Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Glee. Ordenar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Glee. Ordenar por data Mostrar todas as postagens

sábado, 21 de março de 2015

.: Glee: "Veja o mundo não como é, mas como deveria ser"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*

Em março de 2015 


Um gigantesco nó na garganta com direito a mãos geladas e muitas lágrimas. Assim foi a minha "despedida" do seriado "Glee". Não! Não estou sendo dramática. Muito pelo contrário, estou sendo muito sucinta. Confesso que como toda história de amor, tive minhas rusgas com o seriado de Ryan Murphy & Brad Falchuk, mas quando a gente ama de verdade... é só dar um fôlego que a chama volta a arder loucamente.

Desde 20 de maio de 2009, as minhas férias -e as dos vizinhos-, durante os meses de julho e janeiro não foram mais as mesmas. Com os episódios no computador e na HD externa, em dias de puro estresse era certo colocar as interpretações de Rachel, Finn e toda a turma do coral nas alturas para espantar todos os males. Já nas férias, estando em casa... som alto com as versões de "Glee" era a grande certeza. No carro, não era diferente. Lembro que na época, cursando Letras, minha amiga Jéssyka brincava que o Folhinha -apelido dado ao meu Celta- já sabia cantar "Jessie´s girl" e "Joe Run". Convenhamos que é impossível abandonar uma história de amor antiga! 

Para ser inesquecível, o adeus do seriado foi caprichado com a dobradinha dos dois últimos episódios: "2009", escrito por Ned Martel e "Dreams Come True", com roteiro de Ryan Murphy & Brad Falchuk & Ian Brennan. O embarque foi iniciado às 21 horas, horário de Brasília. Enquanto Rachel (Lea Michele), Mercedes (Amber Riley), Kurt (Chris Colfer), Tina (Jenna Ushkowitz) e Artie (Kevin McHale) voltavam no tempo com o visual do início do seriado, foi impossível não "procurar" por Finn Hudson (Cory Monteith). A cada vez que o nome do personagem era pronunciado, uma gota de esperança criava a possibilidade de uma edição mais elaborada para uma pequena participação do ator que faleceu em julho de 2013.

No processo de contar o que não foi contado, ou seja, como os protagonistas da história se conheceram, até Blaine (Darren Criss) apareceu, embora na época ainda não pertencesse ao elenco de "Glee". No entanto, deve-se admitir que ele foi importante para toda a trama, principalmente na ausência do par de Rachel. Sabendo como cada membro do clube do coral se conheceu e até como o professor 
Will Schuester (Matthew Morrison) topou assumir o "Glee", o desfecho deste episódio que volta ao passado não poderia ser mais emocionante e arrepiante: a reexibição de "Don´t Stop Believin´", do episódio piloto, para encerrar. Momento de pura emoção para chorar.


Assim como fez Blaine no segundo e último episódio da noite, "Dreams come true", rir e chorar ao mesmo tempo foi inevitável para quem acompanhou "Glee" ao longo desses 6 anos. Enquanto assistiam na Tv ou online, os fãs de Glee movimentaram o Twitter com a hashtag #GleeFinale, que chegou a assumir o topo da lista mundial, além de subir outras hashtags como: "Finn Hudson", "Blaine Warbler", "Mrs. Porcelain", "Blaine and Kurt" e "Rachel and Jesse".

Após tanto aborrecimento com a rival Sue, o professor 
Will Schuester teve o reconhecimento merecido e assumiu o cargo de diretor da William McKinley High School, deixando para Sam o posto de professor do clube do coral, o Glee. Qual foi a proeza da treinadora Sue Sylvester? Bem, além de conseguir fazer rir com as caretas -enquanto canta- e atua de forma marcante, ela, simplesmente, torna-se vice-presidente dos Estados Unidos, tendo Becky Jackson (Lauren Potter) ao lado.

No entanto, no solo de Rachel, já perto do final, novamente, o jogo de câmeras e edição das cenas, deixa a sensação de que Finn aparecerá a qualquer momento. Contudo, na passagem de 5 anos, em 2020, que se descobre: Fin estava certo, pois Rachel era realmente a garota de Jesse (Jonathan Groff) e tem uma carreira de sucesso com direito a Tony Awards! O que restou para Finn Hudson? O auditório do McKinley batizado com seu nome.

Legal, mas a verdade é que os últimos a ingressarem no elenco, os atores Marshall Williams (Spencer), Laura Dreyfuss (Madison), Billy Lewis Jr. (Mason), Samantha Ware (Jane) e Noah Guthrie (Roderick) deram um tremendo azar. Embora tenham talento vocal, não ganharam destaque, pois foi preciso resolver a história -cheia de momentos conturbados- da personagem Rachel Berry, a protagonista. Glee terminou bem? Sim! No entanto, poderia ter sido mais redondidinho... afinal, como ficaram, de fato, os casais Brittany e Santana e Queen e Punk? Agora, fico com dúvida... de repente o meu streaming, que estava cheio de falhas, não exibiu estas cenas conclusivas. Enfim, como consta na placa do auditório com o nome de Finn Hudson: "Veja o mundo não como é, mas como deveria ser".





Seriado: Glee
Temporada: 6
Episódios: 12 - "2009" / 13 - "Dreams come true" 
Exibido em: 20 de março de 2015, EUA.
Elenco: Lea Michele, Cory Monteith, Amber Riley, Chris Colfer, Kevin McHale, Jenna Ushkowitz, Darren Chris, Jonathan Groff


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm 


terça-feira, 30 de janeiro de 2018

.: Ator de Glee, Mark Salling morre aos 35 anos

Ator aguardava a sentença após se declarar culpado por posse de pornografia infantil


O ator Mark Salling, mais conhecido pela atuação em Glee, como Noah Puckerman, o Puck, faleceu, hoje dia 30 de janeiro de 2018, aos 35 anos de idade. De acordo com as informações do portal TMZ, o corpo dele foi encontrado, no Rio Los Angeles, perto da região em que morava. 

