perto as dificuldades de seus conterrâneos. Lançou a primeira parte de Dom Quixote em 1605, obtendo sucesso imediato. Em 1615 publicou a segunda parte do livro. Morreu no ano seguinte, muito conhecido mas ainda sem recursos.

Dom Quixote publicado pela Ática: Faz parte da coleção O Tesouro dos Clássicos Juvenil que apresenta algumas das obras mais importantes da literatura mundial, adaptadas para o leitor jovem. A edição brasileira não se resume apenas ao texto adaptado e apresenta uma seção, "Por trás da história", ricamente ilustrada, com informações sobre o autor e seu contexto histórico. A coleção conta também com Odisséia, de Homero. Sua coleção-irmã lançou: O Tesouro dos Clássicos, tem livros mais curtos e conta com os títulos: O médico e o monstro, Ali Babá e os quarenta ladrões e A ilha do tesouro. As três publicações ganharam o prêmio "Altamente recomendável", categoria Tradução Criança, dado pela FNLIJ/2002. 

Você pode comprar o livro Dom Quixote, de Miguel de Cervantes em amzn.to/2ZL4kZu


Livro: Dom Quixote
Autor: Miguel de Cervantes
Adaptação: Michael Harrison
120 páginas
Ano: 2003
Ilustração: Victor G. Ambrus
Coleção: O Tesouro dos Clássicos Juvenil
Editora: 
Ática

terça-feira, 24 de maio de 2022

.: Dia do Orgulho Nerd: lista de produções geeks para maratonar

A data é comemorada na próxima quarta-feira (25)


No dia 25 de maio, o mundo celebra o Dia do Orgulho Nerd. A data comemorativa surgiu em 2006, por iniciativa de um grupo de amigos espanhóis, em homenagem à estreia de "Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança", que aconteceu nesse mesmo dia em 1977.

Porém, antes mesmo da criação da data, a comunidade nerd já celebrava o Dia da Toalha, também em 25 de maio, em homenagem à Douglas Adams, autor da série de livros "Guia dos Mochileiros da Galáxia", que faleceu em maio de 2001.

Para celebrar este dia tão especial para os amantes da cultura nerd, o Disney+ preparou uma lista com as principais produções geeks disponíveis na plataforma.


Saga Star Wars 

Que tal começar com o homenageado do dia? No Disney+, o público encontra toda a saga de George Lucas, desde a produção que deu origem ao Dia do Orgulho Nerd: "Star Wars: Episódio IV - Uma Nova Esperança" (1977) até o filme mais recente: "Star Wars: Episódio IX - A Ascensão Skywalker" (2019). Também estão disponíveis na plataforma as séries da franquia, como a aclamada "The Mandalorian "(2019-2022), vencedora de cinco prêmios Emmy®, e as animações "Star Wars: A Guerra dos Clones" (2008), "The Bad Batch" (2021), "Star Wars: Visions" (2021), "LEGO Star Wars: Contos Aterrorizantes" (2021), entre outras. Além disso, no dia 27 de maio estreia a nova produção exclusiva Disney+: Obi-Wan Kenobi (2022), que narra a história do mestre jedi após seu aprendiz Anakin Skywalke ir para o lado sombrio da força.


Universo Cinematográfico Marvel

Não poderia faltar nesta lista a saga que tem a segunda maior bilheteria da história do cinema: "Vingadores - Ultimato (2019)". No Disney+, estão disponíveis todos os filmes das quatro fases do Universo Cinematográfico Marvel e seu grande elenco. As aventuras do Homem de Ferro (Robert Downey Jr), Capitão América (Chris Evans), Homem Aranha (Tom Holland), Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen), Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch), entre outros vingadores, estão em um catálogo exclusivo da plataforma, disponibilizados em ordem cronológica, de lançamento e de fases Marvel.


Séries e documentários Marvel

Além das grandes produções cinematográficas da Marvel Studios, o Disney+ conta também com as séries originais dos estúdios, como WandaVision (2021), que apresenta a história do casal Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany); a recém-lançada Cavaleiro da Lua (2022) contando a história do complexo personagem Marc Spector (Oscar Isaac); a natalina e emocionante Gavião Arqueiro (2021), entre outras.

Além disso, o público pode também se aprofundar nas histórias com os documentários que mostram os bastidores e segredos das produções Marvel, como os especiais Avante (2021) e Por Trás da Máscara (2021).


Coleção X-Men

Outra boa opção para comemorar o Dia do Orgulho Nerd em grande estilo é mergulhar de cabeça em todos os filmes do universo mutante. No Disney+, o público encontra desde o primeiro "X-Men - O Filme (2000)", passando pelos filmes do Wolverine, papel que marcou a carreira de Hugh Jackmann, como o "X-Men Origins Wolverine" (2009), até a mais recente produção da saga: Os Novos Mutantes (2020). Também estão disponíveis a animação "X-Men" (1992-1996) e a série "The Gifted" (2017-2018). 


sábado, 11 de abril de 2020

.: HQ "Black Hammer" chega ao seu quarto e último volume


Com mais de 40 mil exemplares vendidos no Brasil, a série "Black Hammer" chega ao seu quarto e último volume.  Após derrotarem o poderoso e maligno Antideus, os  grandes heróis de Spiral City caíram no esquecimento ao se verem presos em um estranho purgatório: uma fazenda isolada e misteriosa da qual não conseguem sair. Por dez anos viveram como uma família, escondendo sua verdadeira natureza dos habitantes locais. Até que uma visita vinda de seu antigo mundo consegue chegar até eles, trazendo consigo a esperança de voltarem para casa, mas também o prenúncio de uma era de caos e destruição.

