Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Ratched. Classificar por data Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por relevância para a consulta Ratched. Classificar por data Mostrar todas as postagens

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

.: 1x3: "Ratched" diante do "Anjo da Compaixão" é morno


Por Mary Ellen Farias dos Santos


CONTÉM SPOILERS!


O terceiro episódio da série "Ratched", estrelada por Sarah Paulson, intitulado "Angel of Mercy" (Anjo da Compaixão) desenvolve ainda mais a trama da enfermeira Mildred Ratched (Sarah Paulson), em que apresenta um novo personagem perturbado ao lado de uma mãe podre de rica e cheia de vontades, com um macaquinho no ombro. Em contrapartida, é bastante morno.

Desta vez, uma casa suntuosa e com cara de museu recebe o vizinho de hotel da enfermeira Mildred Ratched, Charles Wainwright (Corey Stoll). O que ele faz na mansão? Está a serviço, ou seja, com as provas de ter encontrado Dr. Manuel Bañaga (Jon Jon Brione). Lenore Osgood (Sharon Stone) o quer morto. Por que será? Pois é. A revelação impactante, como em toda boa trama, tem uma narração assombrosa e é o próprio médico quem detalha como tudo aconteceu para que Henry (Brandon Flynn), o filho da ricaça ficasse no estado atual.

Wainwright recebe um agrado de 10 mil dólares de Osgood por ter encontrado o paradeiro do médico e ainda tem nova oferta de 250 mil dólares para matar o Dr. Bañaga. Na verdade, Lenore pede a cabeça do médico em celebração aos 21 anos do filho. Para tanto, o episódio tem umas ceninhas de perseguição. 

Enquanto isso, no Lucia State Hospital, a enfermeira-chefe Betsy Bucket (Judy Davis) aterroriza a senhora Cartwright (Annie Starke), com banho de imersão em água pelando seguido de água com pedaços de gelo. Diante da cena pavorosa, Mildred discute com Bucket, enquanto que o enfermeiro sobrevivente de guerra, Huck Finnigan (Charlie Carver), após a sessão, desabafa e expõe os próprios planos.

Entretanto, o maninho da protagonista Edmund Tolleson (Finn Wittrock) recebe uma ajudinha extra para extravasar, o que enciúma a irmã mais velha. E nessa mesma área libidinosa, Mildred e Charles Wainwright (Corey Stoll) têm um segundo encontro. Dessa vez, as loucuras da enfermeira vão além. Embora Ratched marque a brincadeira para a próxima quarta-feira, Charles é enfático ao não confirmar presença, uma vez que com ela teve o pior sexo da vida.

Outra revelação boa que estrutura mais a trama é o fato de trazer para o núcleo o marido de 
Gwendolyn Briggs (Cynthia Nixon): Trevor Briggs (Michael Benjamin Washington). O casamento dos dois? É de fachada. Ambos são gays, mas para conseguirem crescer, uniram-se e alcançaram excelentes postos de trabalho.

Em tempo, qualquer semelhança de Herny com Dandy, de American Horror Story: Freak show, talvez não seja mera coincidência. São pra lá de parecidos. E para aprimorar tudo, a classuda Sharon Stone esbanja a elegância das divas com mais idade, eleitas por Ryan Murphy, para brilhar em suas séries. 

Mesmo acrescentando mais drama e suspense para "Ratched" o episódio dá uma amornada no ritmo, provavelmente por incluir os novos personagens: Lenore Osgood (Sharon Stone), Henry Osgood (Brandon Flynn) e Trevor Briggs (Michael Benjamin Washington). Contudo, eu já assisti o quarto episódio, que é a segunda parte de "Angel of Mercy" e já aviso que está pra lá de agitado!


Episódio: "Angel of Mercy"
Exibição: 18 de setembro de 2020
Elenco: Sarah Paulson (Mildred Ratched), Finn Wittrock (Edmund Tolleson), Cynthia Nixon (Gwendolyn Briggs), Jon Jon Briones (Dr. Richard Hanover// Dr. Manuel Bañaga), Charlie Carver (Huck Finnigan), Judy Davis (Enfermeira Betsy Bucket), Sharon Stone (Lenore Osgood)

.: 1x4: "Ratched" explode com o "Anjo da Misericórdia - Parte 2"

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e pedagoga pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

.: 1x2: "Ratched" apresenta o uso do picador de gelo e faz cair o queixo

Por Mary Ellen Farias dos Santos


CONTÉM SPOILERS!