A causa da morte ainda não foi confirmada, embora a polícia local trabalhe com a possibilidade de suicídio. Em outubro de 2017, Mark Salling declarou-se culpado por posse de pornografia infantil, diante das provas encontradas na própria residência: mais de 50 mil imagens e vídeos de abuso infantil no laptop do ator e mais 4 mil imagens em seu pen-drive, em 2015.


Conforme o TMZ, rumores já apontavam para uma tentativa de suicídio, pois na época, Salling teria cortado os pulsos, após a prisão. Entretanto, o advogado do ator não confirmou a informação. Salling esperava a sentença para março deste ano, que poderia ser algo entre 4 e 7 anos de prisão.




Em "Glee"






Veja alguns tweets sobre:


#MarkSalling







#Puck


domingo, 19 de maio de 2019

.: 10 anos da estreia de Glee e muitos sucessos para recordar



Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em maio de 2019



Glee foi uma série de sucesso que deu novas roupagens a diversos sucessos do rock, pop e até de números da Broadway, assim como gravou músicas originais. Hoje, 19 de maio, a série de televisão criada e produzida por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan completa 10 anos de estreia e, para tanto, nós do Resenhando.com elencamos alguns sucessos, sem mencionar "Don´t Stop Believin´", uma vez que esse é o hino do seriado.



Somebody to love: O clássico do Queen foi regravado pelo New Directions e, até hoje, arranca lágrimas discretas e arrepia. Canção exibida no quinto episódio da primeira temporada, "The Rhodes Not Taken".



Jessie´s girl: A música de Rick Springfield é interpretada por Finn (Corey Monteith) quando ele demonstra total interesse em Rachel (Lea Michele), que no momento namora Jesse St. James (Jonathan Groff). Exibido no 18º episódio da primeira temporada, "Laryngitis".

Defying Gravity e For Good: Ambas canções do musical "Wicked" são o tempero perfeito na série "Glee". Os duetos de Rachel (Lea Michele) e Kurt (Chris Kolfer) são arrepiantes. Enquanto "Defying Gravity" foi exibido na primeira temporada, do nono episódio, "For Good" foi exibido no 22º episódio da segunda temporada, "New York".


Run Joey Run: A música que pertence ao episódio "Bad Reputation" é uma brincadeira incrivelmente engraçada, seja pelo fato de Rachel (Lea Michele) tentar ser a menina disputada pelos caras ou pela simples produção do videoclipe que inclui gravação diante dos armários da escola enquanto os outros alunos passam diante da câmera sem se importar. Exibido no 17º episódio da primeira temporada.

Keep Holding On: Como segurar as lágrimas quando a líder de torcida Quinn Fabray (Dianna Agron) se sente sozinha, por estar grávida na adolescência, e todos amigos a apoiam? Música pertencente ao sétimo episódio da primeira temporada, intitulado "Throwdown".




Forget You: A série contou com diversas participações ilustres, mas a mais divertida, sem dúvida foi da atriz Gwyneth Paltrow como a professora substituta Holly Holliday. E já de cara ela interpretou o sucesso de Cee-Lo Green e agradou o público. A música foi exibida no sétimo episódio da segunda temporada, intitulado "The Substitute".



Toxic: A música que foi capaz de reunir mais vez uma trindade Queen, Santana e Brittany numa nova interpretação pra lá de sensual da música de Britney Spears, está no 12º episódio, da quinta temporada, intitulado "100". No entanto, a canção já havia ganhado nova roupagem dos cantores de Glee, no episódio "Britney/ Brittany", o segundo da segunda temporada.



Bye Bye Bye e I want it that way: Que fã das boy bands Backstreet Boys e N´Sync não ficou feliz e se sentiu homenageada com esse mashup? Com direito a fãs enlouquecidas gritando pelos garotos, o duelo das bandas foi incrível. Do episódio "Feud", o 16º da quarta temporada.




Valerie: A música que fez sucesso na voz de Amy Winehouse agitou a série por duas vezes, além de entrar no repertório de "Glee 3D: O Filme". Apareceu pela primeira vez no episódio 9, da segunda temporada "Special Education" e ganhou outra roupagem no episódio 12º episódio, da quinta temporada, intitulado "100".

You´re the one that I want: Aos fãs do musical protagonizado por John Travolta e Olivia Newton-John, "Grease", a série fez uma linda homenagem. Na época, houve a troca dos protagonistas, portanto, no videoclipe em Glee da canção que fecha o musical dirigido por Randal Kleiser foi protagonizado, inicialmente, por Marley Rose (Melissa Benoist) e Ryder Lynn (Blake Jenner) e, posteriormente por Rachel (Lea Michele) e Finn (Corey Monteith).




The Scientist: A música do Coldplay emociona por todo o sentimento de solidão vivido por Finn (Corey Monteith), mas também ganhou um toque de tristeza quando o ator morreu. A música exibida no episódio "The Break-Up", quarto episódio da quarta temporada.



I Lived: A música que encerrou a série de sucesso que resgatou e apresentou diversas canções para o público, do One Republic, é de embargar a voz de qualquer um que acompanhou "Glee" ao longo de seis anos. 