Neste quarto e último volume de Black Hammer, que chega ao Brasil pela Intrínseca em abril, mais segredos vêm à tona, e quando a verdade sobre o que aconteceu naquela batalha fatídica é revelada, o mundo dos ex-heróis muda completamente outra vez. Com o equilíbrio do universo sob ameaça, eles serão obrigados a decidir se o preço que pagaram para salvar Spiral City valeu a pena.

Criada por Jeff Lemire e Dean Ormston, a premiada série "Black Hammer" é sucesso de público e crítica e teve os direitos de adaptação para TV e cinema adquiridos pela Legendary. Com elementos de grandes clássicos dos quadrinhos, personagens complexos e trama única, a HQ aborda temas como memória, família e o peso das escolhas do passado.

Jeff Lemire é autor e ilustrador canadense. Entre suas principais obras estão O soldador subaquático e a trilogia Condado de Essex. Foi eleito duas vezes melhor quadrinista do Canadá pelo Schuster Award e venceu o Eisner Awards pela série Black Hammer. Além de suas graphic novels independentes, passou por grandes editoras norte-americanas, como Marvel e DC, onde atuou em séries como Arqueiro Verde, Constantine, Cavaleiro da Lua, entre outras.

Dean Ormston é um ilustrador britânico. Seus trabalhos mais notáveis são a série 2000 AD e os títulos do selo Vertigo, da DC. Foi agraciado com o Eisner Awards pela série Black Hammer.

Rich Tommaso é um autor, ilustrador e colorista americano. Possui obras publicadas por editoras como Dark Horse e Image Comics, além de diversos títulos independentes. Em 2008, ganhou com James Sturm o Eisner Awards por Satchel Paige: Striking Out Jim Crow.

Dave Stewart é um colorista americano considerado lendário no mundo dos quadrinhos, tendo ganhado o Eisner Awards diversas vezes. Já trabalhou com a DC, a Marvel e a Dark Horse, em títulos como Hellboy, Star Wars, Capitão América e Superman.

Todd Klein é um dos letristas americanos mais renomados dos quadrinhos. Vencedor do prestigiado Eisner Awards por diversos anos, trabalhou em séries de destaque da DC, como Lanterna Verde e Orquídea Negra, e foi um dos poucos profissionais a participar integralmente da produção de Sandman, de Neil Gaiman.

"Black Hammer: Era da Destruição - Parte II" (Série "Black Hammer" – Volume 4)

Tradução: Fernando Scheibe
Páginas: 192
Editora: Intrínseca
Livro impresso: R$ 44,90
E-book: R$ 29,90

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

.: Jeff Lemire, autor de "Royal City: Segredos em Família", na CCXP


Atração confirmada da CCXP Worlds, autor canadense lança no Brasil HQ sobre o cotidiano de uma família disfuncional em uma cidade decadente.

Um dos maiores quadrinistas da atualidade, Jeff Lemire coleciona oito indicações ao Eisner Awards, a mais importante premiação da indústria dos quadrinhos. Já conhecido pelo público brasileiro, ele é o criador da aclamada série Black Hammer, publicada pela Intrínseca e que já vendeu mais de 60 mil exemplares no Brasil. Às vésperas de sua participação na CCXP Worlds, a editora lança o primeiro volume de um dos trabalhos mais ambiciosos do autor. Escrito, roteirizado e ilustrado por Lemire, "Royal City: Segredos em Família" nos apresenta uma cidade misteriosa e a complexa relação dos integrantes da família Pike.

Royal City é um lugar decadente, uma cidade industrial outrora próspera, onde a família Pike foi dilacerada quando o caçula, Tommy, morreu décadas antes. Desde então, os Pike são assombrados por esse fantasma, que aparece para cada familiar de uma forma, seja como o menininho ingênuo, o homem casto, o adolescente revoltado ou o beberrão inconsequente. É esse cenário de desolação e desesperança que vai fazer com que o caminho dos irmãos se separe, tornando-os cada vez mais distantes.

Mas os Pike voltam a se reunir por causa de um evento trágico: Peter, o patriarca, sofre um derrame. Único a ter deixado Royal City, Patrick é um escritor em crise, que volta a contragosto para a cidade e para as lembranças das quais sempre tentou fugir. Ele logo se vê mergulhado nos problemas familiares, e seu reencontro com o fantasma de Tommy pode ter consequências devastadoras. Enquanto isso, Richard, o irmão problemático, precisa lutar contra seus vícios. Já Tara se vê dividida entre seu trabalho e seu casamento, ao mesmo tempo que tem de lidar com a mãe.