O segundo episódio de "Ratched", série estrelada por Sarah Paulson, intitulado "Ice Pick", mantém o colorido lindo. Em tons solares, reencontramos Dr. Richard Hanove (Jon Jon Briones) que está pronto para fazer história com uma demonstração de lobotomia. Assim, quatro clientes buscam o médico responsável pelo Lucia State HospitalA promessa? Acabar com esquecimento, depressão, dislexia e lesbianismo.

O que há de diferente em "Ice Pick"? A abertura que surge no estilo "American Horror Story". Contudo, um fio de linha vermelha é como que um guia para duas ruivas em pontas opostas que puxam, puxam e seguem caminhos variados, com direito a troca de roupas e até o adentrar em uma floresta -que representa o desconhecido. Ao fim, é Mildred Ratched (Sarah Paulson) quem empunha uma grande tesoura e corta o elo.

Seria a outra ruiva Gwendolyn Briggs (Cynthia Nixon)? Tudo indica que sim. Ainda mais que em "Ice Pick" Gwendolyn mostra bem suas verdadeiras intenções com Mildred. Embora a protagonista esteja despertando corações apaixonados, no trabalho, as coisas não estão boas para ela. Claro que Dr. Hanove está pra lá de agradecido com Ratched, mas ela tem uma pedra no sapato, a rival e também enfermeira Betsy Bucket (Judy Davis), que -com certa inocência- faz de tudo para provocar a  protagonista vilã. A cada rusga aguça a sensação de que Bucket não faz ideia do tipo com quem está se metendo, logo cutuca a onça com vara hiper curta.


Com essa rixa, o pêssego ganha nova forma de brilhar em cena -bem diferente da usada em "Me Chame Pelo Seu Nome". E ainda faz rir. Apesar da gracinha, o segundo episódio tem mais cenas fortes e com uma dose boa de nojeira, com direito a vômito e crânios sendo perfurados. 

A dedicada e completa atenção de Ratched enquanto o médico faz a demonstração de lobotomia impressiona, mas também faz rir -só um pouquinho. Afinal, sabe-se bem que há segundas intenções da enfermeira em aprender tal procedimento. Então, a pergunta que fica é: Quem será a vítima? Calma! A resposta chega lá no fim do episódio.

Edmund Tolleson (Finn Wittrock) e Mildred Ratched ficam próximos, o que acompanha uma importante informação revelada e estrutura ainda mais a trama. É então que devemos dar uma salva de palmas ao talentoso 
Finn Wittrock, que dá um show de intepretação quando está diante do médico do manicômio.  

Para honrar a excelente narrativa, o segundo episódio tem um desfecho de fazer cair o queixo. Preciso assistir "
Angel of Mercy" para saber mais!! O rumo da trama? Está excelente!

Episódio: "Ice Pick"
Exibição: 18 de setembro de 2020
Elenco: 
Sarah Paulson (Mildred Ratched), Finn Wittrock (Edmund Tolleson), Cynthia Nixon (Gwendolyn Briggs), Jon Jon Briones (Dr. Richard Hanover// Dr. Manuel Bañaga), Charlie Carver (Huck Finnigan), Judy Davis (Enfermeira Betsy Bucket), Sharon Stone (Lenore Osgood)

1x3: "Ratched" diante do "Anjo da Compaixão" é morno

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e pedagoga pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

terça-feira, 22 de setembro de 2020

.: 1x1: Piloto de "Ratched" é eletrizante e dono de uma fotografia espetacular

Por Mary Ellen Farias dos Santos


CONTÉM SPOILERS!

"Ratched", série dirigida por Ryan Murphy (Glee, American Horror Story), lançada em 8 episódios, na Netflix em 18 de setembro de 2020, chega impressionando no capítulo inicial intitulado "Pilot", seja pela belíssima fotografia ou o figurino impecável de Sarah Paulson que interpreta a enfermeira protagonista Mildred Ratched.