*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm




quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

.: Crônica: A minha história com o seriado "Glee"

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*
Em janeiro de 2015


Lembro como se fosse hoje. O Helder me entregou o mp3 vermelhinho, que ganhou da irmã, e disse: 

- Trouxe um seriado que estreou esta semana nos Estados Unidos. Acho que você vai gostar!

Eu até vi alguns trechos no próprio computador, mas ao transferir arquivos, sem atenção, acabei perdendo o episódio piloto de "Glee".  Não me recordo, mas até hoje ele reclama do meu protesto. Afinal, ele estava trazendo mais um seriado que com o tempo... deixaríamos de acompanhar e só ocuparia espaço na HD.


Pedi que baixasse novamente, mas acabamos não assistindo juntinhos. Embora mergulhasse naquele universo estudantil sozinha, foi ainda mais especial quando ele passou a me acompanhar e revi os episódios novamente. Acredito que foi assim que começou a minha "doencinha" de ver e rever episódios de seriados, seja de "Supernatural" ou "American Horror Story".

O tempo passou e a estreia aconteceu no canal FOX. Eu assisti, sem desgrudar do sofá, nem mesmo no intervalo. Ali, fui finalmente fisgada. Para piorar o vício, eu que havia retornado à faculdade para cursar Letras, lá, encontrei alguém que partilhava do mesmo amor pelo seriado: Jéssyka Alves. 

Assim foram três temporadas de altos bate-papos, inclusive durante as aulas. Embora "Glee" tenha feito tanto sucesso para chegar aos cinemas com "Glee: The 3D Concert Movie", em 2011, na quarta temporada as coisas mudaram, até demais. Finalmente, a protagonista Rachel Berry (Lea Michele) foi para a tão almejada Nova Iorque e, assim, as aventuras da mocinha com Finn (Cory Monteith) degringolou de vez. Virou uma completa confusão com direito a um triângulo amoroso, traição, idas e vindas infinitas. Realmente, cansou torcer por Finchel.


Tenho certeza de que o meu afastamento de Glee foi por conta da morte do ator Cory Monteith. Qual fã de "Glee" não chorou -ou deixou escapar algumas lágrimas- durante o episódio "Quarterback"? Para piorar a situação, a engraçada Britany (Heather Morris), a loirinha líder de torcida que adorava falar baboseiras em momentos inesperados precisou de um tempo longe do seriado, por conta da maternidade. Dentro do colégio William McKinley, os novos alunos do professor Schuester cantavam muito bem, mas não convenciam e o excesso de Nova Iorque, sem o meio escolar foi a gota d´água.

Abandonei a 5ª temporada. Contudo, ainda no final de 2014, decidi colocar tudo em dia e antes que o fizesse, a Band anunciou a exibição do seriado de segunda a sexta-feira, às 21h20. O que aconteceu? Novamente, deixei me emocionar com as apresentações, mergulhei novamente na história deles. Voltei a amar... tudinho!!


* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm 



terça-feira, 31 de março de 2015

.: Novo seriado: "Scream Queens" já está ganhando forma

Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em março de 2015


"Glee" terminou há quase duas semanas, mas Ryan Murphy e os co-produtores Brad Falchuk e Ian Brennan já têm a produção de "Scream Queens" para lhe causarem preocupação. Sem a exigência de um piloto para avaliação, a primeira temporada foi encomendada com 15 episódios para a primeira temporada. Com um toque de "American Horror Story", o seriado terá um tempero de terror cômico e chegará a FOX em outubro de 2015 .

“Scream Queens”, em formato de antologia, terá uma história diferente a cada episódio. Considerando os vídeos já divulgados, a novidade será uma mescla de “Glee” e “American Horror Story”. Longe dos conflitos adolescentes musicados com uma lição de vida -que foi "Glee"-, o seriado apresentará uma série de assassinatos em um campus universitário. Além de Lea e Jamie, estão Emma Roberts , Keke Palmer, Abigail Breslin, Nasim Pedrad, Oliver Hudson, Glen Powell, Diego Boneta e Lucien Laviscount, além de contar com os cantores Nick Jonas e Ariana Grande.

Na semana passada, Ryan Murphy reuniu duas das suas estrelas, Jamie Lee Curtis e Lea Michele, pela primeira vez, para discutir questões sobre a série. No Twitter, Ryan escreveu "Screen Queens" para a foto da atriz de Halloween e da estrela do recém-concluído "Glee".


Produtor Ryan Murphy
Esta é a segunda série de Murphy na qual Emma Roberts e Lea Michele trabalham. Enquanto a loira Emma brilhou em "American Horror Story", como a bruxa Madison e como a cartomante trambiqueira Maggie, a morena, Lea foi a dona da história do musical "Glee".

Já Jamie Lee Curtis, há um bom tempo tenta se estabelecer na televisão. Após fazer participações especiais em "NCIS" e "New Girl" e estrelar pilotos de projetos rejeitados, estreia nas produções de Murphy para a TV. Considerando que ele é um produtor conhecido por reutilizar atores com quem trabalha, ela pode ter uma chance de continuar sendo chamada por ele em novos projetos.

Para a alegria de muitos que já aguardam a chegada do seriado, recentemente, a atriz Emma Roberts divulgou o teaser da série. Contudo, na internet outros vídeos também foram publicados. Confira e prepare-se para o que vem por aí!



1º teaser da série

Teaser com Emma Roberts

Teaser de Zayday Bubblegum

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm 



sexta-feira, 20 de março de 2015

.: É hoje o dia de dar adeus ao seriado... Glee!