Um dos trabalhos mais pessoais de Jeff Lemire, este primeiro volume de "Royal City" traça as vidas, os amores e as perdas de uma família disfuncional e o cotidiano de uma cidade em decadência, mostrando que confrontar nossos maiores medos pode ser a única forma de enterrar o passado e seguir em frente.

Sobre o autor
Jeff Lemire é autor e ilustrador canadense. Entre suas principais obras estão O soldador subaquático e a trilogia Condado de Essex. Foi eleito duas vezes melhor quadrinista do Canadá pelo Schuster Award e venceu o Eisner Awards pela série Black Hammer. Além de suas graphic novels independentes, passou por grandes editoras norte-americanas, como Marvel e DC, onde atuou em séries como Arqueiro Verde, Constantine, Cavaleiro da Lua, entre outras. A foto é de Jaime Hogge. Você pode comprar "Royal City: Segredos em Família", de Jeff Lemire, neste link.

domingo, 7 de março de 2021

.: "Family Tree: Nascimento" retrata fim do mundo inimaginável e assustador


"Family Tree: Nascimento"
, de Jeff Lemire, Phil Hester, Eric Gapstur, Ryan Cody mostra o fim do mundo de maneira assustadora.

Autor de "Black Hammer", série que vendeu mais de 20 mil exemplares somente no Brasil, e vencedor do Eisner Awards, o prêmio mais importante do mundo dos quadrinhos, Jeff Lemire é também autor de sucessos como "Descender" e "Royal City", todos publicados pela Intrínseca. Em março, o canadense, em parceria com os ilustradores Phil Hester, Eric Gapstur e Ryan Cody, lança "Family Tree: Nascimento", o primeiro volume de uma trilogia surpreendente sobre o fim do mundo.

Em português, “family tree” significa “árvore genealógica”, e é dessa premissa que os autores partem para narrar a história de uma família cujos laços podem ser mais avassaladores e indestrutíveis do que eles imaginavam. Em uma cidadezinha qualquer, num dia que nada tinha de especial, a pequena Meg começa a se transformar em uma... árvore. Essa bizarra metamorfose dá início a uma sucessão de eventos que vão mudar totalmente a vida da menina e de seus familiares, ao mesmo tempo que o mundo que eles conhecem se aproxima do fim.

Desesperados, a garota, a mãe, o irmão e o excêntrico avô embarcam em uma perigosa viagem em busca da cura e de respostas, deparando-se com diversas ameaças pelo caminho. A cada passo longe de casa, a menina-árvore fica mais perto de perder para sempre sua humanidade. Ou talvez tornar-se o que nasceu para ser.

Este primeiro volume de "Family Tree" traz a marca de Lemire, que combina com maestria terror, mistério, ação e dramas familiares. Além disso, o livro traz uma visão única do subgênero body horror, ou horror corporal, em que o terror é causado por transformações grotescas no corpo dos personagens. O autor dá ao tema uma dimensão ainda mais profunda, inserindo conflitos familiares, resgate do passado e questionamentos sobre identidade e morte em um mundo em colapso. Você pode comprar "Family Tree: Nascimento"de Jeff Lemire, Phil Hester, Eric Gapstur e Ryan Cody

Sobre os autores
Jeff Lemire é autor e ilustrador canadense. Entre suas principais obras estão "O Soldador Subaquático" e a trilogia "Condado de Essex". Foi eleito duas vezes melhor quadrinista do Canadá pelo Schuster Award e venceu o Eisner Awards pela série Black Hammer. Além de suas graphic novels independentes, passou por grandes editoras norte-americanas, como Marvel e DC, nas quais atuou em séries como Arqueiro Verde, Constantine, Cavaleiro da Lua, entre outras.

Phil Hester é um ilustrador americano com trabalhos importantes para Dark Horse, Marvel e DC. É conhecido por sua colaboração em "Arqueiro Verde: O Espírito da Flecha", escrito pelo cineasta Kevin Smith, e por The Coffin, criado por ele. Também ilustrou as HQs "Aliens: Purge" e "Archie vs. Predator".

Eric Gapstur é um artista conhecido por trabalhos como "Animosity: Evolution", "The Flash: Season Zero", "Batman Beyond" e "James Bond 007".  Em 2022, lançará seu primeiro quadrinho autoral, "Sort of Super".  

Ryan Cody é um ilustrador, escritor e colorista nascido no Arizona, Estados Unidos. Tem trabalhos publicados por editoras como Image, Marvel, DC e Dark Horse. É autor de "Icarus" e coautor de "Villains", da Viper Comics.

Ficha técnica
HQ: "Family Tree: Nascimento"
Autores:
Jeff Lemire, Phil Hester, Eric Gapstur, Ryan Cody
Tradução: Fernando Scheibe
Páginas: 96
Editora: Intrínseca
Link na Amazon: https://amzn.to/38iBRig
Próximas postagens → Página inicial
Tecnologia do Blogger.