Escrito por 
Evan Romansky, o primeiro episódio dá a cadência da trama com Edmund Tolleson (Finn Wittrock, o inesquecível Dandy de AHS Freak show), barbarizando com quatro padres. Por quê? Ele diz ser filho de um dos religiosos com uma freira que se tornou prostituta. Após vingar-se, o assassino, que é mentalmente instável, segue para o Lucia State Hospital.

Sem escrúpulos, a vilã e dona da história é uma forasteira, hospedada num hotel perto do hospital psiquiátrico. Com carinha de anjo e atitude de demônio, Ratched, não está empregada, apenas obstinada a conseguir uma vaga justamente no Lucia State Hospital

Assim, ela faz de tudo -literalmente- para conseguir integrar a equipe, inclusive incentivar um suicídio ou até -com poderes psíquicos flagrar a transa de dois funcionários do manicômio. Pois é... série adulta de Ryan Murphy sempre tem uma bunda para ser filmada, né?

Ainda nesse episódio piloto, nota-se bem o cuidado com o uso das cores, sempre dando espaço para o verde, seja no carro de Ratched ou até tomando toda a tela, quando a protagonista adentra algum espaço do hospital ou caminha pelo corredor. Embora, ela seja um demônio envolta em um universo esverdeado, segundo a cromoterapia, o verde é a cor que ajuda a promover o equilíbrio interno e a diminuir o estresse. Oferece ação refrescante e calmante, ajudando a promover o bem-estar físico e mental, pois relaxa e estimula a imunidade.

A produção derivada do filme clássico "Um Estranho no Ninho", tal qual um prelúdio, é ambientada 15 anos antes dos acontecimentos do filme estrelado por Jack Nicholson. No entanto, o foco está na trajetória da enfermeira Mildred Ratched e seu processo de transformação na vilã aterrorizante do manicômio.

Ah! Aos fãs de "American Horror Story" já aviso que há toques de "AHS Asylum" e bastante de "AHS Freak show", mas cada trama tem sua distinção. Agora é torcer para que a qualidade seja mantida no episódio sequência, 
"Ice Pick/ Picador de gelo" e não vá decepcionando a cada episódio como aconteceu com a série "Hollywood"! Mas... temos Sarah Paulson... e isso já coloca a série em outro patamar!

Imagem de divulgação

Episódio: "Pilot"
Exibição: 18 de setembro de 2020
Elenco: 
Sarah Paulson (Mildred Ratched), Finn Wittrock (Edmund Tolleson), Cynthia Nixon (Gwendolyn Briggs), Jon Jon Briones (Dr. Richard Hanover// Dr. Manuel Bañaga), Charlie Carver (Huck Finnigan), Judy Davis (Enfermeira Betsy Bucket), Sharon Stone (Lenore Osgood)

1x2: "Ratched" apresenta o uso do picador de gelo e faz cair o queixo

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e pedagoga pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

Trailer



terça-feira, 29 de setembro de 2020

.: 1x4: "Ratched" explode com o "Anjo da Misericórdia - Parte 2"

Por Mary Ellen Farias dos Santos


CONTÉM SPOILERS!

O quarto episódio de "Ratched", intitulado "Angel of Mercy - Part 2", sequência direta do episódio anterior -inclusive no nome-, começa com a enfermira Mildred Ratched (Sarah Paulson) "visitando" Edmund Tolleson (Finn Wittrock). A recepção dele é boa? Não, uma vez que ele esperava uma outra enfermeira, pois Edmund acredita que seja melhor aprender a amar. Hã?!

Nessa pequena e contida discussão de um pseudo "Casos de Família" gringo, Mildred e Edmund liberam códigos para que, futuramente, completem o jogo da história desses dois irmãos. É bom ficar atento. Longe dali, na casa de Gwendolyn Briggs (Cynthia Nixon) e Trevor Briggs (Michael Benjamin Washington) outro desentendimento, mas, do casal, e é ela quem sai de casa.