Por: Mary Ellen Farias dos Santos*
Em março de 2015 


"Glee", o seriado musical que deu destaque aos "perdedores" estreou em 19 de maio de 2009, virou um tremendo sucesso, desandou -um pouco- e termina hoje, dia 20 de março de 2015. No episódio duplo de despedida, consta na lista as seguintes canções: "Teach Your Children", interpretada pelo Glee Cast; "Someday We’ll Be Together", na voz de Mercedes; "Daydream Believer", interpretada por Kurt & Blaine; "The Winner Takes It All", interpretada pelo Glee Cast, além do último solo de Rachel ser "This Time" e o do professor Will ser "I Lived". No entanto, ainda há esperança de ouvir uma última versão de "Don´t Stop Believin´", com uma nova performance de arrepiar.

A verdade é que lá se foram quase 6 anos acompanhando as loucuras da sonhadora e chatinha Rachel Berry (Lea Michele) em busca do estrelato na Broadway, esbarrando na despedida super dolorosa do quarterback Finn Hudson (Cory Monteith) e a "sofrência" -pessoal e profissional- do professor Will Schuester (Matthew Morrison). Além disso, foi possível ter um pouco do olhar do portador de Síndrome de Down, por meio de Becky Jackson (Lauren Potter) e entender o relacionamento de casais gays, assim como a atitude de Shannon Beiste (Dot-Marie Jones), a treinadora durona, que realizou o desejo de ser transexual.

A tão temida noite chegou para os fãs de "Glee", embora a despedida tenha a exibição de dois episódios seguidos, com o total de duas horas de pura emoção, nenhum especial será suficiente para os fãs de carteirinha. Embora a dobradinha
de "2009", escrito por Ned Martel e "Dreams Come True", com roteiro de Ryan Murphy & Brad Falchuk & Ian Brennan, prometa muito.

Em meio a muitas lágrimas, o fenômeno realmente diz adeus. Contudo, terá direito a uma incrível viagem ao passado, mostrando como cada personagem se conheceu e juntos superaram todos obstáculos -sem Finn, mas em duas horas. Confira o vídeo promocional:




* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com. É jornalista, professora e roteirista. Twitter: @maryellenfsm 



quarta-feira, 30 de junho de 2021

.: Musical de “Glee” e “Broadway Classics - Sonho de Criança” no teatro


A escola Allegresse Dança & Arte uma das escolas mais conceituadas de Teatro Musical de São Paulo apresenta montagem de “Glee – O Musical” e “Broadway Classics – Sonho de Criança” com apresentações nos dias 2 e 3 de julho no Teatro Bradesco em São Paulo.

“Glee – O Musical” é um espetáculo baseado em Glee, uma série de televisão criada e produzida por Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan para a Fox. O projeto foi totalmente idealizado pela equipe Allegresse Morumbi, visando a necessidade de abordar temas cada vez mais atuais como padrões sociais, bullying, diversidade e inclusão. O foco está na primeira temporada da série, com a formação do coral, onde os temas sociais são abordados de forma gradativa como pano de fundo. E não podemos deixar de mencionar a trilha sonora impecável de Glee, com a presença de grandes clássicos como “Don’t stop believin”, “Somebody to love”, “Faithfully” e muitos outros. Na equipe criativa do espetáculo temos nomes como Andreia Vitfer, Euripedes Fraga e Jhafiny Lima, e dando vida ao Professor Will a montagem terá um dos maiores nomes do Teatro Musical no Brasil atualmente, Beto Sargentelli. Todos os demais integrantes do elenco são alunos da Allegresse Dança & Arte.

“Broadway Classics – Sonho de Criança” conta com grandes nomes em sua direção como Euripedes Fraga, Andreia Vitfer e Jhafiny Lima.  O roteiro autoral de Euripedes Fraga viaja por grandes musicais da Broadway em um cenário onde crianças se encontram em um acampamento de natal e se veem em meio a sonhos, pesadelos, mocinhos e vilões, o bem e o mal, onde claro o bem sempre vence. O espetáculo apresenta clássicos do Teatro Musical como Annie, Mamma Mia, Matilda e muitos outros, além da participação especial de Andréia Vitfer como Mamãe Gothel (Tangled). Uma peça para toda a família, onde cada aluno terá a oportunidade de expressar o seu desenvolvimento nas diferentes modalidades que compõem o Teatro Musical. 

Os musicais estarão em cartaz no Teatro Bradesco, nos dias 2 e 3 de julho, com toda segurança e responsabilidade que o momento requer. Novas datas serão divulgadas em breve e ingressos já estão à venda através do WhatsApp da Allegresse Dança & Arte (11) 97678-2922. Mais informações através do Instagram @allegressemorumbi

Sobre a Allegresse Dança & Arte: A Allegresse nasceu do sonho de tornar a ARTE uma realidade para crianças, jovens e adultos, por isso o nome Allégresse como a mais profunda alegria manifestada externamente. Com a missão de despertar em cada aluno a sua forma mais pura de expressão de uma maneira simples, espontânea e completa. E valores que estão acima de tudo voltados ao respeito à individualidade de cada um, baseados na alegria como forma de expressão. A escola foi inaugurada em fevereiro de 2017, pelas empresárias Juliana Alfano e Janaína Melazo.  A escola oferece cursos de ballet clássico, jazz dance, hip-hop, canto, interpretação, dança acrobática, circo, sapateado americano e teatro. Além dos cursos regulares a escola oferece workshops voltados às técnicas de especialização na área artística e práticas de mercado, com um corpo docente altamente qualificado com formação acadêmica nas suas respectivas áreas e atuantes no mercado artístico profissional. A área pedagógica foi desenvolvida visando não apenas o conteúdo artístico, mas o desenvolvimento físico e psicológico de formação do indivíduo, como trabalho motor, ética, trabalho em equipe e cooperação.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