De volta ao Lucia State Hospital, Mildred, numa conversa franca com a possível cunhada, enfermeira Dolly, alerta que moça é ninfomaníaca. No entanto, fica a dúvida de que tal diagnóstico tenha sido dado por completo ciúme ou para que ela aderisse ao plano de fuga do assassino de padres. Por quê? O governador, que precisa agradar aos eleitores, quer matá-lo. Política, né?! Sempre envolve sangue, de uma forma ou de outra.

Por isso que o quarto episódio de "Ratched" é pura adrenalina com troca de provocações entre as enfermeiras, um vigarista fritado na banheira e até sanguessugas em dona de hotel -numa cena assustadora. A enfermeira-chefe Bucket (Judy Davis) ainda investe nos ataques a Mildred que responde "se eu fosse você, escolheria muito bem minhas próximas palavras". Verdade! Melhor ela se conter, afinal está lidando com Mildred Ratched, não é?

Entretanto, é Charles Wainwright (Corey Stoll) quem descobre do que Mildred é capaz, mesmo após uma transa com direito a ouvinte, Gwendolyn Briggs. Numa armação da protagonista, Charles vai ao hospital, no meio da noite, com o objetivo de matar Dr. Hanover (Jon Jon Brione). Eis uma sequência arrepiante da sala do responsável pelo manicômio ao corredor do lugar! 

A filmagem belíssima, a edição caprichada e a sonoplastia perfeita para o que acontece no Lucia State Hospital é algo sem defeitos. Cortes ágeis com destaque na tela para os pés de Mildred ou o carro do médico a caminho. No entanto, toda a agitação começa com Charles, na sala do Dr. Hanover, aguardando a chegada do médico. Imagens apresentadas com toque de cinema noir e pitadas de Hitchcock. E como é lindo de ser! O uso da tela dividida ao meio é espetacular.

Cortes de câmeras para o que acontece dentro e fora do hospital, enquanto Mildred está atenta a tudo, afinal, o plano é dela. No entanto, o que faz o queixo cair acontece no corredor, seja pela cena bizarra protagonizada por Charles ou pela ação impensada do guarda do manicômio. Como que alguém que faz a segurança de doentes mentais é tão despreparado, não é?!

Será que são assim os anjos misericordiosos? Para Huck, sim!


Episódio: "Angel of Mercy - Part 2"
Exibição: 18 de setembro de 2020
Elenco: Sarah Paulson (Mildred Ratched), Finn Wittrock (Edmund Tolleson), Cynthia Nixon (Gwendolyn Briggs), Jon Jon Briones (Dr. Richard Hanover// Dr. Manuel Bañaga), Charlie Carver (Huck Finnigan), Judy Davis (Enfermeira Betsy Bucket), Sharon Stone (Lenore Osgood)

.: 1x5: "Ratched", frenético, segue o baile com total adrenalina

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e pedagoga pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

sexta-feira, 2 de outubro de 2020

.: 1x5: "Ratched", frenético, segue o baile com total adrenalina

Por Mary Ellen Farias dos Santos


CONTÉM SPOILERS!

Em "The Dance", o quinto episódio da série "Ratched", disponível na Netflix, começa com o jogo em ação de Mildred Ratched (Sarah Paulson) contra Dr. Richard Hanover (Jon Jon Briones). O que a dona da história quer? Ter o médico responsável sambando bem na palma da mão dela. Assim, toda a compreensão dada a ele, no encontro anterior, quando Dr. Hanover contou o erro cometido com Henry, Mildred aproveita o novo momento para deixar bem claro que, de agora em diante, é ela quem manda.

No posto de enfermeira-chefe, Mildred consegue tirar Edmund Tolleson (Finn Wittrock ) da mira dos tratamentos experimentais de Dr. Hanover. Ao contar para o irmão o que pretende, parte do que está por vir no episódio é exposto. Contudo, quando se tem Edmund no meio da história, as combinações futuras não são cumpridas. Claro!

Eis que o episódio inclui uma nova personagem na trama: Charlotte Weels (Sophie Okonedo). E que show de interpretação ela dá em meio a múltiplas personalidades. Atuação para realmente aplaudir de pé! Tão convincente que chega a assustar por vezes. Ao menos, Dr. Hanover consegue acalmar a mulher, por pouco tempo, mas não se pode tirar o mérito dele.