.: Glee volta à TV aberta pela Rede Bandeirantes

Glee de segunda à sabádo
Por: Mary Ellen Farias dos Santos


Seriado musical de sucesso estreou na Rede Bandeirantes, no dia 1º de janeiro


"Glee" estreou em 19 de maio de 2009, com a transmissão original, nos Estados Unidos. No Brasil, foi exibida pelo canal pago FOX, chegou a ser comprada pela Rede Globo que fez uma redublagem e vários cortes. Agora, em 2015, a Rede Bandeirantes traz o seriado de segunda a sábado, às 21h20.

Com muita irreverência, "Glee" permeia os caminhos sinuosos da juventudeO seriado com episódios de 43 minutos de duração -normalmente, é uma criação de Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan. Tendo a música como atração principal, Glee expõe os sucessos e insucessos de um grupo de alunos do escola William McKinley. Diante de questões polêmicas como sexualidade, bullying, suicídio e gravidez, além das dificuldades nos relacionamentos: amoroso e familiar.

Inicialmente, o professor Will Schuester (Matthew Morrison), ex integrante do clube do coral da escola, decide assumir o clube de artes, depois que o antigo responsável é demitido. Liderado por Rachel Berry (Lea Michelle), ao grupo juntam-se os renegados: Mercedes Jones (Amber Riley), Kurt Hummel (Chris Colfer), Tina Cohen-Chang (Jenna Ushkowitz) e Artie Abrams (Kevin McHale). Com apenas cinco alunos, o grupo revela ser uma completa catástrofe. 

Contudo, o professor Schuester descobre o talento de um rapaz popular na escola: Finn Hudson (Cory Monteith), o quarterback do time de futebol. Apesar de toda a dificuldade para compor e seguir com o clube do coral, o professor terá que lidar com as maldades das treinadora Sue Sylvester (Jane Lynch).  

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

.: Resenha crítica de "Festival Rocky de Terror", The Rocky Horror Picture Show

Pesadelos da meia-noite
Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em dezembro de 2010



Uma inovação entre os musicais. Festival Rocky de Terror é o crème de la crème da mescla de gêneros. Saiba mais!


Um filme com acontecimentos e personagens totalmente às avessas. Contudo, "Festival Rocky de Terror", produção de 1975 que narra uma história totalmente surpreendente e bastante apimentada, não foi um sucesso de bilheteria. Para comemorar os 35 anos que completa em 2010, o seriado musical Glee fez uma homenagem nesta segunda temporada, com o quinto episódio intitulado: "The Rocky Horror Glee Show". 

É certo que o seriado, ao elaborar este episódio especial de Halloween em homenagem ao filme somente provocou os jovens e/ou os curiosos de plantão. Afinal, que filme é esse? O longa dirigido por Jim Sharman é um misto de gêneros, pois nele há terror, romance, ficção científica com um toque de filmes de série B ao som de muito rock´n´roll. Após responder a primeira pergunta surge uma nova dúvida: "Como um seriado musical pode homenagear um filme de terror com um tom de pesadelo erótico?". A resposta é simples, o seriado do momento, Glee, cortou as cenas em que há insinuações provocantes e deu uma nova roupagem para a trilha sonora do filme que grudam na mente como chiclete.

"Festival Rocky de Terror" é uma película tão "abusada", que já na apresentação conhecidíssima do estúdio Fox há uma modificação sonora, ou seja, as batidas (Tam-tam-ram/Tam-tam-ram...) têm um ritmo diferente que coordenam com as músicas do filme. E a história de humanos e alienígenas? Bem, tudo começa com uma boca vermelhona apresentando um pouquinho do que o espectador terá diante de seus olhos (o seriado Glee reproduziu de modo idêntico). 

Após tal apresentação sem qualquer sentido ou noção, na área externa de uma igreja, os recém-casados Betty e Ralph atravessam a porta da casa de Deus -em meio à comemoração, pode-se notar que todos os atores do longa estão ali presentes, porém como integrantes da família dos noivos- para receber os cumprimentos. Eis que surgem os protagonistas: Brad (Barry Bostwick) e Janet (Susan Sarandon). Empolgada, Janet consegue pegar o buquê da noiva. 


Os noivos partem. Brad e Janet caminham pelo pequeno cemitério, ao lado da igreja, quando ele toma coragem e -em um dueto "rock romântico"- pede a mão da moçoila em casamento. Este é o ponta-pé inicial das loucuras que os jovenzinhos vão viver nos próximos minutos do longa. Após partirem de Denton, numa noitinha de novembro, para visitarem o Dr. Everett Scott, ex-tutor e amigo dos dois, devido a um tempestade, eles acabam se perdendo pelo caminho e pedem socorro para os moradores de um casarão nada convencional.

Vale a pena assistir "Festival Rocky de Terror"? Com toda certeza. Afinal, a Terra parou enquanto tudo isso aconteceu com Brad e Janet. O sucesso dos teatros em película somente desperta o desejo de participar da exibição especialmente espetacular. O que esta sessão tem de especial? Simples. Nela o público se fantasia, grita e arremessa refrigerante, pipoca... uns nos outros, ou seja, reproduzem algumas palavras da canção "Science Fiction Double Feat": "tarde da noite/ dupla apresentação do filme/ eu quero ir". Como no Brasil não são divulgadas exibições deste clássico da meia-noite, o jeito é ver e rever em casa!