Sendo a dona do pedaço no hospital, Mildred encontra-se com Lenore Osgood (Sharon Stone) para negociar a cabeça de Dr. Hanover. Qual é o verdadeiro jogo de Mildred? Nunca se sabe. Na verdade, ela joga nos dois lados para conseguir ter o fim que deseja: salvar o irmão. 

No entanto, o melhor do episódio está nos quinze minutos finais, no baile do Lucia State Hospital acontece de tudo, desde dança frenética a um assassinato pavoroso o que mexe com a mente de Charlotte Weels. Durante o evento, a enfermeira-chefe Betsy (Judy Davis) dedica todo o amor para o Dr. Hanover, mas o fora que leva é escandoloso. E não é que Ratched faz a boa amiga?! Pois é!

Por outro lado, o desfecho impactante é garantido pela enfermeira Dolly que está mais do que envolvida com a ideia de os dois serem os novos Bonny e Clyde. Esse é o típico episódio que acaba e deixa gostinho de quero mais e, como está na Netflix, fica inevitável não assistir "Got No Strings", o sexto de "Ratched"!

Episódio: "The Dance"
Exibição: 18 de setembro de 2020
Elenco: Sarah Paulson (Mildred Ratched), Finn Wittrock (Edmund Tolleson), Cynthia Nixon (Gwendolyn Briggs), Jon Jon Briones (Dr. Richard Hanover// Dr. Manuel Bañaga), Charlie Carver (Huck Finnigan), Judy Davis (Enfermeira Betsy Bucket), Sharon Stone (Lenore Osgood)

*Mary Ellen Farias dos Santos é criadora e editora do portal cultural Resenhando.com. É formada em Comunicação Social - Jornalismo, pós-graduada em Literatura e licenciada em Letras pela UniSantos - Universidade Católica de Santos e pedagoga pela Universidade Cruzeiro do Sul. Twitter: @maryellenfsm

terça-feira, 4 de agosto de 2020

.: "Ratched", que estreia dia 18 de setembro, ganha trailer oficial


Da Redação do Resenhando.com.

A nova série da Netflix, dirigida por Ryan Murphy, "Ratched", que estreia dia 18 de setembro, ganhou um trailer oficial hoje, 4 de agosto. A produção que será do gênero terror e estrelada por Sarah Paulson é derivada do filme clássico "Um Estranho no Ninho".

Tal qual um prelúdio, "Ratched" será ambientada 15 anos antes dos acontecimentos do filme estrelado por Jack Nicholson. Contudo, será focada na trajetória da enfermeira Mildred Ratched (Sarah Paulson) e seu processo de transformação na vilã aterrorizante do manicômio.

No elenco estão nomes conhecidos pelo público e que já tiveram contato com o diretor, são eles: Sharon Stone (A Lavanderia), Finn Wittrock (American Horror Story), Cynthia Nixon (Sex and the City) e  Corey Stoll (House of Cards). 

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

#ResenhandoQuiz: sabe tudo sobre o seriado "Ratched"? Descubra!


Por Mary Ellen Farias dos Santos

A nova série da Netflix, dirigida por Ryan Murphy, "Ratched", produção do gênero terror, estrelada por Sarah Paulson é derivada do filme clássico "Um Estranho no Ninho" e ambientada 15 anos antes dos acontecimentos do filme estrelado por Jack Nicholson. No elenco estão nomes conhecidos pelo público e que já tiveram contato com o diretor, são eles: Sharon Stone (A Lavanderia), Finn Wittrock (American Horror Story), Cynthia Nixon (Sex and the City) e  Corey Stoll (House of Cards). Descubra no #ResenhandoQuiz se você sabe muito de "Ratched"! Boa diversão!


quinta-feira, 14 de outubro de 2021

.: 10x9: "AHS: Double Feature" faz tratos e explica mortes em "Blue Moon"


Por: Mary Ellen Farias dos Santos 

Em outubro de 2021


Em "Blue Moon", o terceiro episódio da segunda parte da série American Horror Story: Double Feature, intitulada de "Death Valley", é 1954 e Dwight 'Ike' Eisenhower (Neal McDonough) está cercado dos mesmos homens engravatados, mas um toque feminino o faz assinar um importante documento. Eis que três anos depois do ocorrido que quase teve um fim trágico paraa esposa dele, uma aparição clareia todo o lugar.