Filme: Festival Rocky de Terror (The Rocky Horror Picture Show, E.U.A.)
Ano: 1975
Gênero: Musical/Comédia/Terror
Duração: 96 minutos
Direção: Jim Sharman
Roteiro: Richard O'Brien, Jim Sharman
Elenco: Tim Curry (Dr. Frank-N-Furter), Susan Sarandon (Janet Weiss), Barry Bostwick (Brad Majors), Richard O'Brien (Riff Raff), Patricia Quinn (Magenta), Nell Campbell (Columbia), Jonathan Adams (Dr. Everett Von Scott), Peter Hinwood (Rocky Horror), Meat Loaf (Eddie), Jeremy Newson (Ralph Hapschatt), Hilary Labow (Betty Munroe Hapschatt)


Trailer


quinta-feira, 11 de outubro de 2018

.: 8x5: AHS Apocalypse ressuscita bruxas com "Boy Wonder"


Por: Mary Ellen Farias dos Santos
Em outubro de 2018


CONTÉM SPOILERS!



O "Lá, Lá, Lá, Lá, Lá" da musiquinha marcante das bruxas e o desespero de Cordelia (Sarah Paulson) diante de um ataque no estilo "The Walking Dead". Assim é o início do quinto episódio de "American Horror Story: Apocalypse", intitulado "Boy Wonder". Para a Suprema, tudo foi uma visão relacionada a escolha de "seven wonders". Embora Myrtle (Frances Conroy) tenha um chilique, a responsável pelo clã, não lhe dá ouvidos e decide que Michael (Cody Fern) possa testar seus poderes entre os bruxos e bruxas. 

Seguindo o coração, Cordélia convence uma Myrtle estérica, enquanto que os letreiros de abertura anunciam a participação especial de Lily Rabe, a atriz que interpreta a amada -e amável- bruxa Misty. A discussão das grandes bruxas fica em torno das "sete maravilhas" e nesse meio tempo, surge Coco (Leslie Grossman) com o pai, na escola de bruxas. Qual é o poder dela? Detectar, sem confiar em rótulos, se um alimento tem glúten ou não. Com direito a olhos virados e um gemido suspeito, ela impõe a mão e dá o diagnóstico. Pois é... esse Ryan é um brincalhão mesmo!

Após Cordelia convencer a ricaça de que ela identifica o que é perigoso e não apenas glúten, um encontro explicativo: Mallory (Billie Lourd) é quem vem buscar Coco para ingressar no grupo. É no término do teste de Michael que uma revelação a John Henry Moore (Cheyenne Jackson) dá pistas de que coisas ainda mais assombrosas acontecerão. Moore, por sua vez, comenta haver algo errado com Michael -o demônio da face branca- e opta dar no pé. Em tempo, que cena maravilhosa a de Moore e Behold Chablis (Billy Porter)!

Entretanto, outra dobradinha em cena, a de Kathy Bates e Jackson, ou seja, Miriam Mead e Moore também é de arrepiar. Ela é tão diabólica quanto The Butcher, de AHS Roanoke. E é no reencontro de "mãe e filho" que os verdadeiros desejos são revelados: dar fim no clã das bruxas. Assim como afirma Mead, Michael é quem merece todos os covens do mundo. Por outro lado, a surpresa vem com o nome de "A Pequena Sereia" e uma família com pai, mãe e filho surge.

Com o toque de cinema mudo o filho do mal faz seus testes diante de bruxos e bruxas, mas Cordélia, sagaz, muda o teste final. Assim, Misty, fã de Fleetwood Mac, surge na pele de uma aluna na aula de anatomia, diante da obrigação de matar um sapo. Misty pergunta a Michael: Você está aqui para me salvar? E o melhor acontece. Sem dúvida alguma!

Como a alegria de pobre tem curta duração, Cordélia está fraca diante do surgimento de uma nova entidade Suprema. Contudo, Misty sente a maldade que há em Michael, enquanto que Cordélia revela que permitiu a participação dele no teste para ter conhecimento da força do anticristo. Sim, ela sabe bem o quão perigoso ele é!


Eis que um momento "Glee" surge com um pocket show com a voz de Stevie Nicks na pele de White Witch, além de piano. Apresentação dedicada a Misty com a canção "Gypsy" que destaca bem a separação entre as bruxas e os bruxos. Enquanto que elas estão envolvidas com a apresentação, logo acima, o vilã mor da série, as observa com olhar de desdém -impossível não lembrar de "Glee", quando Queen observa o grupo Glee fazendo o ensaio de "Don´t Stop Believin". ´

Cabe à Madison descobrir mais sobre Michael, principalmente o que há de mal nele. Em contrapartida, o que de fato arrepia é o desfecho do episódio: The Murder House. Precisando do próximo episódio em 3, 2, 1... 


Seriado: American Horror Story: Apocalypse
Episódio: Boy Wonder
Exibido em 10 de outubro de 2018
Elenco: Sarah Paulson como Wilhemina Venable, Cordelia Goode e Billie Dean Howard, Evan Peters como Sr. Gallant e Tate Langdon, Adina Porter como Dinah Stevens, Billie Lourd como Mallory, Leslie Grossman como Coco St. Pierre Vanderbilt, Cody Fern como Michael Langdon, Emma Roberts como Madison Montgomery, Cheyenne Jackson, Kathy Bates como Miriam Mead, Joan Collins como Evie Gallant, Billy Eichner como Brock, Jeffrey Bowyer-Chapman como Andre Stevens, Kyle Allen como Timothy Campbell, Lesley Fera como Agente da Cooperativa, Erika Ervin, Ashley Santos como Emily, Billy Porter, Jessica Lange como Constance Langdon, Taissa Farmiga como Zoe Benson e Violet Harmon, Gabourey Sidibe como Queenie, Lily Rabe como Misty Day, Frances Conroy como Myrtle Snow, Stevie Nicks como ela mesma, Connie Britton como Vivien Harmon, Dylan McDermott como Dr. Ben Harmon.