Tiroteio e seguranças tentam fazer a guarda do presidente, mas o poderoso e tecnológico Valiant Thor (Cody Fern) chega com o futuro que cabe na palma da mão: um computador potente e pequeno. Algo muito familiar a nós em pleno 2021, não é mesmo? Conforme um homem de negócios, a novidade é oferecida aos humanos ao abrir uma maleta, mas cabe aos engravatados aceitarem tamanha tecnologia. A cena do "ipod da Matrix" é bastante curiosa.



Na casa do presidente, a senhora Eisenhower (Sarah Paulson) segue falante e com os mesmos trejeitos de meter medo em qualquer um. Mamie sendo uma madame no portar, porém com um toque sombrio e fria, resgata um toque de "Ratched" em Sarah PaulsonE não é que vemos mais uma vez a Sarinha desfrutando de um garotão?! A cena a princípio choca, pela ideia de traição, mas também tem um toque de ridículo e nos faz rir.


Eis que o presidente chega a uma área secreta de experimentos -com alguns americanos sumidos, incluindo crianças. E não é que as criações "boiando" numa substância translúcida lembra muito a parte final de "American Horror Story Freakshow"?! E temos a Área 51. Contudo, o tempo segue seu curso e embora Eisenhower continue envolvido com o assunto até o pescoço, a presidência já não é mais responsabilidade dele. Logo, a área 51 é apresentada ao novato.


Até as produções cinematográficas entram em pauta numa conversa particular entre Nixon (Craig Sheffer) e Dwight 'Ike' Eisenhower (Neal McDonough). Sendo que o alvo é Marylin Monroe, ou melhor, dar um fim nela. Assim, testemunhamos a real forma do "suicídio" da atriz -nessa história de alienígenas, claro.


Tendo o nome de "Blue Moon", o episódio é, de fato, selado por diversos tratos, muitos em sequência, inclusive. Contudo, o título é mais explicado quando estamos de volta aos tempos atuais. Temos cores, logo reencontramos o núcleo juvenil. Tal qual o desfecho do episódio anterior, o rapaz só quer saber como que o bebê sairá de dentro dele. E não é que o rapaz dá a luz?! Tem até o sentimento de pedir para segurar a criatura que "precisa dele". Mas os ETs não permitem qualquer laço. 



Uma semana após parir, todos os jovens se reencontram. Contudo, é Leslie quem traz luz para tudo. Conta um pouco de sua história a fim de explicar, inclusive, a ida do homem à lua pela primeira vez -num estúdio montado na área 51. 


Mais desespero juvenil quando o outro rapaz está prestes a parir, até colocarem um plano em prática. Afinal, para os dois jovens o bebê é deles, logo podem começar uma família. Como não pensar "hein?!"? Ao menos os dois trocam juras de amor antes de a cesariana ser feita a seco e a cena final é ainda mais "hein?!". Fica a dúvida: Como será que tudo isso vai terminar em "The Future Perfect"? Tudo muito estranho!



Seriado: American Horror Story
Temporada: 10
Episódio 9: "Blue Moon" "(Lua Azul)"
Exibido em: 13 de outubro de 2021, EUA.
Elenco: Sarah Paulson (Mamie Eisenhower), Neal McDonough (Dwight 'Ike' Eisenhower), Kaia Gerber (Kendall), Lily Rabe (Amelia Earhart), Rebecca Dayan (Maria), Leslie Grossman (Dra. Calico), Cody Fern (Valiant Thor), Nico Greetham, Rachel Hilson, Angelica Ross, Isaac Powell, Craig Sheffer (Richard Nixon), Alisha Soper (Marilyn Monroe), Mike Vogel (John F. Kennedy), John Sanders (Buzz Aldrin), Briana Lane

* Mary Ellen é editora do site cultural www.resenhando.com, jornalista, professora e roteirista, além de criadora do photonovelas.blogspot.com. Twitter:@maryellenfsm


Página inicial
Tecnologia do Blogger.