*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos. Twitter: @maryellenfsm

sexta-feira, 14 de janeiro de 2022

.: “Geração Glee - O Musical” estreia no Rio de Janeiro no Teatro Clara Nunes


O musical do britânico Martin Callaghan, ator e diretor em West End London, sucesso na Europa, chega ao Brasil com realização da Escola de Artes Faz Assim.

Dias 20, 23 e 30 de janeiro, o Teatro Clara Nunes no Rio de Janeiro apresenta “Geração Glee - O Musical”. O espetáculo retrata a história de alunos do último ano do High School que estão prestes a passar pela fase mais difícil de suas vidas, enquanto trabalham para ter a chance de ganhar o concurso de música mais prestigiado do mundo em Nova Iorque e compartilhar suas esperanças e sonhos com o novo professor do Clube de Coral.

Com músicas de Lady Gaga, One Direction, Jessie J., Katy Perry, Bruno Mars, Miley Cyrus, Demi Lovato, Madonna, entre outras, “Geração Glee - O Musical” retrata um ano cheio de felicidades, decepções, amores e perdas na vida dos jovens alunos. 

O musical do britânico Martin Callaghan, ator e diretor em West End London, sucesso na Europa, chega ao Brasil com realização da Escola de Artes Faz Assim. Assim como na Europa, o espetáculo promete ser mais um sucesso de bilheteria. A apresentação do dia 30 de janeiro contará com a participação especial do ator, dublador e cantor Raphael Rossato.


Serviço:
Datas:
20, 23 e 30 de janeiro
Horário: às 20h
Local: Teatro Clara Nunes no Shopping da Gávea
Endereço: Rua Marquês de São Vicente, 52 - Gávea, Rio de Janeiro
Classificação: livre
Duração: 80 minutos
Texto e direção: Martin Callaghan
Adaptação: Fred Trotta
Direção residente: Fred Trotta
Direção musical residente: Kika Tristão
Direção de movimento: Andressa Tristão
Preparação de elenco: Karlla Guimarães
Realização: Escola de Artes Faz Assim


Valores ingressos:
R$ 80 (inteira) e R$ 40 (meia-entrada) pelo site: https://bileto.sympla.com.br/event/70717


quarta-feira, 15 de julho de 2020

.: #ResenhandoQuiz: sabe tudo sobre "Naya Rivera"? Descubra!

Como registrar uma despedida? Missão difícil, uma vez que esse alguém era admirado pela equipe Resenhando.com, sempre atenta do outro lado da telinha -da TV e do computador. Quantos streamings foram assistidos para acompanhar a exibição de "Glee" simultaneamente com lançamento dos episódios na gringa? Época boa que não volta mais!

Para tanto, nós apresentamos o #ResenhandoQuiz da semana sobre a atriz Naya Rivera que se afogou dia 8 de julho de 2020, no Lake Piru, na California, após salvar o filho. O corpo de Naya foi encontrado somente no dia 13 de julho, data em que completava 7 anos da morte de seu companheiro de elenco da série "Glee", Cory Monteith.

Descubra se sabe tudo desse talento que abrilhantou a série "Glee" em 10 questões!



quarta-feira, 26 de agosto de 2020

.: #ResenhandoQuiz: sabe tudo sobre "Glee"? Descubra!

Por: Mary Ellen Farias dos Santos

"Glee" estreou em maio de 2009 e terminou em março de 2015, com o total de 6 temporadas. Na série, tudo gira em torno de um grupo de estudantes da fictícia William McKinley High School, em Lima, Ohio. Will Schuester, professor de Língua Espanhola, assume a direção do clube do coral e tenta restaurar a antiga glória dos velhos tempos, além de rebater a treinadora Sue Sylvester que tenta  acabar com as artes na escola. Você é fã de "Glee"? Descubra no #ResenhandoQuiz abaixo!

 
 

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

.: Adam Lambert grava para o MTV MÓV3L

O  cantor Adam Lambert esteve, na terça-feira, 15 de setembro, no Centro Cultural São Paulo (CCSP), gravando uma participação (mais do que) especial para o programa MTV MÓV3L, que vai ao ar, no dia 7 de outubro. 

Entrevistado por Michi Provensi, uma das apresentadoras do programa semanal da emissora, Lambert falou sobre carreira solo, sua posição à frente do Queen e conheceu um pouco do acervo da discoteca do CCSP. Ele adorou um trecho da canção que ouviu do extinto grupo dos anos 70, ‘Secos e Molhados’.

O cantor de 31 anos participou da oitava edição do programa American Idol. Acostumado com os palcos desde os 10 anos, teve aulas de teatro e coral nas escolas por onde passou, Canyon Elementary School, Mesa Verd Middle School e Mt. Carmel High School. No teatro, fez Linus no Lyceum Theater em San Diego, numa produção de Charlie Brown da peça “You’re a Good Man” e “The Ten Commandments” no Teatro Kodak ao lado de Val Kilmer. 

No musical "Wicked" foi substituto do papel de Fiyero na turnê da produção de Los Angeles. Desde 2004, apresenta-se com frequência no “Zodiac Show,” criado por Carmit Bachar da extinta banda Pussycat Dolls. Fez o teste para a oitava edição do programa American Idol em São Francisco, CA, cantando a música ‘Bohemian Rhapsody’ do Queen. Embora tenha sido criticado por ser muito teatral, foi selecionado e ganhou aprovação de todos os jurados.

Adam não venceu a edição do programa “American Idol”, mas foi o vice-campeão da competição, cantando ao lado de bandas como Queen e Kiss no último episódio do programa. Participou em agosto da turnê do AI pelos Estados Unidos, e lançou seu primeiro álbum oficial, “For Your Entertainment” em novembro de 2009 pela gravadora RCA, que será trazido pela Sony Music para o Brasil.

Na TV participou dos seriados Trespassing, Glee e Pretty Little Liars.


Audição para o programa "American Idol"

No seriado "Glee"

No seriado "Glee"


terça-feira, 12 de dezembro de 2023

.: Crítica: "Jornada Para Belém" é High School Musical do nascimento de Jesus

Em dezembro de 2023


"Jornada Para Belém", em cartaz no Cineflix Cinemas, é um longa musical, do estreante na direção, Adam Anders, que já trabalhou na produção dos seriados "Glee" e "American Horror Story", assim como nos filmes "Descendentes" e "Rock of Ages: O Filme". Com pegada bastante juvenil, estilo High School Musical, o filme protagonizado por Fiona Palomo ("Control Z"), Milo Manheim ("Z-O-M-B-I-E-S") e Antonio Banderas ("Gato de Botas", "Entrevista Com Vampiro"), entrega coreografias para os atores em cena, ou seja, cantam e dançam em nome do filho de Deus. 

O filme que soma 1h38, apresenta a história de Maria e José até o nascimento do Salvador, o menino Jesus, além da batalha de enfrentamento do casal diante da perseguição de Herodes. Não espere muito de "Jornada Para Belém", mas por mais que não convença por completo a quem está diante da telona, a releitura musicada tem lá seus encantos, seja pelo colorido nas vestimentas dos personagens ou, até mesmo, pela cantoria e dança.

Na pele do grande vilão da trama, Banderas, às vezes, transparece o lado canastrão, o que causa estranhamento. Contudo, a versão brasileira é o ponto alto do filme, principalmente, ao considerarmos as versões das músicas, tendo como a voz da protagonista, Maria, a atriz e cantora de musicais, Maria Clara Rosis ("Annie, o Musical"), assim como Lucas Godoy emprestando a voz para José, além de Saulo Vasconcellos ("O Fantasma da Ópera, musical") soltando a voz como Herodes.

Com um toque de humor, a aventura musical de Natal é uma opção de entretenimento para toda a família, junta, renovar a fé. O live-action "Jornada Para Belém" tem também roteiro de Adam Anders e Peter Barsocchini. 


Em parceria com o Cineflix Cinemas, o Resenhando.com assiste aos filmes em Santos, no primeiro andar do Miramar Shopping. O Cineclube do Cineflix traz uma série de vantagens, entre elas ir ao cinema com acompanhante quantas vezes quiser - um sonho para qualquer cinéfilo. Além disso, o Cinema traz uma série de projetos, que você pode conferir neste link. Compre seus ingressos no Cineflix Cinemas Santos aqui: vendaonline.cineflix.com.br/cinema/SAN

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do photonovelas.blogspot.com. Twitter:@maryellenfsm 


"Jornada Para Belém" ("Journey to Bethlehem"Ingressos on-line neste link
Gênero: aventura, drama épico, musical
Classificação: 10 anos. Duração: 1h38. Ano: 2023. Idioma: inglês. 
Distribuidora: Sony Pictures. Direção: Adam Anders. Roteiro: Adam Anders e Peter Barsocchini. Elenco: Antonio Banderas, Fiona Palomo, Milo Manheim, Omid Djalili, Rizwan Manji, Geno, Segers, MŌRIAH, Joel Smallbone, Lecrae e Stéphanie Gi.. Sinopse: Uma jovem carregando uma responsabilidade inimaginável. Um jovem dividido entre o amor e a honra. Um rei ciumento que não se deterá diante de nada para manter sua coroa. Esta aventura musical de Natal em live-action para toda a família mescla melodias clássicas de Natal com humor, fé e novas canções pop em uma releitura da maior história já contada, a história de Maria e José e o nascimento de Jesus. Uma nova entrada única na coleção de filmes clássicos de férias, este musical épico de Natal é diferente de todos os anteriores.

Leia+

.: Lucas Godoy dá voz a José, pai de Jesus, no musical "Jornada para Belém"

.: Glee: "Veja o mundo não como é, mas como deveria ser"

.: 10 anos da estreia de Glee e muitos sucessos para recordar

.: "American Horror Story": há 10 anos estreava a série antológica de terror

.: American Horror Story: Freak show não para de surpreender

.: "American Horror Story: Freak Show" e "Edward Mondrake"

.: 10x10: "AHS: Double Feature" termina em "The Future Perfect"

.: Resenha crítica de "Gato de Botas", o anti-herói fofinho

.: Crítica: "Gato de botas 2: O último pedido" exalta o aprender a valorizar

.: Crítica: "Annie - O Musical" é ato de resistência para tempos sombrios

.: Crônica sobre o musical "Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate"

.: Crítica: "O Cisne", curta de Wes Anderson retrata traumas aos 13

Próximas postagens → Página inicial
Tecnologia do Blogger.